Champions League

Diante das acusações de agressão e ameaça, Uefa abre processo disciplinar contra Al-Khelaïfi e Leonardo

Al-Khelaïfi é acusado de agredir um funcionário do Real Madrid e de ameaçá-lo, além de quebrar a bandeirinha de um dos assistentes de arbitragem

A Uefa abriu nesta quinta-feira um procedimento disciplinar contra Nasser Al-Khelaïfi e Leonardo. O presidente do Paris Saint-Germain e o diretor esportivo são acusados de agressão após a derrota para o Real Madrid na Champions League. Os dois teriam tentado invadir o vestiário dos árbitros no Estádio Santiago Bernabéu. Al-Khelaïfi ainda é acusado de agredir um funcionário merengue e de ameaçá-lo, assim como de quebrar a bandeirinha de um dos assistentes da arbitragem. Além do risco de punição aos dois indivíduos, o PSG também pode enfrentar as consequências, caso as investigações comprovem os atos.

Os dois dirigentes teriam ficado revoltados com as decisões da arbitragem na virada do Real Madrid. Segundo o jornal Marca, o catariano saiu aos gritos das tribunas e dava golpes rumo ao vestiário. Após ter a invasão barrada, o dirigente então entrou no escritório do delegado de campo do Bernabéu e precisou ser contido por várias pessoas. Um funcionário do Real Madrid gravou a cena e, ao perceber isso, o magnata partiu para cima da pessoa e disse que “o mataria”, lançando o aparelho celular que filmava pelos ares. Os próprios guarda-costas de Al-Khelaïfi contiveram o presidente. Depois, Leonardo exigiu que as imagens fossem deletadas

Já o RMC Sport confirmou as informações sobre a briga nos corredores do Bernabéu. Segundo o veículo francês, Al-Khelaïfi e Leonardo saíram furiosos das tribunas, correndo rumo ao vestiário dos árbitros. Os árbitros pediram para que eles saíssem do local e fecharam a porta. Leonardo tentou forçar a porta e a empurrou. Membros da segurança do Bernabéu já interviam neste momento. Ainda assim, Al-Khelaïfi quebrou a bandeira de um assistente. O RMC aponta que, neste momento, uma pessoa ligada ao Real Madrid filmava a cena. Al-Khelaïfi gritou várias vezes para que o funcionário parasse de filmar e, sem resposta, deu um tapa na mão do merengue. O porta-voz do catariano nega a agressão.

A confusão seria registrada pelo árbitro Danny Makkelie na súmula da partida. “O presidente e o diretor técnico do PSG mostraram um comportamento agressivo e tentaram entrar no vestiário dos árbitros. Quando o árbitro pediu que eles saíssem, bloquearam a porta e o presidente golpeou deliberadamente a bandeira de um dos assistentes, quebrando-a”, relatou. A Uefa ainda teria solicitado ao Real Madrid as imagens registradas pelo clube em seu circuito interno de câmeras.

Vale lembrar que, além de presidente do PSG, Nasser Al-Khelaïfi ocupa outros postos importantes no futebol. Ele é membro do comitê organizador da Copa do Mundo de 2022 e faz parte do comitê executivo da Uefa. Diante dos desdobramentos da Superliga, também virou presidente da Associação de Clubes Europeus (ECA).

Nesta semana, um promotor público da Suíça pediu a prisão de Al-Khelaïfi. O catariano é acusado de subornar altos funcionários da Fifa para ganhar os direitos de transmissão das Copas do Mundo de 2026 e 2030 para a BeIN Sports no norte da África e no Oriente Médio. Antigo secretário-geral da Fifa, Jérôme Valcke teria recebido uma casa de luxo na Sardenha em troca do acordo.

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo