Copa do Mundo

Granqvist, capitão da Suécia, ressalta coletivo e avalia: “Nós podemos vencer qualquer um”

A Suécia está nas quartas de final da Copa do Mundo pela primeira vez desde 1994, quando esteve no grupo do Brasil e avançou até ser derrubado pela própria Seleção na semifinal. Desta vez, o time esteve no grupo de outra grande campeã do mundo, a Alemanha. E vai trilhando um caminho de sucesso até aqui. Os suecos venceram a Suíça nas oitavas de final por 1 a 0 e enfrentarão a Inglaterra nas quartas de final, no próximo sábado.

LEIA TAMBÉM: Não sei se você já se ligou, mas a camisa da Suécia também é bem pesada

“A Suíça é muito forte. Eles são número seis no mundo [no ranking da Fifa]. Nós tivemos um bom plano de jogo. Nós jogamos bem, nós criamos muitas chances de vencer. Certamente nós tivemos mais chances que eles. Eu estou muito orgulhoso deste time e estou ansioso pelas quartas de final”, declarou o capitão sueco.

A Suécia veio de um grupo difícil das Eliminatórias, com a badalada França e a tradicional Holanda. E conseguiu ficar à frente dos holandeses, depois, na repescagem, derrubou a tetracampeã Itália, em dois jogos. Na Copa, caiu no grupo com Alemanha, México e Coreia do Sul. Deixou todos para trás ao ficar em primeiro lugar.

“Nós temos um bom time, nós somos fortes. Eu acho que nós podemos vencer qualquer um. Nós temos que jogar no mesmo nível que hoje e então nós iremos ver quem nós iremos enfrentar”, declarou o zagueiro e capitão sueco, de 33 anos.

Sem uma grande estrela no elenco, o meia Emil Forsberg, que veste a camisa 10 que era de Zlatan Ibrahimovic, é apontado como a próxima grande estrela do futebol sueco. Aos 26 anos, o jogador do RB Leipzig tem sido um dos melhores da Suécia na Copa da Rússia. Granqvist, porém, ressalta o espírito coletivo que a Suécia conseguiu ter sob o comando de Janne Andersson.

“Quando Andersson chegou, nós perdemos muitos grandes nomes. Nós tivemos que começar do início e desde os primeiros dias nós tivemos que fazer isso como um time. Não dois, três ou quatro jogadores”, ressaltou o jogador que herdou a braçadeira de capitão de Ibrahimovic, a grande estrela sueca até a Eurocopa de 2016.

“Nós precisamos de todo mundo, 23 jogadores. Nós trabalhamos realmente duro. Nós mostramos que realmente lutamos um pelo outro, nós ajudamos um ao outro e nós fazemos isso como coletivo. Essa é a força da Suécia no momento. Além disso, temos bons jogadores, jogadores habilidosos. Eu estou muito feliz”, disse Granqvist.

Suécia x Inglaterra
Sábado, 7 de julho, 11h (horário de Brasília), em Samara
Na TV: Globo, SporTV, Fox Sports

Mostrar mais

Felipe Lobo

Formado em Comunicação e Multimeios na PUC-SP e Jornalismo pela USP, encontrou no jornalismo a melhor forma de unir duas paixões: futebol e escrever. Acha que é um grande técnico no Football Manager e se apaixonou por futebol italiano (Forza Inter!) desde as transmissões da Band. Saiu da posição de leitor para trabalhar na Trivela em 2009.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo