Copa do Rei

Em noite apagada de Griezmann, Depay brilha e Atlético de Madrid despacha Sevilla da Copa do Rei

Com a benção de Simeone, Memphis Depay sai do banco e dá a vitória ao Atlético de Madrid na reta final do segundo tempo

O cenário era todo favorável ao Atlético de Madrid nesta quinta-feira (25): bom momento na temporada, Metropolitano lotado e pulsando e Sevilla mergulhado na crise. Sem dar sopa para o azar, os Colchoneros confirmaram o favoritismo em casa, venceram por 1 a 0 e garantiram vaga na semifinal da Copa do Rei. Mas engana-se quem acha que foi fácil. Pelo contrário. A equipe de Diego Simeone suou e conquistou o triunfo somente na reta final do segundo tempo. Memphis Depay marcou o único gol da partida.

Eis os classificados para a semifinal da Copa do Rei: Atlético de Madrid, Athletic Bilbao, Real Sociedad e Mallorca.

Como foi a vitória do Atlético sobre o Sevilla

Empurrado por um Metropolitano lotado e animado com a boa fase do clube, o Atlético de Madrid tomou a iniciativa em campo. Aos quatro minutos, Koke aproveitou brecha no lado esquerdo da defesa do Sevilla, levantou a cabeça e cruzou na direção de Morata. O atacante espanhol soube se desvencilhar da marcação, mas no momento da finalização, testou desequilibrado e facilitou a vida do goleiro Nyland. A resposta blanquirroja foi imediata. Aos 10′, em cobrança de falta, Óliver Torres cruzou na área, Sergio Ramos fez o trabalho de pivô e escorou para Isaac Romero. De primeira, o camisa 20 soltou a bomba, mas graças a um desvio no meio do caminho, a bola subiu e passou por cima da meta defendida por Oblak.

Apesar da boa e surpreendente postura do Sevilla em campo, o Atlético não abriu mão da posse de bola e do controle das ações. Aos 24′, Molina fez bonita jogada individual pelo lado direito, tabelou com Griezmann e acabou calçado por Marcão dentro da área. Pênalti. Griezmann partiu para cobrança e… isolou. O camisa 7 escorregou no momento do arremate e mandou muito longe do gol. Acontece, inclusive com os melhores… Na área técnica, Simeone não escondeu a frustração, mas (como de praxe) seguiu incentivando seus jogadores após o erro do atacante francês.

O pênalti desperdiçado por Griezmann não abalou a confiança do Atlético, que continuou pressionando o Sevilla em busca do primeiro gol. Com 39′ no relógio, De Paul cobrou falta com perigo, por cima do travessão. A equipe visitante, por sua vez, fazia partida correta na defesa, porém pouco produzia ofensivamente. Durante todo o primeiro tempo, Oblak praticamente não trabalhou.

Veio a etapa complementar, e o Atlético permaneceu no campo de ataque, encurralando o Sevilla. Aos sete minutos, após a defesa blanquirroja afastar cobrança de lateral na área, a bola sobrou para De Paul, que não titubeou e cavou na direção de Griezmann. O atacante francês se esticou todo, conseguiu desvio acrobático e tirou tinta da trave. Na jogada seguinte, mais Colchoneros. Samuel Lino avançou pelo lado esquerdo, entortou Jesús Navas e soltou a bomba, obrigando Nyland a fazer boa defesa.

Aos 14′, finalmente o Atlético balançou as redes, mas o gol foi anulado. Em cruzamento vindo da esquerda, Morata escorou e deixou Griezmann na boa para finalizar. Dito e feito. Sem deixar a bola cair, o camisa 7, que estava em posição irregular, acertou arremate forte, no canto de Nyland. Conforme o tempo passava, o Sevilla gostava mais do jogo, afinal o 0 a 0 se mantinha no placar. Aos 18′, Sow apareceu como elemento surpresa na área, cruzou para trás e encontrou Marcão. Livre de marcação, o zagueiro experimentou chute de primeira e parou em Oblak, que encaixou sem dar rebote.

A reta final do jogo foi marcada por tensão e nervosismo no lado dos mandantes. Superior desde o primeiro tempo, o Atlético pecava no último passe e não conseguia abrir o placar. E o embate parecia se encaminhar para prorrogação. Só parecia. Aos 33′, a estrela de Simeone falou mais alto, já que os dois jogadores lançados pelo técnico argentino no segundo tempo foram os responsáveis pelo gol da vitória. Ángel Correa fez um salseiro no lado direito, deixou Marcão na saudade e cruzou para Memphis Depay dentro da área. O atacante holandês se esticou e com um toque sutil, colocou os Colchoneros na semifinal.

No apagar das luzes, o resiliente Sevilla ainda descolou um pênalti. Pablo Barrios deu carrinho em Lamela e o árbitro apontou para marca da cal. Entretanto, após checagem no VAR, a marcação foi anulada e o Atlético pôde comemorar a suada e sofrida classificação.

Estatísticas de Atlético de Madrid 1 x 0 Sevilla – Copa do Rei 2023/24

  • Posse de bola: 58% x 42%
  • Faltas: 15 x 13
  • Finalizações: 11 x 6
  • Finalizações no gol: 5 x 1
Foto de Guilherme Calvano

Guilherme Calvano

Jornalista pela UNESA, nascido e criado no Rio de Janeiro. Cobriu o Flamengo no Coluna do Fla e o Chelsea no Blues of Stamford. Na Trivela, é redator e escreve sobre futebol brasileiro e internacional.
Botão Voltar ao topo