Europa

Frei se despediu dos gramados. E do melhor jeito possível

A temporada ainda está longe do fim para o Basel. O RotBlau luta pelo tetracampeonato suíço, com três pontos de vantagem sobre Grasshopper na liderança, o enquanto faz campanha surpreendente na Liga Europa e se prepara para enfrentar o Chelsea na semifinal. De qualquer maneira, o domingo foi de despedida para o clube. Um dos grandes ídolos da torcida, Alexander Frei pendurou as chuteiras após o clássico contra o Zürich.

Em novembro, Frei já tinha anunciado a intenção de encerrar a carreira no final da temporada. Contudo, a oportunidade de continuar trabalhando com futebol veio antes mesmo do fim de seu contrato com o Basel. O veterano foi convidado para ser o novo diretor esportivo do Luzern, clube da primeira divisão suíça pelo qual jogou no início da carreira. E o fim de sua trajetória nos gramados deixou a impressão de que poderia render um pouco mais.

Frei permaneceu em campo por 64 minutos no St. Jakob Park. Tempo suficiente para que marcasse um golaço de falta, que igualou o placar após o Zürich sair em vantagem (veja o vídeo). No fim, quando o atacante já assistia ao confronto do banco, Fabian Schär e Mohamed Salah garantiram a justa festa ao suíço, garantindo a vitória por 3 a 1.

Nascido na Basileia, Frei foi formado pelas categorias de base do Basel, mas permaneceu no clube por apenas uma temporada depois que se profissionalizou. Seus melhores momentos vieram com as camisas de Servette, Rennes e Borussia Dortmund, além da seleção suíça, da qual é o maior artilheiro da história. Isso até voltar ao RotBlau, em 2009.

A segunda passagem pelo St. Jakob Park foi bem mais significativa. Frei foi tricampeão suíço, além de ter participado ativamente da histórica classificação às oitavas de final da Liga dos Campeões, quando o Basel eliminou o Manchester United. O atacante também foi artilheiro do Campeonato Suíço e eleito o melhor atacante da competição em 2010/11 e 2011/12. Nesta temporada, sua presença foi menos frequente nos jogos da equipe. Nada que diminuísse sua imagem no clube – o que ficou comprovado nesta última participação.

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo