Concacaf

Os jogos de ida nas quartas da Concachampions tiveram grandes vitórias da MLS e deixaram a situação complicada para a maioria dos mexicanos

Sounders e Revolution fizeram 3 a 0 em León e Pumas, respectivamente, enquanto o Cruz Azul pelo menos venceu o Montréal

Ano após ano, o México renova seu reinado na Concachampions. O país levou todos os títulos do torneio desde 2006. Porém, depois dos jogos de ida das quartas de final, vai ser mais difícil para os clubes mexicanos permanecerem como maioria na próxima fase. Seattle Sounders e New England Revolution conquistaram vitórias elásticas por 3 a 0 contra León e Pumas UNAM, respectivamente, largando em ótimas condições para buscar as semifinais. O único triunfo dos representantes da Liga MX foi do Cruz Azul, que conseguiu o 1 a 0 magro diante do Montréal e precisará decidir a vaga no Canadá.

Quatro times do México entram na Concachampions. O Santos Laguna não passou das oitavas de final, ao ser batido pelo Montréal. Enquanto isso, as classificações de Cruz Azul, Pumas UNAM e León não aconteceram contra times da MLS. Os americanos também possuem quatro equipes, mas a liga em si costuma ganhar uma vaga de lambuja do Canadá, ocupada desta vez pelo Montréal. Dos cinco representantes da MLS, apenas o Colorado Rapids fracassou nas oitavas, diante do Comunicaciones. Seattle Sounders, New England Revolution e New York City passaram, além do mencionado Montréal.

As quartas de final começaram com o New York City reduzindo as chances de zebra. Se o Comunicaciones tinha sido algoz do Colorado Rapids, os celestes venceram por 3 a 1 a ida em casa. De cabeça, Valentín Castellanos abriu o placar para os atuais campeões da MLS e Manuel Gamboa até empatou no segundo tempo. Contudo, a resposta seria imediata. Castellanos deu um lindo passe por elevação para a pancada de Maxi Moralez e Santiago Rodríguez fechou a conta com mais uma assistência de Castellanos. No fim, o NYCFC ainda deu sorte quando os guatemaltecos carimbaram a trave.

Bem mais contundente seria o triunfo do Seattle Sounders para cima do León. O clube do noroeste americano emplacou uma vitória por 3 a 0 no Lumen Field. Fredy Montero marcou os dois primeiros gols dos anfitriões no primeiro tempo. Inaugurou a contagem de pênalti e depois foi oportunista dentro da área. Na base dos contra-ataques, os americanos seguiram pressionando bem mais e desperdiçaram várias chances. Já nos acréscimos da segunda etapa, Jordan Morris fechou a conta e deixou a situação bem cômoda aos Sounders.

Melhor time da temporada regular da MLS passada, o New England Revolution repetiu a dose contra o Pumas UNAM nesta quarta. A equipe de Massachusetts também aplicou um 3 a 0 sobre os felinos. Sebastian Lletget assinalou o primeiro tento aos 19 minutos, com uma linda troca de passes, apesar do campo prejudicado pela neve no Estádio Gillette. O nome da segunda etapa seria Adam Buksa, que ampliou aos 27 e faria mais um já aos 47, em dois lances com muito espaço na área. Antes disso, o Revolution tinha mandado ainda bola na trave.

Por fim, apenas o Cruz Azul manteve a honra dos mexicanos, dentro do Estádio Azteca. O Montréal impunha respeito, depois de despachar o Santos Laguna, mas os Cementeros conseguiram ganhar por 1 a 0. O gol decisivo surgiu logo aos 20 minutos, com Uriel Antuna punindo um erro da defesa canadense, que bateu cabeça e deixou o adversário com uma avenida pela frente do lado direito. O placar, no fim das contas, ficou barato pela quantidade de chances criadas pelos azuis.

Vale frisar que a regra dos gols fora ainda vale na Concachampions. Assim, um gol de Sounders ou Revolution no México obrigará que seus adversários marquem pelo menos cinco. De certa maneira, os atuais representantes mexicanos não são os mais experientes na competição. Apenas o Cruz Azul foi campeão na última década, em 2014, com forças como Monterrey, América, Pachuca e Tigres ausentes dessa vez. O Pumas não leva a taça desde 1989, enquanto o León no máximo foi vice em 1993.

A volta permite viradas e elas aconteceram em bons números nos últimos anos, mas não se nega o cenário bastante desfavorável ao México nesse momento. A última vez que apenas um mexicano avançou às semifinais aconteceu em 2014/15. O América, apesar disso, levantou o troféu.

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo