Europa

A seleção de Gibraltar comemorou muito a primeira vitória oficial de sua história

A Liga das Nações é o terceiro torneio oficial que Gibraltar disputa, desde que foi aceito na Uefa, em 2013. Os dois anteriores haviam sido as Eliminatórias da Eurocopa e da Copa do Mundo. No total: 22 derrotas em 22 partidas, sofrendo 107 gols e marcando apenas cinco. Neste sábado, porém, a história mudou. Fora de casa, Gibraltar alcançou sua primeira vitória oficial, ao derrotar a Armênia, por 1 a 0.

A Liga das Nações pode ainda não ter pegado fogo entre as grande seleções, disputando partidas apenas um pouco mais intensas do que amistosos, mas permite que os times mais fracos realizem jogos equilibrados e eventualmente busquem resultados como este de Gibraltar. Em setembro, foi Kosovo quem alcançou sua primeira vitória oficial, contra as Ilhas Faroe.

A partida foi válida pelo Grupo 4 da Liga D da Liga das Nações, a quarta divisão da competição criada pela Uefa. Apesar de ter Henrikh Mkhitaryan em campo e dar 35 chutes contra a meta do goleiro Kyle Goldwin, que executou dez defesas ao longo da partida, a Armênia não foi capaz de fazer um gol sequer.

Aos 5 minutos do segundo tempo, Lee Casciaro foi derrubado por Hrayr Mkoyan, dentro da área, e o árbitro assinalou pênalti. Joseph Chipolina cobrou para assegurar a vitória histórica da Gibraltar. Contando amistosos, é apenas a terceira e a primeira fora de casa. As outras duas foram contra Malta e Letônia, ambas por 1 a 0.

 

Gibraltar ainda é lanterna do seu grupo na Liga das Nações, depois das derrotas nas primeiras rodadas para Macedônia e Leichtenstein. Mas a comemoração ao apito final dá a medida do quanto esses três pontos, os primeiros, foram importantes para os jogadores de Gibraltar:

.

Mostrar mais

Bruno Bonsanti

Como todo aluno da Cásper Líbero que se preze, passou por Rádio Gazeta, Gazeta Esportiva e Portal Terra antes de aterrissar no site que sempre gostou de ler (acredite, ele está falando da Trivela). Acredita que o futebol tem uma capacidade única de causar alegria e tristeza nas mesmas proporções, o que sempre sentiu na pele com os times para os quais torce.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo