Copa do Rei

Perfeito nos pênaltis, Mallorca elimina Real Sociedad e garante vaga na final da Copa do Rei

Com excelente atuação do goleiro eslovaco Dominik Greif, Mallorca segura Real Sociedad no Anoeta, vence nos pênaltis e aguarda adversário na decisão

Depois do empate sem gols na partida de ida, Real Sociedad x Mallorca voltaram a medir forças nesta terça-feira (27), dessa vez no Estádio Anoeta, casa da equipe do País Basco. E novamente empataram. O 1 a 1 persistiu no tempo regulamentar e prorrogação, e a semifinal da Copa do Rei teve de ser decidida nos pênaltis. Perfeito na marca da cal, o time visitante não errou sequer uma cobrança, contou com a estrela do goleiro eslovaco Dominik Greif e carimbou passaporte rumo à decisão.

O adversário do sairá do confronto entre Athletic Bilbao x Atlético de Madrid. O clube basco venceu o embate de ida, fora de seus domínios, e agora recebe os Colchoneros no San Mamés. A bola rola a partir das 17h30 (horário de Brasília) desta quinta-feira (29).

Real Sociedad tem posse de bola estéril, descola pênalti em erro de Valjent e desperdiça cobrança com Brais Méndez

A Real Sociedad mostrou nervosismo e ansiedade nos primeiros minutos de jogo. Os donos da casa sofreram forte blitz do Mallorca e não conseguiam fluência na saída de bola, já que a equipe visitante fechava bem os espaços e marcava forte. Porém, tal cenário não demorou muito a mudar. O time mandante colocou a bola no chão e, empurrado por sua apaixonada e fervorosa torcida, passou a controlar as ações em campo. Mas faltava acertar o último passe e o principal: chutar para gol.

Apesar da Real Sociedad ter mais a bola, foi o Mallorca quem finalizou pela primeira vez na partida. Aos 12′, Dani Rodríguez recebeu em liberdade e, de fora da área, experimentou arremate cruzado, que passou à esquerda da meta defendida por Álex Remiro. Somente aos 28′, Zakharyan, na mesma moeda, respondeu. O camisa 12 foi acionado por Javi Galán e disparou chute forte, mas no meio do gol, facilitando a vida de Dominik Greif, que encaixou sem dar rebote.

O Mallorca optou por uma postura reativa. Atento, observava a Real Sociedad trocar passes, subia a marcação quando julgava necessário e explorava os erros do adversário. Estratégia que deu certo até os 44′, quando em erro infantil, cometeu pênalti. Kubo descolou bom passe para Zubimendi, que invadiu a área, levantou a cabeça e cruzou. A bola explodiu no braço aberto de Martin Valjent e bloqueou a trajetória. Penalidade máxima, assinalada no ato pelo árbitro. Brais Méndez cobrou e… perdeu. Com os pés, Greif defendeu o chute no meio do gol e impediu que a Real Sociedad abrisse o placar.

Definitivamente não foi um bom primeiro tempo dos bascos. Mais do que o pênalti desperdiçado, a Real Sociedad decepcionou seu torcedor pela postura nos 45′ iniciais. Controlou a posse da bola, é verdade. No entanto, foi só isso. Os comandados de Imanol Alguacil, como citado, pecaram em dois quesitos: falta de capricho no terço final de campo e inoperância ofensiva. Afinal, Greif só trabalhou mesmo na cobrança de Méndez.

Mallorca abre o placar, mas Sociedad busca empate e força prorrogação

Veio o segundo tempo e a configuração do jogo se manteve a mesma da etapa inicial. A Real Sociedad novamente tinha a bola, contudo não sabia o que fazer com ela. Melhor para o Mallorca, que em seu primeiro ataque, abriu o placar. Aos 4′, em boa trama ofensiva pelo lado esquerdo, Jaume Costa cruzou na cabeça de Giovanni González. O lateral-direito apareceu como elemento surpresa na área, testou consciente e estufou as redes.

