La Liga

O Deportivo celebrará Bebeto, Mauro Silva e o tetra em sua nova camisa reserva

O Deportivo de La Coruña se orgulha dos dois brasileiros campeões do mundo e resolveu celebrar os 30 anos do tetra

O Deportivo de La Coruña possui uma história totalmente ligada ao Brasil. Os grandes sucessos dos galegos, especialmente entre as décadas de 1990 e 2000, contaram com o talento dos atletas nascidos no país. O protagonismo verde-amarelo no Riazor vai desde o Super Depor que subiu da segunda divisão para se tornar potência, até a conquista de La Liga que finalmente se consumou na virada do século. E tal relação tão carinhosa, na próxima temporada, se representará na forma de camisa. O uniforme reserva dos blanquiazules é inspirado na Seleção, para homenagear especialmente Mauro Silva e Bebeto nos 30 anos do tetra. É uma maneira de celebrar a rica história do clube, em tempos de sofrimento e temores na terceira divisão.

O Deportivo não esconde o orgulho de ter contado com dois campeões do mundo em seu elenco. Bebeto e Mauro Silva vinham de uma temporada agridoce em 1993/94, quando o Super Depor perdeu o título de La Liga na última rodada, com o triunfo do Barcelona tetracampeão sob as ordens de Johan Cruyff. A volta por cima dos brasileiros aconteceu semanas depois, com a conquista do tetra em 17 de julho de 1994. Eram dois atletas blanquiazules, não só titulares na Canarinha, como também instrumentais na campanha nos Estados Unidos. Mesmo três décadas depois, a lembrança permanece viva.

O lançamento da camisa contou até com um vídeo todo clichê: tem imagem de praia, um samba meio mambembe e muita gente tentando dançar no ritmo. Com a devida licença poética, ainda assim, não deixa de ser muito legal o tributo feito aos dois brasileiros. A camisa traz na parte interna uma imagem dos dois craques, assim como uma referência à conquista do tetra e à data da final. Foram escolhidos ainda tons de amarelo e verde bem vivos. Enquanto o amarelo predomina no tecido, o verde contorna os detalhes e até mesmo o escudo estilizado do Deportivo.

Bragantino estará na festa

O Deportivo de La Coruña realizará inclusive uma homenagem com a presença de Mauro Silva e Bebeto no Estádio Riazor. O clube disputará neste sábado o tradicional Torneio Teresa Herrera. Até mesmo o adversário será temático: o Red Bull Bragantino, clube do qual saiu Mauro Silva rumo à Galícia em 1992. Segundo a imprensa local, a intenção do Depor era convidar o Vasco, de onde Bebeto se transferiu. Entretanto, a fase ruim dos cruzmaltinos mudou os planos.

A presença de Mauro Silva e Bebeto, no entanto, chegou a ser colocada em xeque há alguns dias. Durante a última semana, os dois veteranos pediram desculpas à torcida e declararam que não viajariam para A Coruña, diante de desentendimentos com a diretoria. O problema se concentrava na lista de compromissos, com os ídolos submetidos a uma cansativa agenda de ações publicitárias. Todavia, diante da insatisfação dos torcedores e da pressão nas redes sociais, a direção atendeu aos pedidos dos jogadores e chegou a um acordo. Horas depois, ambos os craques agradeceram o apoio dos fãs e garantiram presença, diante de uma modificação na agenda.

O Troféu Teresa Herrera deverá contar com outros tributos. Um deles será destinado a Luis Suárez Miramontes, único espanhol a conquistar a Bola de Ouro, que foi revelado pelos blanquiazules. O craque faleceu no último mês. A partida também marcará a despedida de Álex Bergantiños dos gramados. O volante foi o grande símbolo do Depor nas últimas duas décadas, com mais de 300 partidas disputadas. Irá se aposentar aos 38 anos e usará a braçadeira de capitão no amistoso.

Também é possível que a ocasião seja marcada pelas lembranças a Arsenio Iglesias, treinador fundamental à história do Deportivo, que dirigiu Mauro Silva e Bebeto na passagem de ambos pelo clube. O mentor do Super Depor faleceu no último mês de maio, aos 92 anos, e nutria uma relação de muito carinho com ambos os brasileiros, a quem auxiliou na adaptação ao Riazor feito um pai. Na época da notícia da morte, ambos os craques homenagearam o professor e ressaltaram sua importância para ambos.

O passado de Bebeto e Mauro no Depor

Bebeto e Mauro Silva chegaram juntos ao Deportivo de La Coruña, em 1992/93, na segunda temporada do clube em La Liga após quase duas décadas longe da primeira divisão. O meio-campista vinha como um talento em ascensão no Bragantino, enquanto o atacante era consagrado, especialmente pelas conquistas por Vasco e Flamengo. Arsenio Iglesias tornou ambos peças centrais no Super Depor, que chegou a liderar em parte do campeonato em 1992/93 e garantiu vaga inédita na Copa da Uefa. Bebeto terminou como artilheiro da liga, com 29 gols. Já na temporada seguinte, o Deportivo ficou mais forte, com a contratação de Donato – que, embora carioca, se naturalizaria espanhol. O time fez uma campanha ainda mais impressionante e chegou à última rodada dependendo de si, mas empatou com o Valencia e deixou o título escapar para o Barcelona.

O trauma daquele tropeço seria superado por Bebeto e Mauro Silva na Copa do Mundo. O volante trancou o meio-campo ao lado de Dunga, enquanto o atacante marcou gols fundamentais e firmou uma parceria inesquecível com Romário. Voltaram jubilosos à Galícia. Bebeto permaneceu por mais duas temporadas no Super Depor. Não deu para conquistar La Liga, mas o craque contribuiu ao título da Copa do Rei e da Supercopa da Espanha em 1995. Ainda seria terceiro entre os artilheiros do Espanhol em 1995/96, com 25 gols. O baiano se despediu do clube com 102 gols em 154 partidas.

Mauro Silva se tornou um ícone ainda maior do Deportivo de La Coruña. O meio-campista permaneceu no clube até o final de sua carreira, por 13 temporadas. Viveu outros momentos excepcionais com os galegos. Ainda era um dos pilares do time em 1999/00, quando o troféu de La Liga finalmente veio, num time em que Djalminha e Flávio Conceição eram outros companheiros na meia-cancha. Já em 2001/02, o camisa 6 era o único brasileiro titular no famoso “Centenariazo”, a Copa do Rei que o Depor conquistou em pleno Santiago Bernabéu quando havia uma festa armada para comemorar o centenário do Real Madrid. O craque se despediu com 459 partidas pelos blanquiazules, além de seis gols.

Foto de Leandro Stein

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreveu na Trivela de abril de 2010 a novembro de 2023.
Botão Voltar ao topo