MLS

Possível greve preocupa MLS e liga pode recorrer a árbitros estrangeiros no início de 2024

Os árbitros da MLS cobram por melhorias nas condições de trabalho, mas a falta de um acordo pode acarretar problemas nos Estados Unidos

A MLS pode voltar em 2024 com uma grande polêmica. Isso porque a primeira partida do ano, entre o Inter de Miami de Lionel Messi e companhia, contra o Real Salt Lake, pode não ter árbitro, isso por que a liga norte-americana ameaça paralisar os profissionais por falta de um Acordo Coletivo de Trabalho. Se a possibilidade de confirmar, o campeonato teria que contratar substitutos de fora do país para os jogos.

As negociações entre Professional Referees Organization (Organização de Árbitros Profissionais, também conhecida como PRO) e Professional Soccer Referees Association (Associação de Árbitros de Futebol Profissional – ou PSRA) não resultaram em um novo acordo. Segundo uma fonte do jornal britânico The Athletic, uma paralisação dos árbitros da MLS parece “iminente”.

O veículo ainda informou que a greve dos profissionais de arbitragem só não deve acontecer nos Estados Unidos caso as partes cheguem a um consenso em um prazo de no máximo 10 dias. Se o impasse se estender, a Major League Soccer será obrigada a procurar árbitros substitutos para a pré-temporada e o início das competições oficiais.

O atual Acordo Coletivo de Trabalho (Collective Bargaining Agreement, em inglês) entre a PRO e a PSRA expira no dia 15 de janeiro. O sindicato representa os árbitros profissionais entre a MLS, as segunda e terceira divisões da liga norte-americana e o campeonato feminino do país.

A organização supervisiona o cenário nacional da arbitragem, incluindo a atribuição de jogos, avaliação e educação dos árbitros, além de identificar novos talentos para a profissão. A associação dos árbitros americanos cobra por melhorias nas condições de trabalho, o que abrange a remuneração dos funcionários.

Entenda a polêmica envolvendo a arbitragem da MLS

Ainda de acordo com o The Athletic, a PRO ofereceu um aumento salarial geral de 3% para os árbitros dos Estados Unidos. A PSRA exigiu um reajuste de até 90%, só que proporcional à remuneração de cada profissional de arbitragem. Ou seja, aqueles que ganham menos, como árbitros assistentes (bandeirinhas) e quarto árbitros, teriam maior valorização.

Esse era o cenário em dezembro. No início de janeiro, a Organização de Árbitros Profissionais melhorou sua proposta inicial, mas oferecendo um aumento geral de 4-5%. Contudo, a Associação de Árbitros de Futebol Profissional está descontente com a postura da PRO nas negociações. A PSRA tem um fundo de paralisação de trabalho, cujos valores são “suficientes para paralisações prolongadas”.

A crise também poderia ser evitada estendendo o atual Acordo Coletivo de Trabalho temporariamente. Vale lembrar que essa não é a primeira vez que a PRO e a PSRA travam uma batalha trabalhista nos bastidores.

Em 2014, as negociações também não agradaram nenhuma das partes, que queixaram uma das outras junto ao Conselho Nacional de Relações Laborais dos Estados Unidos. Como resposta, a associação de árbitros barrou os profissionais, iniciando àquela temporada com uma lista de ex-juízes da Major League Soccer, além de outros nomes do quadro da Fifa.

A medida da PRO durou três semanas, quando a PSRA resolveu aceitar o CBA, que ficou válido até 2019. Aliás, naquele ano, os grupos se desentenderam mais uma vez nas novas negociações, sendo que os árbitros chegaram a aprovar uma paralisação. Entretanto, a greve não saiu do papel, e um acordo foi assinado em fevereiro. Agora, resta saber qual será o desfecho dos profissionais de arbitragem da MLS em 2024.

Foto de Matheus Cristianini

Matheus Cristianini

Formado em Comunicação Social - Jornalismo pela Unesp, é apaixonado por esportes, acima de tudo o futebol. Por mais redundante que seja, ama escrever sobre o que é apaixonado, ficando de olho em tudo o que acontece dentro e fora de campo. Após passar por Antenados no Futebol, Bolavip Brasil, Minha Torcida e Esportelândia, se juntou à equipe da Trivela com muita vontade de continuar crescendo.
Botão Voltar ao topo