Champions League

Guia da Champions League 2021/22 – Grupo D: Internazionale, Real Madrid, Shakhtar Donetsk, Sheriff Tiraspol

Um grupo com dois favoritos destacados, mas que precisam tomar cuidado com o sempre perigoso Shakhtar Donetsk

Este texto faz parte do Guia da Champions League 2021/22. Clique aqui e veja mais.

Por que acompanhar

O grupo tem o atual campeão italiano em busca do fim de uma sequência negativa, o maior campeão da Champions League em busca de uma nova história com um velho comandante, um ucraniano que veio das preliminares com uma trajetória importante e o clube que é de um país que ele renega. Sim, são várias histórias em um mesmo grupo. Nenhum deles, porém, parte como um favorito ao título, embora dois deles já tenham sido campeões.

Será interessante ver os confrontos entre Real Madrid e Internazionale. Os italianos, cabeças de chave pela primeira vez depois de retornarem à Champions League há três anos, tentam superar a barreira na fase de grupos. O Real Madrid, sob o comando do velho Carlo Ancelotti, quer mostrar que ainda sabe o caminho das pedras para chegar às fases decisivas e tem jovens promissores e veteranos importantes. Esta é a metade do grupo que vem das grandes ligas e já levantou a taça.

A outra metade vem do leste europeu. O Shakhtar Donetsk é figurinha carimbada na Champions League e é casa de muitos jogadores brasileiros, como sempre. Não está na melhor das suas fases, nem tem um elenco como nos últimos anos, mas ainda tem bons jogadores, capazes de fazer estrago em times grandes. Ainda vive o drama de não poder jogar em Donetsk há anos. O clube, mesmo sendo da região que se considera russa na Ucrânia, se alterna entre jogar em Kiev e Lviv.

O Sheriff, por sua vez, tem uma das histórias desta edição. É um dos times mais fracos desta fase, mas chegar até aqui já é um grande feito para o clube que é da Moldávia, mas se sente parte de um local não reconhecido como país. Sim, o Sheriff sequer se considera moldavo. Eles representam uma região chamada de Transnístria, que é separatista. Contamos essa história por aqui. Assim como Donetsk, é uma região de influência da antiga União Soviética – da Rússia, portanto – e tem fortes ligações com o país de Vladmir Putin.

Com tantas histórias, esse grupo tem seu charme.

Títulos

Internazionale – 3 (1963/64, 1964/65, 2009/10)

Real Madrid – 13 (1955/56, 1956/57, 1957/58, 1958/59, 1959/60, 1965/66, 1997/98, 1999/2000, 2001/02, 2013/14, 2015/16, 2016/17, 2017/18)

Shakhtar Donetsk – nenhum

Sheriff Tiraspol – nenhum

Retrospecto recente

Internazionale

2020/21 – Fase de grupos
2019/20 – Fase de grupos
2018/19 – Fase de grupos
2017/18 – não disputou
2016/17 – não disputou

Real Madrid

2020/21 – Semifinal
2019/20 – Oitavas de final
2018/19 – Oitavas de final
2017/18 – Campeão
2016/17 – Campeão

Shakhtar Donetsk

2020/21 – Fase de grupos
2019/20 – Fase de grupos
2018/19 – Fase de grupos
2017/18 – Oitavas de final
2016/17 – Preliminares

Sheriff Tiraspol

2020/21 – Preliminares
2019/20 – Preliminares
2018/19 – Preliminares
2017/18 – Preliminares
2016/17 – Preliminares

Ambição

Campeão de La Décima, Ancelotti voltou ao Real Madrid (Foto: Imago/One Football)

Internazionale

Ir além da fase de grupos é fundamental para a Inter. O clube conseguiu o título italiano na temporada passada, um feito que quebra a série de scudettos da Juventus, mas também vive uma crise financeira grave. Vendeu Romelu Lukaku e Achraf Hakimi, mas até que se virou bem para contratar Edin Dzeko, Denzel Dumfries e Joaquín Correa. O grupo é muito similar à temporada passada, exceto pelo Borussia Mönchengladbach. Cair na fase de grupos pelo QUARTO ano consecutivo seria trágico. Ir às oitavas de final seria bom, ir às quartas de final seria excelente. Mais do que isso seria sonhar demais.

Real Madrid

O Real Madrid sonha sempre muito alto. Alguém dizer que os merengues não querem o título é massacrado em Madri. A verdade é que o time não está entre os favoritos. Mesmo assim, ir até as quartas de final é o mínimo aceitável. E mesmo assim pode ser ruim. A semifinal, como na temporada passada, seria um bom resultado. E quem vai até a semifinal pode ir até o fim do percurso e brigar pelo título. Em condições ideais de temperatura e pressão, o Real Madrid é um time com plenas condições de ir até as quartas de final. O título seria inesperado. A semifinal já seria ótima. Menos que quartas de final deixa Carleto em situação difícil.

Shakhtar Donetsk

A ambição real aqui é ir para a Liga Europa. Ficar em terceiro é bom negócio para a equipe ucraniana, que iria para uma competição que pode conquistar o título e que está cheia de camisas pesadas, com jogos que devem ser interessantes. É claro que se for possível beliscar uma vaguinha nas oitavas, aproveitando os vacilos da Inter (possível) ou do Real Madrid (improvável), o Shakhtar tentará aproveitar. A vaga na Liga Europa já seria ótima para o time seguir em frente em sua campanha europeia.

Sheriff Tiraspol

A ambição já foi alcançada. Chegar pela primeira vez na fase de grupos já é mais do que maravilhoso para o time da Transnístria. Qualquer ponto será muito comemorado, contra qualquer um dos três adversários desta fase. A vaga na Liga Europa seria mais do que excelente e manteria o time vivo em uma competição europeia. Mas mesmo que seja o último colocado do grupo, o Sheriff não estará decepcionado. Para o clube, a conquista já veio.

Ponto forte

Alessandro Bastoni ganhou importância na Inter (Imago / OneFootball)

Internazionale

Um dos pontos mais fortes da Inter na temporada passada era a defesa e isso deve se manter com Simone Inzaghi no comando. O técnico montou uma Lazio bastante eficaz no setor defensivo. Os zagueiros são de ótima qualidade com o trio titular formado por Milan Skriniar, Stefan De Vrij e Alessandro Bastoni. O time tem um jogo aéreo forte no ataque, que ficou ainda mais forte com a chegada de Edin Dzeko. Lautaro Martínez é outro ponto muito forte do time, que segue no elenco e com potencial para ser o grande nome da equipe.

Real Madrid

O principal nome veste a camisa 9 e é centroavante: Karim Benzema. O francês é um jogador completo e pode ajudar tanto na finalização quanto na criação de oportunidades para os colegas de time. Ele é o líder entre atacante ou muito jovens, como Vinícius Júnior e Rodrygo, ou em busca de se recuperar, como Eden Hazard e Gareth Bale. Benzema é o ponto mais confiável do time. No meio-campo, embora sejam veteranos, há bons valores, com Casemiro limpando os trilhos e Luka Modric e Toni Kroos ainda trazendo qualidade.

Shakhtar Donetsk

Embora historicamente o time tenha um ataque forte, a defesa desta equipe merece destaque. Um dos principais nomes, Marlon, veio do Sassuolo, time de onde veio também Roberto De Zerbi. Além dele, o goleiro Anatolii Trubin é um destaque. Com apenas 20 anos, já mostrou imensa capacidade e chegou à seleção ucraniana. O brasileiro Vitão é outro que se destaca e tornou-se titular. Os dois brasileiros formam uma boa dupla na defesa, em um time em que nos acostumamos a ver os brasileiros mais no ataque do que na defesa.

Sheriff Tiraspol

A aposta do Sheriff Tiraspol deve ser bem óbvia: a defesa. Nas fases preliminares da Champions, foram oito jogos e só dois gols sofridos. Na temporada passada, quando conquistou o título moldavo, sofreu apenas sete gols em 36 jogos. É uma defesa sólida, dentro do seu padrão. O nível mais alto nesta fase, sem ser favorito em nenhum dos jogos e contra equipes poderosas, vai colocar o sistema defensivo do time em teste mais do que nunca. Ainda assim, deve ser a sua aposta para complicar os adversários e somar algum ponto na fase de grupos.

O craque

Benzema, do Real Madrid (Foto: Imago / One Football)

Internazionale: Lautaro Martínez

Lautaro Martínez é o principal nome da Inter. O camisa 10 tem crescido de rendimento, se tornou titular também na seleção argentina e tem tudo para ser o grande jogador do time de Simone Inzaghi. Ágil e mortal no ataque, Lautaro tem características de um centroavante completo, que consegue tanto finalizar quanto trabalhar para companheiros marcarem seus gols ao participar da construção das jogadas.

Real Madrid: Karim Benzema

Karim Benzema é o cara do Real Madrid. Um dos líderes do time, é o vice-capitão, atrás apenas de Marcelo, o único no elenco há mais tempo que ele. Aos 33 anos, o atacante vive uma grande fase técnica não apenas pelos gols que faz, mas pela sua importância no time em toda jogada ofensiva. Na temporada 2020/21, o jogador nascido em Lyon fez 46 jogos, marcou 30 gols e deu nove assistências. O que os números não contam é que Benzema era a bola de segurança, aquele que buscava e pedia o jogo quando era necessário. Deve ser assim, mais uma vez, ainda mais com a perda definitiva de Sergio Ramos – que já tinha jogado pouco na temporada passada.

Shakhtar Donetsk: Marlon

São tantos brasileiros no Shakhtar que é difícil que um deles não seja destaque. O que muda desta vez é que ele joga na defesa. Marlon, aos 26 anos, já mostrou muito nos poucos jogos que fez. Com passagem pelo Barcelona, pelo qual estreou na Champions League, Marlon traz mais segurança e é um jogador importante no estilo de De Zerbi, dando boa saída de bola à equipe.

Sheriff Tiraspol: Frank Castañeda

O grande nome do Sheriff na temporada passada foi Frank Castañeda. Foram 28 gols marcados pelo colombiano, que é a referência de ataque da equipe. Camisa 10, ele joga vindo da esquerda para o centro. Ele é também o capitão do time. Ele sai da ponta para o meio, sempre entrando em diagonal para achar o espaço e a oportunidade para marcar seus gols. Nesta temporada, ele tem sido também um bom assistente: são três até aqui.

Mister Champions

Pyatov, do Shakhtar Donetsk (Foto: Vitalii Kliuiev/Imago/One Football)

Internazionale: Arturo Vidal

Arturo Vidal é quem mais tem jogos de Champions no currículo pela Inter. O chileno tem 76 partidas por cinco clubes diferentes: Bayer Leverkusen, Juventus, Bayern de Munique, Barcelona e a própria Inter. Apesar da experiência, nunca conquistou o título. Ele deve ser reserva do time, mas começou bem a temporada e pode ser um jogador importante na rotação da equipe.

Real Madrid: Karim Benzema

Karim Benzema é o nome mais experiente do elenco em termos de número de jogos de Champions League. São 130 partidas, um número impressionante, com 71 gols – empatado com o lendário Raúl e dois gols atrás de Robert Lewandowski (73). Lionel Messi (120) e Cristiano Ronaldo (134) chegaram a marcas que não estão nem perto de serem superadas. Além dos excelentes números, ele também tem quatro títulos de Champions League no currículo. É muita taça.

Shakhtar Donetsk: Andriy Pyatov

Andriy Pyatov segue na ativa no Shakhtar Donetsk aos 37 anos. O jogador é o mais experiente de todo elenco dos ucranianos, além de ser o jogador com mais partidas na Champions League. São 69 jogos em 12 temporadas, uma marca para lá de impressionante. Atualmente, é reserva de Anatolii Trubin, mas segue no grupo.

Sheriff Tiraspol: Cristiano

Nenhum jogador do elenco do Sheriff jogou a fase de grupos da Champions League. Quem tem mais jogos de preliminares do torneio no currículo é um brasileiro. O lateral esquerdo Cristiano jogou 20 partidas, em cinco temporadas diferentes. Aos 28 anos, o carioca jogou todos eles pelo Sheriff desde que chegou ao clube, em 2017. São 1800 minutos em campo pelo Sheriff em fases preliminares. Agora é a hora de estrear na fase de grupos, mas ao menos em preliminares ele já está acostumado a atuar.

A contratação

Dzeko, da Internazionale (Foto: Imago/One Football)

Internazionale: Edin Dzeko

A Inter fez algumas boas contratações, mas o principal nome é Edin Dzeko. O atacante era um sonho antigo do clube nerazurri e chega, aos 35 anos, para substituir Romelu Lukaku, que era simplesmente o melhor jogador do time. Os dois não estão nem perto de estarem no mesmo nível, até pelo momento diferente das carreiras, mas o bósnio tem boas armas para ser importante. Sua contratação é de curto prazo, mas o centroavante terá algo a provar e tem condições de ser um bom jogador para o time.

Real Madrid: Eduardo Camavinga

Eduardo Camavinga chegou no último dia da janela de transferências e é um jogador que causa muita expectativa. Desejado por muitos clubes, o meia de apenas 18 anos chegou para ser parte do elenco por muitos anos e rejuvenescer o setor de meio-campo do Real Madrid, que tem dois veteranos: Luka Modric, 36 anos; Toni Kroos, com 31. Camavinga será reserva nesta temporada, mas é de se imaginar que ele ganhe espaço.

Shakhtar Donetsk: Lassina Traoré

O Shakhtar tem muitos jogadores brasileiros, mas vale destacar um de outra nacionalidade: Lassina Traoré. Aos 20 anos, o atacante de Burkina Fasso foi o principal nome contratado pelos ucranianos, que pagaram € 10 milhões ao Ajax para levar o jogador. Ele é da seleção burquinese, com seis gols em 14 jogos. É uma esperança de gols para o time.

Sheriff Tiraspol: Dimitris Kolovos

O meia ofensivo Dimitris Kolovos esteve emprestado ao Sherrif na temporada passada, vindo do Panathinaikos. O seu desempenho foi ótimo, com 10 gols em 22 jogos na liga nacional. Em julho, foi contratado em definitivo. Agora jogador do clube, não mais emprestado, ele continuou indo bem. Foi destaque na fase preliminar, com um gol importante diante do Dinamo Zagreb, em vitória por 3 a 0 em casa.

O técnico

Roberto de Zerbi, técnico do Shakhtar Donetsk (Foto: Vitalii Kliuiev/Imago/One Football)

Internazionale: Simone Inzaghi

Simone Inzaghi é um treinador jovem, com 45 anos, mas já com alguma experiência na Serie A italiana. Ele assumiu interinamente a Lazio em 2016, quando o clube tinha acertado a contratação de Marcelo Bielsa, mas o argentino ficou insatisfeito em não ver suas exigências cumpridas e não assumiu o comando. Inzaghi, então, começou uma trajetória de sucesso. Ele já tinha experiência dirigindo o time primavera, os juvenis, inclusive com títulos, mas foi pelo time principal que provou seu valor. Conquistou a Copa da Itália em 2018/19, além de duas Supercopas da Itália. Na temporada passada, levou a Lazio às oitavas de final da Champions. Tem a missão de ao menos repetir o feito com a Inter.

Real Madrid: Carlo Ancelotti

Carlo Ancelotti é um dos técnicos mais experientes entre os grandes times europeus. Aos 62 anos, ele tem um cartel de títulos respeitável. No próprio Real Madrid, foi ele que conduziu a equipe à “Decima”, em 2013/14, com alguns dos jogadores que seguem no elenco. Ele é um dos três treinadores que ganharam Champions League três vezes – duas pelo Milan e uma pelo Real Madrid. Ainda no Real Madrid, ele também conquistou o título da Copa do Rei, além do Mundial de Clubes. A expectativa, portanto, é muito alta.

Shakhtar Donetsk: Roberto De Zerbi

Roberto De Zerbi é um treinador jovem, com 42 anos, e vem de um trabalho espetacular no Sassuolo. Ele é um dos técnicos que fez o time neroverde se tornar uma sensação na Serie A e brilhar, desenvolvendo e revelando jogadores ao futebol italiano. O seu estilo de jogo no Sassuolo é aproveitado por Roberto Mancini na seleção italiana e chega ao Shakhtar com expectativas de tornar o time novamente forte também na Europa. Gosta de um jogo ofensivo, normalmente atuando me um 4-3-3, e com velocidade pelos lados do campo.

Sheriff Tiraspol: Yuriy Vernydub

O técnico do Sherrif é o ucraniano Yuriy Vernydub. Ele foi capitão do Zenit na temporada 1998/99, quando houve a conquista da Copa da Rússia. O treinador tem como feito no currículo levar o pequeno Zorya Luhansk, da Ucrânia, à fase de grupos da Liga Europa duas vezes. Foi para o futebol de Belarus, onde conquistou o título pelo Shakhtyor Soligorsk. Em dezembro, assumiu o comando do Sheriff e conquistou o título da Moldavia.

Mostrar mais

Felipe Lobo

Formado em Comunicação e Multimeios na PUC-SP e Jornalismo pela USP, encontrou no jornalismo a melhor forma de unir duas paixões: futebol e escrever. Acha que é um grande técnico no Football Manager e se apaixonou por futebol italiano (Forza Inter!) desde as transmissões da Band. Saiu da posição de leitor para trabalhar na Trivela em 2009.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo