Europa

Destino do Vasco à vista? 777 já vai se desfazer de um clube

As polêmicas da 777 Partners não se limitam ao Vasco, já que a empresa americana pretende vender um de seus clubes

A 777 Partners tem causado desconfiança na torcida do Vasco. A Associação, cuja presidência é ocupada por Pedrinho, está preocupada com a “evidente fragilidade econômica” da empresa, tanto que chegou a cobrar garantias de que o depósito de R$ 270 milhões agendado para setembro seja realizado no prazo. Em meio a esse cenário, os americanos viraram notícia na Europa graças à intenção de se desfazer de um de seus clubes,

Trata-se do Standard Liège, que, curiosamente, foi adquirido pela 777 há exatamente dois anos, em 19 de abril de 2022. A informação foi divulgada inicialmente pelo jornal Sudinfo e confirmada pelo jornalista Sacha Tavolieri. À época, a empresa apareceu como salvadora dos Rouges, que conviviam com o fantasma da falência. Após uma parceria de início animador, tudo mudou de um tempo para cá.

Os bastidores do Liège reverberam reclamações de atrasos nos pagamentos de jogadores, fornecedores e agentes que aguardam há meses valores que têm direito. Por conta disso, o clube belga convive com ameaças de oficiais de justiça e contas temporariamente congeladas. Para piorar, a falta de comunicação da 777 Partners com os Rouges tem causado estresse e ansiedade nos funcionários.

Agora, a notícia de que a 777 está interessada em vender o Standard de Liège também assusta os torcedores cruz-maltinos. Só que isso não significa que o Gigante da Colina terá problemas com a empresa na hora do aporte, assim como aconteceu no depósito de 2023. Os americanos têm um motivo bem claro para tentar negociar o time belga, e isso passa justamente pela questão financeira.

Por que a 777 Parners quer vender o Standard Liège?

A 777 Partners quer vender o Standard Liège devido à necessidade significativa de liquidez para gerir as operações e dívidas estruturais do Hertha Berlin, outro clube do portfólio da empresa. Além disso, a questão com os belgas também impacta o interesse dos americanos em concluir a compra do Everton. Nessa linha de raciocínio, Josh Wander e seus sócios já discutiram a venda dos Rouges com potenciais investidores.

Entre os interessados estão o americano Bill Foley, que tentou comprar Sporting Charleroi, também da Bélgica, mas não teve sucesso. Ainda assim, ele tem interesse em adquirir uma equipe do país, e o Liège seria um alvo ideal. Internamente, a 777 também adotou à mesma postura em relação ao Red Star, que já recebeu oferta de um comprador interessado.

A tendência é que a equipe francesa tenha um aumento em seu valor de mercado, já que está próxima de subir da terceira divisão para a Ligue 2. Vala lembrar que, por enquanto, a 777 Partners é dona ou tem participação em oito clubes ao redor do mundo, incluindo o Vasco da Gama. Confira abaixo a lista da empresa americana:

  • Sevilla (Espanha) – 15% das ações
  • Genoa (Itália) – 99,9% das ações
  • Standard Liège (Bélgica) – 99,7% das ações
  • Red Star FC (França) – 100% das ações
  • Vasco (Brasil) – 70% das ações
  • Melbourne Victory (Austrália) – 70% das ações
  • Hertha Berlin (Alemanha) – 64,7% das ações
  • Everton (Inglaterra) – 94,1% das ações

Associação e SAF do Vasco em rota de colisão

A Associação e a SAF do Vasco estão em rota de colisão. Pedrinho assumiu a presidência em janeiro prometendo mais fiscalizações e cobranças à empresa americana, visando honrar o que foi combinado em contrato. Além disso, o ídolo cruz-maltino se mostrou interessado em ser mais ativo no futebol do Gigante da Colina, o que não aconteceu e incomodou o ex-jogador.

Pedrinho continua exigindo que a 777 Partners não atrase a data de pagamento do aporte financeiro, assim como tenha responsabilidade na hora de gastar o dinheiro para fortalecer o Vasco, tanto dentro, quanto fora de campo. Se a empresa americana acredita que vender o Standard de Liège (ou o Red Star) possa contribuir no funcionamento da engrenagem como um todo, eles irão tomar essa decisão.

Foto de Matheus Cristianini

Matheus Cristianini

Formado em Jornalismo pela Unesp, é apaixonado por esportes, acima de tudo futebol. Ama escrever sobre o que acontece dentro e fora de campo. Após passar por Antenados no Futebol, Bolavip Brasil, Minha Torcida e Esportelândia, se juntou à equipe da Trivela com muita vontade de continuar crescendo.
Botão Voltar ao topo