Espanha

A incrível previsão de Shevchenko sobre o sucesso de Lunin no Real Madrid

Há quatro anos, ex-atacante previu o que aconteceria com Lunin na capital espanhola

O futebol nem sempre é tão fácil de analisar. Por vezes vemos talentos florescerem e se destacarem quase na mesma velocidade que caem no ostracismo. Até por isso, muitas vezes comentaristas, sejam jornalistas ou ex-jogadores, quebram a cara quando fazem uma previsão sobre algum atleta ou clube. Não parece o caso do histórico centroavante ucraniano Andriy Shevchenko, que em 2020 rasgou elogios ao compatriota e xará Andriy Lunin, goleiro que vem brilhando no Real Madrid nesta temporada e acaba de ser o responsável por classificar o clube às semifinais da Champions League.

Então técnico do jovem arqueiro na Seleção da Ucrânia, Sheva garantiu que o jogador ficaria muitos anos no Real Madrid e tinha nível para competir com o ótimo Thibaut Courtois. Ainda o definiu como o mais promissor da posição no território europeu. À época, Lunin sofria com desconfiança, pois foi emprestado duas vezes pelo clube espanhol e não somou nem 10 jogos se somar os períodos por Legalés e Real Valladolid.

— Lunin tem qualidade suficiente para competir com Courtois. É possivelmente o melhor goleiro jovem da Europa, o que tem mais projeção, por isso, está conosco [na seleção]. Penso que estará no Real Madrid durante muitos anos.

Quem diria que após quatro anos seria o mesmo jovem que pegou dois pênaltis do Manchester City em um jogo de quartas de final da Champions. E ainda após fechar o gol nos 90 minutos, com oito defesas, além de quatro socos essenciais nos cruzamentos do adversário. Isso que Lunin foi criticado, com razão, porque na partida de ida com os ingleses vacilou ao colocar pouca gente na barreira em uma falta, pulou atrasado e permitiu o primeiro gol da eliminatória, marcado por Bernardo Silva.

A falha do goleiro de 25 anos foi algo atípico na primeira temporada que finalmente pôde ter continuidade com a camisa branca. Isso porque Courtois sofreu uma grave lesão na pré-temporada e só joga em 2024/25 (quando estava próximo de voltar, teve novo problema no joelho).

Inicialmente, o Real e o técnico Carlo Ancelotti não mostraram pela confiança no ucraniano e trouxeram, às pressas, Kepa Arrizabalaga por empréstimo junto ao Chelsea. Mas o goleiro espanhol também teve teve lesões, além de falhas esquisitas, o que abriu de novo espaço para Lunin fazer a melhor temporada da sua breve carreira até aqui.

Não é só pela volta contra o City, Lunin garantiu os Merengues na Champions desde a fase anterior. A equipe treinada por Ancelotti sofreu contra o RB Leipzig, que viu o goleiro do Madrid efetuar 12 defesas nos 180 minutos da eliminatória. No agregado, 2 a 1 para os espanhóis, com o poder decisivo daquele que Shevchenko confiou como ninguém.

Por La Liga, ele esteve em campo 19 vezes, sendo que em 10 delas saiu sem sofrer gol (o sexto no campeonato mesmo tendo bem menos jogos que os adversários). Andriy também é o goleiro com a menor média de gols sofridos (0,6) na competição e o quarto em gols evitados (5,37, considerando a estatística de gols esperados). Os dados são do SofaScore. Papel definitivamente essencial para o líder do Espanhol.

Sucesso no gol, Lunin começou carreira como atacante

Quem vê o goleiraço de 1,91m fechando o gol do maior time do mundo nem imagina que seus primeiros contatos com o futebol foi do outro lado do campo. Lunin contou ao jornal AS que era atacante no futsal, mas decidiu mudar de posição por conta do campo maior no futebol de 7.

– No futsal eu trabalhei muito bem, fiz muitos gols e tenho vários troféus de melhor jogador, artilheiro e melhor assistente. Mas em Kharkov [cidade na Ucrânia], o campo era para futebol de 7 e não era para mim [ser atacante].

A mudança para o campo veio com testes em clubes. Tentou entrar no Shakhtar Donetsk, mas foi aceito no Metalist Kharkov antes de trocá-lo pelo Dnipro Dnipropetrovsk, onde estreou pelo profissional aos 17 anos. Apesar dessa bagagem, Lunin só foi brilhar no Zorya Luhansk, primeiro clube que virou o titular absoluto e fez grandes atuações na Liga Europa que renderam o interesse de gigantes da Europa.

Internazionale e Liverpool foram alguns dos interessados, mas o gigante Real Madrid ganhou a disputa em 2018 ao pagar 8,5 milhões de euros (cerca de R$ 37 milhões à época). Após alguns empréstimos frustrados, Lunin conseguiu emplacar 20 jogos em seis meses no Real Oviedo em 2020 e, quando retornou ao clube da capital, não saiu mais.

Como o natural processo de maturação de um goleiro, ganhou minutos no Castilla e, enfim, mostrou estar pronto quando recebeu uma oportunidade.

Vale citar que Andriy foi finalista do Prêmio Golden Boy em 2019, ficando na 15ª posição da edição que terminou com João Félix como vencedor.

Lunin volta aos gramados neste domingo (21), quando o Real recebe o Barcelona no Santiago Bernabéu pela 32ª rodada de La Liga. Caso vença, os Merengues abrem 11 pontos na liderança e praticamente liquidam o título nacional.

Foto de Carlos Vinicius Amorim

Carlos Vinicius Amorim

Carlos Vinicius é nascido e criado em São Paulo e jornalista formado pela Universidade Paulista (UNIP). Escreveu sobre futebol nacional e internacional no Yahoo e na Premier League Brasil, além de eSports no The Clutch. Além disso, atuou como assessor de imprensa no setor público e privado.
Botão Voltar ao topo