MLS

Lionel Messi atraiu os olhos do mundo para a MLS, que trabalha na ampliação de sua popularidade

Don Garber, comissário da MLS, quer aumentar o número de fãs de futebol por meio da influência do craque argentino

A Major League Soccer (MLS), principal divisão do futebol nos Estados Unidos, encerrou-se no último sábado, com o Columbus Crew vencendo o Los Angeles FC pelo placar de 2 x 1 e se sagrando campeão nacional pela 2ª vez em sua história. Nesta temporada, a grande novidade da liga norte-americana foi a presença do craque Lionel Messi defendendo o Inter Miami, que recém-campeão do mundo com a Argentina no Catar, aceitou o desafio de jogar na Terra do Tio Sam, o que impulsionou ainda mais a prática do soccer no país.

Para Don Garber, comissário da MLS, Lionel Messi poderia ter ido para “outros centros do futebol”, como fez Cristiano Ronaldo, que foi se aventurar na Arábia Saudita. A vinda de Messi para os Estados Unidos é um feito importante para a história do esporte no país e deve ser trabalhado de forma eficiente para aumentar ainda mais a popularidade da modalidade, principalmente entre o público mais jovem, que acompanha o jogador desde os tempos de PSG.

“Os olhos do mundo estão agora voltados para a Major League Soccer porque o melhor jogador que já jogou está aqui”, disse Garber. E ele conseguiu isso”, disse Garber em entrevista ao portal La Nacion.

O impacto gigantesco de Messi atuando na MLS

Em campo, Messi foi importante na campanha do Inter Miami, que até a penúltima rodada da primeira fase da MLS tinha a chance de se classificar para os play-offs da competição. Porém, uma lesão séria interrompeu a caminhada do argentino dentro da competição e foi um dos fatores que impediram sua equipe de seguir em frente no torneio. Mesmo assim, o desempenho foi acima da média, com direito a 14 gols em 11 jogos, além de cinco assistências.

Fora de campo, a presença de Lionel Messi nos gramados dos Estados Unidos registrou um recorde de assinaturas da plataforma de streaming Apple TV, principal detentora dos direitos de transmissão da MLS e que foi responsável por registrar todos os jogos. As finais, além de outras partidas, também foram transmitidas por canais de TV fechada como a FOX americana. Além disso, todos os ingressos dos jogos do Inter Miami da próxima temporada estão esgotados, o que demonstra o sucesso da liga no investimento em grandes craques para aumentar a popularidade do esporte bretão no país

A preocupação de Garber para a próxima temporada é definir quais serão as localidades o Inter Miami e Messi vão jogar. O clube faz parte da Conferência Leste da competição, o que em caso de eliminação ainda na primeira fase limitaria a quantidade de localidades e estádios aos quais o craque argentino se apresentaria. A ideia da liga é promover outras competições, como a Leagues Cup e a US Open Cup para aumentar a quantidade de localidades nas quais o astro poderá se apresentar, impulsionando o mercado e também ajudando a subir a popularidade do futebol no restante do país.

“Temos que analisar tudo, incluindo as regras do plantel, para garantir que, com um público cada vez maior, possamos captar o apoio e a atenção de um público totalmente novo de fãs de futebol. Em última análise, esse é o processo que estamos fazendo agora. O sistema que temos é o certo e podemos evoluí-lo ou ajustá-lo de uma forma que garanta a captura do mercado”,  disse Garber.

Além de Lionel Messi, Copa do Mundo de 2026 pode impulsionar futebol nos EUA

Outro fator importante para aumentar a popularidade do futebol nos Estados Unidos é o fato da próxima Copa do Mundo ser sediada no país após 32 anos. A última, disputada em 1994, trouxe um novo cenário competitivo ao país, que de lá para cá, sempre esteve disputando o Mundial, com exceção de 2018, quando não se classificou para a Copa da Rússia, retornando na última edição do Catar em 2022. México e Canadá também sediarão o próximo mundial, que além do número recorde de sedes, será disputada por 48 seleções pela primeira vez na história.

A presença de Messi e outros craques do futebol internacional e a disputa da Copa do Mundo nos Estados Unidos trazem um sentimento de orgulho aos norte-americanos, mas também a preocupação sobre o atual momento do esporte no país. Com tanto investimento e popularidade, Don Garber espera que a seleção nacional consiga elevar seu patamar e possa finalmente quebrar as barreiras do insucesso no futebol. Os Estados Unidos jamais chegaram a uma semifinal de Copa do Mundo, sendo a sua melhor participação em 2002, quando foi eliminada pela Alemanha nas quartas de final.

Essa é a pressão que temos de garantir: já que todos estão prestando atenção em nós, qual é o produto que podemos oferecer? Onde queremos estar em 2027? Conclui Garber.

 

Foto de Lucas de Souza

Lucas de Souza

Lucas de Souza é jornalista formado pela Universidade São Judas em São Paulo. Possui especialização em Marketing Digital pela Digital House, e passagens pelos sites Futebol na Veia e Futebol Interior.
Botão Voltar ao topo