La Liga

Raio-X das lesões do Real Madrid: Joselu é mais um fora, mas Rüdiger volta e alivia defesa

Courtois, Militão, Alaba, Joselu... os lesionados não são novidades nesta temporada do Real Madrid

Os problemas físicos são uma realidade por toda temporada no Real Madrid. A grave lesão ligamentar de Thibaut Courtois, antes mesmo começar os campeonatos, deu um início do que seria 2023/24. Depois, foi a vez de Éder Militão, na primeira rodada de La Liga, e David Alaba sofrerem com severos problemas no joelho. Além deles, vários outros jogadores tiveram ao menos uma questão física, de menor gravidade. O mais recente é o atacante Joselu, reserva, mas importante para Carlo Ancelotti por ter uma característica que não há no elenco merengue. O espanhol deve ficar pelo menos três semanas fora por um edema ósseo no tornozelo direito, período que o tirará do jogo de volta das oitavas de final da Champions League contra o RB Leipzig.

Ao menos, o técnico italiano tem uma boa novidade para o jogo contra o Sevilla, neste domingo (25), no Estádio Santiago Bernabéu, pela 26ª rodada do Campeonato Espanhol. O zagueiro alemão Antonio Rüdiger trabalhou com o grupo de jogadores e deve ser titular. Um reforço especial, visto que, recentemente, o time foi obrigado a jogar com o volante Aurélien Tchouaméni e o lateral-direito Daniel Carvajal como dupla de zaga. Falando no lateral, ele está fora do jogo de hoje por suspensão, mesmo cenário de Eduardo Camavinga – parece que a cada boa notícia, aparecem outras três ruins.

Enquanto isso, o principal jogador do time nesta temporada (e quem sabe do mundo), Jude Bellingham, evoluiu no tratamento da lesão que sofreu no tornozelo, voltou a trabalhar no campo, mas, assim como Joselu, tem semanas pela frente até o retorno aos gramados. A expectativa, segundo o jornal espanhol Marca, é que fique à disposição contra o Valencia, em 2 de março, o que daria tempo para jogar a Champions, competição que o Real Madrid tem vantagem de um gol e joga a volta no Bernabéu.

Sobre a situação dos lesionados mais graves, Courtois é o mais próximo do retorno, marcado para o início de abril, pois já faz trabalho com bola no CT do Real. Por outro lado, Alaba e Militão seguem em longo processo e talvez nem joguem na temporada.

Ancelotti deu aula de como lidar com lesões

Aos 64 anos, Carletto mostrou todo seu repertório para lidar com lesões no Real Madrid. Utilizou três escalações diferentes na temporada (iniciou com 4-3-1-2, agora usa 4-4-2 e, às vezes, alterna para 4-3-3) e colocou jogadores em funções que nem eles pensavam. Sem um centroavante pela saída de Karim Benzema? Tudo bem, Vini e Rodrygo serão dupla de ataque e Bellingham jogará logo atrás deles. Todos os zagueiros lesionados? Hora de testar Tchouaméni e Carvajal na zaga – o francês pareceu muito a vontade por lá.

Como um ótimo gestor de grupo – além de ser muito competente taticamente -, ele contou que o processo para convencer os atletas a exercerem funções não se trata de forçá-los, muito pelo contrário, e sim pautado na conversa.

– Convencê-los é muito importante, mas você deve considerar se conseguirá fazê-lo. O jogador é muito claro, quando você fala com ele você entende se ele quer ou não. Quase todo mundo me disse que não tem problema. Não coloco se não quiserem, nem coloco uma estratégia que não lhes agrada… Convencer sim, forçar não – revelou na última semana.

Mesmo com tudo isso manteve a competitividade, lidera o Campeonato Espanhol e é um dos candidatos, ao lado do Manchester City, ao título da Champions League. Já conquistou a Supercopa da Espanha em cima do rival Barcelona e a sensação de La Liga, o Girona, duas vezes, resultados que encaminharam o título nacional. Se terminará com a Orelhuda, não sabemos, mas é um dos grandes trabalhos da longa carreira de Ancelotti.

Prováveis escalações para Real Madrid x Sevilla

Real Madrid: Lunin; Lucas Vázquez, Rudiger, Nacho Fernández e Mendy; Kroos, Tchouaméni, Fede Valverde e Brahim Díaz; Vinicius Júnior e Rodrygo.

Sevilla: Nyland; Navas, Badé, Sergio Ramos e Acuña; Sow, Soumaré, Torres e Ocampos (Salas); En-Nesyri e Romero.

Foto de Carlos Vinicius Amorim

Carlos Vinicius Amorim

Carlos Vinicius é nascido e criado em São Paulo e jornalista formado pela Universidade Paulista (UNIP). Escreveu sobre futebol nacional e internacional no Yahoo e na Premier League Brasil, além de eSports no The Clutch. Além disso, atuou como assessor de imprensa no setor público e privado.
Botão Voltar ao topo