Copa do MundoMLS

MLS critica falta de voz de ligas e clubes sobre proposta da Fifa de Copa do Mundo a cada dois anos

Don Garber, comissionário da MLS, diz que falta representação das ligas e clubes no Conselho da Fifa, porque são eles os maiores afetados por mudanças no calendário

O comissionário da MLS, Don Garber, criticou nesta quinta-feira a falta de representatividade de ligas e clubes no processo de decisão da Fifa sobre a Copa do Mundo a cada dois anos. Para o dirigente, são essas duas partes as maiores afetadas por mudanças grandes no calendário e deveriam ter mais peso nas discussões e decisões desse tipo.

LEIA TAMBÉM:
Claro que Klopp é contra Copa do Mundo a cada dois anos: “É tudo sobre dinheiro”
Guardiola: “Como torcedor, eu gosto de ver a Copa do Mundo e, se houver uma a cada dois anos, seria bom”
Ligas femininas da Europa se posicionam contra Copa do Mundo bienal: “Prejudicial ao desenvolvimento do futebol feminino”

A Fifa quer uma Copa do Mundo a cada dois anos, uma medida que tem como pano de fundo motivos econômicos e políticos. A principal voz da proposta da Fifa é Arsène Wenger, que se tornou funcionário da entidade e tem liderado a campanha de relações públicas para convencer o mundo que é uma boa ideia. As reações, porém, não têm sido das melhores. A Uefa é contra e ameaçou até dizendo que a Europa não jogaria a competição. A outra confederação que tem campeões do mundo, a Conmebol, também se manifestou contra a ideia. Parceira comercial e esportiva da Fifa, a Adidas foi outa a se posicionar contrária à ideia.

“No fim das contas, nós não temos realmente um voto”, disse Garber ao participar do Business of Sport US Summit, promovido pelo Financial Times, citado pela ESPN. “Não há representantes das ligas no Conselho da Fifa, não há representantes dos clubes”.

“As partes interessadas que são realmente afetadas pelas decisões que seriam tomadas aqui não têm uma palavra real além de serem comunicadas se isso é ou não algo que apoiaria o investimento que estamos fazendo nesses jogadores”, afirmou Garber. “No momento, eles estão em um estágio de coleta de fatos, não disseram que farão isso… Eles querem a opinião das partes interessadas”.

“Nossa esperança é que essas várias partes interessadas que são afetadas por essa mudança, caso decidam fazer isso, estejam em posição de realmente avaliar se isso se tornará uma decisão formal em noma da Fifa e seu conselho”, analisou o dirigente.

Como a Uefa já ameaçou até não participar da Copa a cada dois anos, caso ela seja aprovada, Garber foi perguntado se ele planejava alguma ação similar por parte da MLS. “É prematuro tomar esse caminho. Neste momento, estamos coletivamente, como esporte, globalmente, em uma fase de tentar entender qual é a lógica da Fifa”, respondeu.

Mostrar mais

Felipe Lobo

Formado em Comunicação e Multimeios na PUC-SP e Jornalismo pela USP, encontrou no jornalismo a melhor forma de unir duas paixões: futebol e escrever. Acha que é um grande técnico no Football Manager e se apaixonou por futebol italiano (Forza Inter!) desde as transmissões da Band. Saiu da posição de leitor para trabalhar na Trivela em 2009.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo