Champions League

A Champions 2022/23 já começou, com público de 39 pagantes num jogo e goleada por 6×1 no outro

A Champions abriu sua fase preliminar, que reúne os campeões das quatro ligas de pior ranking

Não faz nem um mês que o Real Madrid se consagrou como vencedor da Champions League 2021/22, mas o show precisa continuar e a nova edição do torneio teve seu pontapé inicial nesta terça-feira. A competição abre seus trabalhos com a fase preliminar, num mini-torneio que reúne os campeões das quatro ligas de pior ranking da Europa. Melhor para Inter Club d’Escaldes e Víkingur, que seguem em frente à decisão desse mata-mata. Os andorranos venceram o La Fiorita, de San Marino, por 2 a 1. Já os islandeses golearam os estonianos do Levadia por 6 a 1. A decisão dessa fase prévia ocorre na sexta-feira.

A fase preliminar da Champions acontece em sede única. Nesta temporada, as partidas são organizadas na Islândia. E o Estádio Víkingsvöllur recebeu 39 pagantes para a vitória do Inter Club d’Escaldes por 2 a 1 sobre o La Fiorita, de virada. Os samarineses surpreenderam no fim do primeiro tempo, com um tento de Danilo Rinaldi. Já na segunda etapa, Genis Soldevilla marcou os dois gols dos andorranos.

Já na outra partida, diante de 725 pessoas, o Víkingur fez as honras da casa e derrotou o Levadia por 6 a 1. Os estonianos abriram o placar com cinco minutos, num pênalti convertido por Zakaria Beglarishvili. Ainda no primeiro tempo, os islandeses responderam com três gols – anotados por Kyle McLagan, Kristall Ingason e Halldór Sigurdsson. Já na segunda etapa, o placar foi complementado com tentos de Nikolaj Hansen, Helgi Gudjónsson e Julius Magnússon.

A decisão entre Inter Club d’Escaldes e Víkingur acontece na próxima sexta-feira, em Reykjavík. Quem avançar terá uma parada difícil na primeira fase classificatória da Champions e pegará o Malmö. Já os perdedores desta fase preliminar do torneio são repescados à primeira etapa da Conference.

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.
Botão Voltar ao topo