La Liga

Valencia x Real Madrid não tem fim: La Liga condena ataques racistas contra Peter Federico

Peter Federico também alvo de xenofobia e chegou a fechar os comentários em suas redes sociais após empate por 2 a 2 entre Valencia e Real Madrid

Antes de Valencia e Real Madrid, a expectativa em relação à partida era alta por ser a primeira vez que Vinicius Júnior voltaria ao Mestalla após ter sido alvo de ofensas racistas. Durante e logo após o empate por 2 a 2 no último sábado, os jogadores do Real Madrid ficaram enlouquecidos pelo árbitro ter encerrado a partida e anulado o gol de Bellingham que daria a vitória aos visitantes. E também depois do jogo, outra lamentável coisa aconteceu: mais ofensas racistas, mas agora contra um jogador do time da casa.

Ainda no último domingo (3), o atacante Peter Federico, optou por fechar os comentários em suas próprias redes sociais por conta dos insultos que recebeu na internet. Além de racismo, os ataques contra o jovem também incluíam xenofobia.

— A La Liga condena comentários discriminatórios proferidos contra o jogador Peter Federico e mostra o seu apoio a ele, assim como o Valencia. Seguiremos trabalhando juntos para erradicar esses comportamentos do nosso futebol — afirmou a organização do campeonato por meio de suas redes sociais. Assim como La Liga, o Valencia também mostrou apoio ao atleta no X (antigo Twitter)

— O Valencia CF reitera o seu compromisso na luta contra a discriminação sob qualquer de suas formas. São totalmente inadmissíveis alguns comentários fomentando o ódio que está recebendo o nosso jogador Peter Federico. Por um futebol e uma sociedade livre de discriminação e violência.

O que aconteceu durante a partida?

Inicialmente no banco de reservas para a partida no último sábado, Peter Federico entrou no segundo tempo, e quase fez um golaço. Já nos acréscimos, ele recebeu passe de Gaya, mas seu chute de primeira foi para fora. A chance foi suficiente para que pessoas invadissem as redes do atleta para xingá-lo, já que Federico, que ainda é jogador do Real Madrid, está apenas emprestado até o fim desta temporada para os Chés.

— Não morda a mão de quem te deu a comer. Devia ter ido embora de barco — comentou um internauta.

— Se não fosse o Real Madrid estaria pedindo comida. O que se pode esperar de alguém de um país como a República Dominicana — disse outra pessoa, nas redes sociais do atacante.

Além das chances, ele também no fim do jogo fez um sinal pedindo apoio aos torcedores do Valencia contra o Real Madrid, time pelo qual ele ainda tem contrato. Mas isso não dá a ninguém o direito de ofender o jogador dessa forma. Nascido em Madri, ele é filho de pais dominicanos e inclusive atuou pela seleção da América Central nas categorias de base.

O caso não teve nem de perto o apelo de Vinicius Júnior no ano passado. Vale destacar também que contra Federico, as ofensas ficaram na internet, e que o brasileiro foi alvo de gritos de ‘macaco' no estádio, durante a vitória do Valencia por 1 a 0. Mesmo assim, com La Liga e o próprio Valencia chamando a atenção, ambas as organizações mostram ao menos cuidado e suporte ao atleta, e corroboram o discurso para que quaisquer tipos de ofensas e discriminações cessem de vez durante os jogos do campeonato.

Foto de Vanderson Pimentel

Vanderson Pimentel

Jornalista formado em 2013, e apaixonado por futebol desde a infância. Em redações, também passou por Estadão e UOL.
Botão Voltar ao topo