AlemanhaEspanhaEuropaFrançaInglaterraItália

Estudo revela PSG como maior folha salarial do esporte mundial, mas clube jura que é mentira

Se a bela capital francesa é um forte atrativo para que os craques se juntem ao Paris Saint-Germain, o dinheiro segue sendo talvez o maior fator mesmo. Um estudo da Sporting Intelligence, encomendado pela ESPN, mostrou que o clube parisiense é a agremiação esportiva cujos jogadores têm a maior média salarial anual, à frente de potências dos esportes americanos e de outros clubes de futebol. E o crescimento dos montantes gastos pelo xeque tem sido exponencial. Um ano antes, a equipe seria apenas a 10ª no ranking.

VEJA TAMBÉM: Nada de Copas: conheça a maior glória clubística de Roger Milla, desbancando Platini

A liga com os jogadores donos da maior média de salários é a NBA, mas quem domina a ponta do ranking são mesmo os clubes de futebol, em oito das dez primeiras colocações do ranking. Os quatro primeiros lugares são deles, aliás. Em primeiro lugar, o PSG gasta, anualmente, uma média de US$ 9,1 milhões com salários a seus jogadores, seguido por Real Madrid (US$ 8,64 milhões), Manchester City (US$8,6 milhões) e Barcelona (US$ 8,1 milhões). Os “intrusos” do top 10 são o Los Angeles Dodgers (5º), e o New York Yankees (9º), ambas equipes de beisebol.

Junto com o relatório, que corresponde à temporada 2013/14, Nick Harris, responsável por compilar a pesquisa, teceu alguns comentários, chamando a atenção para o fato de que o PSG aparece pela primeira vez no ranking pelo ganho de relevância da Ligue 1. Segundo ele, na lista de 2013, por exemplo, os parisienses ocupariam apenas o 67º lugar.

Ao todo, 333 times de 17 ligas profissionais, abrangendo sete diferentes esportes em 13 países, foram incluídos no cálculo. Um total de 9731 atletas que, juntos, recebem US$ 17,94 bilhões por ano.

A pesquisa serviu também para reforçar em números a compreensão que todos já tinham de que, com a chegada do dinheiro árabe, se criou um grande abismo entre os times na Ligue 1. A folha salarial do PSG, por exemplo, é 20 vezes maior que a do Guingamp, campeão da Copa da França de 2013/14 e dono da menor folha salarial da liga francesa. A Inglaterra, que é a mais representada das competições de futebol, tem uma diferença sensivelmente menor, com o Manchester City tendo que pagar “apenas” cinco vezes mais que o Crystal Palace, último neste quesito na Premier League.

Diferença entre os melhores e piores pagos nas ligas
Diferença entre os melhores e piores pagos nas ligas (Guardian)

Como têm uma liga mais rentável que a francesa, os ingleses, de todos os níveis, têm condições de oferecer melhores salários. Algo que só se exacerbará com o novo acordo de direitos de TV – e que justifica a reclamação do presidente do francês Saint-Étienne de que o Campeonato Inglês se tornaria a “NBA do futebol”.

Nesta mesma quarta-feira, data de divulgação do estudo, o Paris Saint-Germain escreveu uma nota curta em seu site oficial, afirmando que os números apresentados pela Sporting Intelligence estão incorretos. “Paris nem sempre é o número um”, diz o título do post, que nega as informações do estudo, mas sem apresentar seus próprios dados. “Embora tenha vencido a Ligue 1 pelo terceiro ano consecutivo, o clube ainda não está no topo das marcas esportivas globais em termos de salários. Ao contrário da hierarquia estabelecida no estudo recente da Sporting Intelligence para a ESPN, o Paris Saint-Germain sequer está no top 5 deste ranking”, diz trecho do comunicado.

A resposta do PSG pode ser até um receio da percepção que o estudo pode causar e de suas consequências na rigidez das regras de fair play financeiro sobre o clube parisiense. De qualquer forma, a questão é uma preocupação, afinal toda a liga francesa precisa crescer para que o campeonato se torne atraente para emissoras de TV, aumentando a receita geral com direitos de transmissão e, consequentemente, ampliando as possibilidades de gastança do clube. Hoje, a diferença de 20 vezes entre os tricampeões e o Guingamp, por exemplo, é um sinal de que já está na hora de se concentrar nisso.

Top 10 de clubes de futebol:

PSG: US$9,1 milhões

Real Madrid: US$8,64 milhões

Manchester City: US$8,6 milhões

Barcelona: US$ 8,1 milhões

Manchester United: US$ 8 milhões

Bayern de Munique: US$ 7,7 milhões

Chelsea: US$ 7,5 milhões

Arsenal: US$ 7 milhões

Liverpool: US$ 6 milhões

Juventus: US$ 4,9 milhões

Tottenham: US$ 4,8 milhões

Veja a lista completa com clubes de todos os esportes na matéria da ESPN Magazine

Mostrar mais

Leo Escudeiro

Apaixonado pela estética em torno do futebol tanto quanto pelo esporte em si. Formado em jornalismo pela Cásper Líbero, com pós-graduação em futebol pela Universidade Trivela (alerta de piada, não temos curso). Respeita o passado do esporte, mas quer é saber do futuro (“interesse eterno pelo futebol moderno!”).

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo