Europa

Jude Bellingham tem chance de levar a Bola de Ouro?

Começo meteórico no Real Madrid, queda de produção e desafios pela frente: a corrida de Bellingham pela maior premiação individual do futebol

Quando Lionel Messi recebeu sua oitava Bola de Ouro, em outubro de 2023, muitos já apontavam o vencedor do prêmio deste ano. Afinal, ninguém estava jogando mais bola que Jude Belligham no início da temporada europeia. Gols, assistências, atuações de gala e recordes quebrados. O jovem meio-campista inglês, de apenas 20 anos, iniciou sua trajetória no Real Madrid de maneira avassaladora. Quem parava e olhava os jogos do clube merengue não tinha receio algum de afirmar: o camisa 5 madridista será o melhor jogador do mundo de 2023/24.

De uns meses para cá, no entanto, o ritmo de Bellingham caiu significativamente. Os gols e atuações de destaque se tornaram menos frequentes, enquanto lesões e suspensões afetaram o que parecia ser uma temporada recorde para o inglês. Em virtude do início impactante no Real Madrid, muitos acreditavam que o camisa 5 poderia facilmente alcançar a marca de 40 gols. Não foi o que aconteceu — e dificilmente acontecerá. Todavia, apesar da queda de rendimento, os números chamam atenção e mostram que Bellingham segue firme no páreo pela Bola de Ouro. São 20 tentos e 10 assistências em 33 jogos.

Favorito a levar a maior premiação individual do futebol, Bellingham tem a chance de reafirmar tal status nesta reta final de temporada. Com o Real Madrid, o meio-campista terá jogos importantes pela frente em LaLiga e, claro, a partida de volta da Champions League, contra o Manchester City. Além disso, em junho, defenderá a Seleção Inglesa em uma Eurocopa que promete ser histórica. Caso retome a regularidade e ajude (com gols, assistências e atuações de destaque) suas equipes a alcançarem os objetivos estabelecidos, dificilmente Bellingham perde essa Bola de Ouro.

O início meteórico de Bellingham

Como citado, Bellingham chocou o mundo do futebol com seu início arrebatador no Real Madrid. Nas quatro primeiras partidas de LaLiga, o meio-campista marcou cinco gols e concedeu uma assistência. Na fase de grupos da Champions League, sua média também impressionou, tendo anotado quatro tentos e distribuído três assistências. Mais do que os números expressivos, o jovem entendeu rapidamente o espírito vencedor do clube merengue. Ele vestiu a tradicional camisa dos Blancos com gosto e passou a lutar incessantemente pelo melhor da instituição. Carrinhos, reclamações acintosas contra árbitros, encaradas nos adversários e comemoração marcante — sua marca registrada ao balançar as redes. De imediato, o pacote Bellingham caiu nas graças do torcedor madridista.

Durante meses, tais características e feitos o alçaram ao status de unanimidade para vencer a Bola de Ouro de 2024. Ninguém estava marcando mais gols (e jogando mais bola) que Bellingham na Europa. Com maestria e extrema frieza, um jovem de 20 anos carregava o maior clube do mundo nas costas.

Queda de produção

Bellingham continua sendo o principal candidato à Bola de Ouro, mas as coisas mudaram um pouco para o garoto prodígio do Real Madrid. Se antes balançava as redes em todos os jogos e esbanjava uma média de gols de fazer inveja em qualquer centroavante, o meio-campista inglês arrefeceu nesse quesito. Depois de marcar 18 tentos entre agosto e dezembro, o camisa 5 anotou apenas mais duas vezes desde janeiro.

Defensor ferrenho de seus jogadores, Ancelotti diminuiu as expectativas da imprensa e dos fãs, que vislumbravam uma temporada de 40 tentos para Bellingham. Em entrevista coletiva concedida na última sexta-feira (12), o técnico italiano disse que a média de gols (absurda) do inglês no início da temporada representava um ponto fora da curva, já que não é todo dia que se vê um meio-campista ostentando números de atacante.