Baqueada após o gol sofrido, a Real Sociedad se viu obrigada a aumentar a intensidade e encurralar o Mallorca. E foi o que ela fez. Ou ao menos tentou fazer. Com 10′ no relógio, Javi Galán arriscou duas vezes de fora da área. No primeiro chute, acabou bloqueado pela defesa. Já no segundo, mandou por cima da baliza. A pressão continuou e surtiu efeito aos 25′. Oyarzabal, que havia entrado em campo poucos minutos antes, conseguiu infiltrar na defesa adversária, recebeu passe açucarado de Méndez e chutou cruzado, no cantinho de Greif, que dessa vez nada pôde fazer.

A torcida da casa foi à loucura com o gol de Oyarzabal e aumentou o volume nas arquibancadas. O Anoeta virou um verdadeiro pandemônio e o Mallorca acusou o golpe. Aos 33′, Sheraldo Becker por pouco não virou a partida. O atacante surinamês partiu para cima da marcação, clareou a jogada e finalizou cruzado, obrigando Greif a fazer defesa providencial. E terminou assim o tempo regulamentar. O empate persistiu no placar e a semifinal se encaminhou para prorrogação.

Samuel Costa salva o Mallorca na prorrogação e garante disputa de pênaltis

Empurrada por seus adeptos, a Real Sociedad partiu para cima no primeiro tempo da prorrogação e teve oportunidade clara de marcar aos 5′. Após cruzamento na área, Merino cabeceou e Samuel Costa salvou em cima da linha. No rebote, Kieran Tierney soltou a bomba e Samuel Costa, mais uma vez, estava lá para salvar. A bola explodiu no ombro do meio-campista português e incrivelmente não entrou. O lance gerou muita confusão. Jogadores do clube basco protestaram contra o árbitro e garantiram que ela ultrapassou a linha. No entanto, o VAR checou a jogada e manteve a marcação de campo.

No quarto e último tempo do jogo, Real Sociedad e Mallorca trocaram ataques. Com as defesas já desgastadas fisicamente, os espaços apareceram e os homens de frente buscaram se aproveitar disso. Porém, não obtiveram sucesso e o 1 a 1 permaneceu intacto. Assim, teríamos decisão por pênaltis.

Mallorca é perfeito na disputa de pênaltis e garante vaga na final

Encarregado de abrir a disputa, Oyarzabal parou em defesa de Greif e arrefeceu o Anoeta. O bósnio Muriqi converteu sua cobrança e colocou o Mallorca na frente. Posteriormente, Turrientes fez o primeiro da Real Sociedad. Morlanes, contudo, não tremeu na marca da cal e manteve a vantagem dos visitantes.

Frio, Olasagasti cobrou firme e arrancou suspiros de alívio das arquibancadas. Entretanto, Mascarell deslocou Remiro na sequência e fez o terceiro do Mallorca. Na quarta cobrança, Zubimendi também converteu. Sempre com uma resposta imediata, os visitantes foram às redes com Radonjic.

Sob pressão, Becker não podia errar o quinto pênalti. E não errou. Optou por uma porrada forte na bochecha da rede e passou toda responsabilidade para as costas de Darder. O camisa 10 do Mallorca não se importou. Com olhar compenetrado, estufou as redes de Remiro e colocou os Piratas na decisão da Copa do Rei.

Estatísticas de Real Sociedad 1 (4) x (5) 1 Mallorca – Copa do Rei 2023/24

  • Posse de bola: 62% x 38%
  • Faltas: 10 x 20
  • Finalizações: 26 x 6
  • Finalizações no gol: 9 x 1
Foto de Guilherme Calvano

Guilherme Calvano

Apaixonado por futebol, uniu o amor pelo esporte mais popular do mundo ao jornalismo. Carioca da gema e grande entusiasta da Premier League, cobriu o Flamengo no Coluna do Fla e o Chelsea no Blues of Stamford. Na música, vai de Post Malone a Armandinho. Eclético assim como na área técnica. Afinal, Guardiola e Mourinho são suas referências.
Botão Voltar ao topo