La Liga

Xavi está triste com a imprensa: ‘Ninguém me parabenizou pela classificacão na Champions’

Na corda bamba, Xavi criticou os jornalistas por criarem um clima de terra arrasada no Barcelona e explicou porque isso não é verdade

Não é de hoje que o Barcelona tem bastidores conturbados. Além das notícias envolvendo um suposto desentendimento entre Frenkie De Jong e o diretor esportivo Deco, a situação de Xavi Hernández não é das mais confortáveis na Catalunha. O técnico está sendo criticado pela mídia e por parte da torcida devido ao futebol pouco convincente demonstrado nesta temporada.

Isso sem falar na instabilidade do Barça dentro de campo. Mesmo vivo na luta pelos quatro títulos disponíveis em 2023/24 (Champions League, LaLiga, Copa del Rey e Supercopa da Espanha), Xavi acumulou tropeços em jogos importantes. Além das derrotas para Real Madrid e Girona, ambas pelo campeonato, os resultados negativos contra Shakhtar Donetsk e Royal Antwerp, pelo europeu, assustaram também pelas atuações ruins.

Em meio a todo esse cenário, Xavi não esconde uma coisa: está triste com a imprensa espanhola. Em coletiva antes da partida contra o Valencia, o treinador do Barcelona cobrou os jornalistas presentes por não terem o parabenizado pela classificação às oitavas de final da Liga dos Campeões. Para ele, a mídia está vivendo uma realidade alternativa ao especular sua demissão no Barça:

“Não há obsessão, mas é a realidade. Recebo mensagens como se fosse um funeral, como se meu pai ou minha mãe tivessem morrido. Nenhum de vocês me deu os parabéns na última coletiva de imprensa pela classificação (na Champions League). Essa é a irrealidade que vejo. Se a temporada terminar excelente, o que acontecerá? Vamos passar mal ou ficar deprimidos… mas o jogo todo está aí. No dia do Atlético (de Madrid) éramos 10, e agora, zero”.

Coletiva de Xavi no Barcelona foi repleta de pérolas

Ídolo como jogador, Xavi assumiu o Barcelona no final de 2021, época em que o extracampo – assim como as dificuldades financeiras – não contribuia. Em sua primeira temporada completa, em 2022/23, o técnico foi campeão de LaLiga, algo que não acontecia desde 2018/19. Apesar dos apesares, ele conseguiu fazer os torcedores voltarem a ter motivos para comemorar dentro de campo.

Menos de seis meses depois, Xavi convive com rumores de uma possível demissão no Barça. Por conta disso, a coletiva do treinador desta sexta-feira (15) foi repleta de pérolas. Ele fez questão de citar como o ambiente pesado prejudica seu trabalho na área técnica, piorando ainda mais com as duras críticas da imprensa:

“Se tivessem nos eliminado na Liga dos Campeões, eu teria entendido. Mas não foi assim. Temos LaLiga, é verdade que temos que melhorar e somar mais, a Supercopa e a Copa do Rei. Não entendo. É hora de aderir, acreditar no projeto. É o clube mais complicado do mundo devido ao seu ambiente”.

Xavi Hernández só fez um pedido para que o Barcelona tenha sucesso e recupere as glórias de um passado não tão distante: estabilidade. Na era pós-Messi, o técnico explicou para os jornalistas que os pedidos exacerbados por sua saída do comando podem interromper a reconstrução do clube. Ele reconhece que, se seu trabalho não for satisfatório até o final da temporada, não terá outra saída a não ser deixar o Barça:

“Há um mês você (jornalista) me disse se eu era o Ferguson do Barça, e agora estou na berlinda. Estabilidade. É disso que o clube precisa. Temos um projeto vencedor. Sabemos que o futebol não tem memória. Quando digo que estamos em construção é porque vão ter buracos, mas se a cada buraco entrarmos numa depressão profunda… Isso se chama estabilidade. Se perder ou empatar com o Valencia, continuo acreditando no projeto”.

Foto de Matheus Cristianini

Matheus Cristianini

Jornalista formado pela Unesp, com passagens por Antenados no Futebol, Bolavip Brasil, Minha Torcida e Esportelândia. Na Trivela, é redator de futebol nacional e internacional.
Botão Voltar ao topo