— O seu ritmo de gols diminuiu, mas isso estava sendo uma surpresa. Agora ele faz seu trabalho por dentro ou fora, seu nível de gols caiu, mas seu desempenho não. Ele vem de jogos pela seleção (gol contra a Bélgica), fez isso contra o Athletic Bilbao (quando deu uma assistência) e não lhe falta outra coisa senão marcar gols, mas mais cedo ou mais tarde ele voltará a marcar — pontuou Ancelotti.

Com 16 gols marcados em LaLiga, Bellingham, ao frear seu instinto goleador, viu Artem Dovbyk, do Girona, e Ante Budimir, do Osasuna, se juntarem a ele na briga pela artilharia da competição. Entretanto, não é só a queda de produção do camisa 5 madridista em campo que explica isso. O cartão vermelho do meia contra o Valencia, no início de março, e a suspensão de duas partidas, o atrapalharam nessa corrida particular (e também na Bola de Ouro), assim como as lesões no ombro e no tornozelo, sofridas perto da virada do ano.

Mata-mata contra o Manchester City, LaLiga e Eurocopa podem ser determinantes

Os votantes da Bola de Ouro certamente olharão com atenção à reta final da temporada, já que é neste período que o prêmio costuma ser decidido. Ainda que, em tese, a avaliação deva ser baseada no sucesso ao longo do ano, é impossível negar que um desempenho consistente e marcante nas partidas decisivas tem peso maior (e determinante) no momento da votação. Benzema, por exemplo, faturou o troféu individual de 2022 graças às suas atuações históricas no mata-mata da Champions League, em que, praticamente sozinho, conduziu o Real Madrid rumo a classificações memoráveis.

Outro exemplo claro de como os jogos finais tem um poder maior sobre a decisão da Bola de Ouro é o que aconteceu com Luka Modric. Na Copa do Mundo de 2018, o ótimo meio-campista croata liderou sua seleção a um vice-campeonato inédito, e sua excelente performance no torneio lhe rendeu o prêmio individual.

O mesmo acontecerá com Bellingham. Ou seja, os resultados dos próximos meses decidirão se o meia do Real Madrid vencerá ou não a Bola de Ouro de 2024. A pergunta que fica é: será que ele consegue se manter na ponta dessa corrida até o fim? Bom, não temos a resposta para esse questionamento. O que temos são os jogos decisivos que Jude fará daqui para frente, tanto por clube quanto seleção.

Real Madrid (LaLiga e Champions)

  • Mallorca x Real Madrid – LaLiga – 13/04
  • Manchester City x Real Madrid – Champions League (oitavas de final – volta) – 17/04
  • Real Madrid x Barcelona – LaLiga – 21/04
  • Real Sociedad x Real Madrid – LaLiga – 27/04
  • Real Madrid x Cádiz – LaLiga – 04/05
  • Granada x Real Madrid – LaLiga – 12/05
  • Real Madrid x Alavés – LaLiga – 15/05
  • Villarreal x Real Madrid – LaLiga – 19/05
  • Real Madrid x Real Betis – LaLiga – 26/05

*Caso elimine o Manchester City, o Real Madrid de Bellingham terá pelo menos mais dois jogos na Champions (ida e volta da semifinal).

Seleção Inglesa (Eurocopa)

  • Sérvia x Inglaterra – Eurocopa (fase de grupos) – 16/06
  • Dinamarca x Inglaterra – Eurocopa (fase de grupos) – 20/06
  • Inglaterra x Eslovênia – Eurocopa (fase de grupos) – 25/06
Bellingham em ação durante Real Madrid x Manchester City, pela Champions League (Foto: Icon Sport)

Quem briga com Bellingham pela Bola de Ouro?

Kylian Mbappé (PSG)

Para muitos, o principal oponente de Bellingham na corrida pela Bola de Ouro. Mbappé tem 39 gols marcados e nove assistências concedidas em 41 jogos até o momento na temporada. O PSG será campeão francês, está na final da Copa da França e perdeu o jogo de ida das quartas de final da Champions League, em casa, diante do Barcelona. Além disso, o atacante de 25 anos servirá a França na Eurocopa.

Erling Haaland (Manchester City)

Diferente de 2022/23, Haaland não faz uma temporada de destaque, apesar do número de gols ser expressivo. Em 37 partidas, o atacante norueguês balançou as redes 30 vezes e distribuiu seis assistências. Seu clube, o Manchester City, se mantém vivo em três frentes: Champions League, Premier League e Copa da Inglaterra. Em relação a Euro, Haaland assistirá da TV, já que sua seleção fracassou nas eliminatórias.

Phil Foden (Manchester City)

Eis o grande nome do Manchester City em 2023/24. Protagonista do esquadrão de Pep Guardiola, Foden anotou 22 gols e concedeu 10 assistências em 45 jogos até então. Controle de bola, precisão nos arremates, senso de posicionamento e ousadia são algumas das principais virtudes do jovem ponta-direita de 23 anos, que certamente estará com a Seleção Inglesa na Euro.

Rodri (Manchester City)

Com esse cara em campo, o Manchester City simplesmente não perde – e os números estão aí para provar isso. Se seus concorrentes se diferenciam pelos gols e assistências, Rodri se notabiliza pela eficiência e elegância dentro das quatro linhas. Pilar do meio-campo e homem de confiança de Guardiola, o espanhol de 27 anos é o melhor volante do mundo e um dos melhores jogadores em atividade. E sim, ele também estará na Euro, servindo La Furia.

Harry Kane (Bayern de Munique)

O Bayern de Munique faz uma temporada desastrosa. Mas Harry Kane, seu centroavante, não. Definitivamente, esse adjetivo não ilustra o 2023/24 do camisa 9 inglês. Muito pelo contrário. Vivendo seu primeiro ano no clube bávaro, Kane tem mais gols do que jogos. São 39 bolas na rede em 38 partidas, além de 12 assistências.

Analisando friamente o desempenho do Bayern, a tendência é que o clube não conquiste nenhum título. Entretanto, vale destacar que ainda há uma chance: a Champions League. No duelo de ida das quartas de final, a equipe alemã empatou por 2 a 2 com o Arsenal e, agora, terá a oportunidade de decidir a vaga em casa. Caso os bávaros conquistem o título da principal competição do futebol europeu, Kane seria um candidato fortíssimo a levar a Bola de Ouro. De quebra, defenderá a Inglaterra na Euro.

Antoine Griezmann (Atlético de Madrid)

A situação de Griezmann é parecida com a de Kane. Seu clube, o Atlético de Madrid, decepcionou nesta temporada e, ao que tudo indica, não conquistará nenhum título. Todavia, ainda resta a esperança da Champions League. Os Colchoneros bateram o Borussia Dortmund por 2 a 1 no embate de ida, em Madrid, e largaram na frente por uma vaga na semifinal. Em caso de troféu continental para o time de Diego Simeone, o atacante francês, que representará seu país na Euro, é um nome a ser lembrado na Bola de Ouro. Em 40 partidas disputadas, o camisa 7 marcou 19 gols e concedeu oito assistências.

Bukayo Saka (Arsenal)

Saka é um dos grandes nomes do Arsenal de Mikel Arteta, que briga pelo título da Premier League e Champions League. O habilidoso ponta-direita inglês tem 18 gols marcados e 13 assistências em 40 partidas. Se mantiver a regularidade e seu clube conquistar algum dos troféus em disputa, automaticamente o jovem se coloca na briga pela Bola de Ouro.

Foto de Guilherme Calvano

Guilherme Calvano

Apaixonado por futebol, uniu o amor pelo esporte mais popular do mundo ao jornalismo. Carioca da gema e grande entusiasta da Premier League, cobriu o Flamengo no Coluna do Fla e o Chelsea no Blues of Stamford. Na música, vai de Post Malone a Armandinho. Eclético assim como na área técnica. Afinal, Guardiola e Mourinho são suas referências.
Botão Voltar ao topo