Concacaf

O León buscou a reviravolta contra o Tigres e disputará pela primeira vez a final da Concachampions

Depois de perder a ida fora, o León garantiu o resultado em casa e vai medir forças com o Los Angeles FC na finalíssima

O México tentará resgatar sua hegemonia na Concachampions com um representante inédito na decisão de 2023. O León passou pelo Tigres nas semifinais e vai encarar o Los Angeles FC pelo troféu continental da Concacaf. Os esmeraldas tinham perdido o jogaço de ida por 2 a 1 no Estádio Universitario, de virada, mas fizeram valer sua superioridade no Nou Camp e ganharam por 3 a 1 a volta, que valeu a classificação. Apesar da falta de experiência na Concachampions, La Fiera vem de boas campanhas recentes no Campeonato Mexicano e também de um troféu na Copa das Ligas, torneio realizado em conjunto pela Liga MX e pela MLS. Agora, o clube estrará numa final de Concachampions e tentará recuperar a dinastia de seu país.

Depois do jogo alucinante que aconteceu em Nuevo León, o ritmo do duelo no Nou Camp seria mais baixo. No entanto, o León provou sua superioridade diante de sua torcida. O primeiro tempo teve amplo domínio dos esmeraldas e um placar favorável para a classificação. Fidel Ambríz abriu a contagem aos dez minutos, com um chutaço de fora da área que entrou no cantinho. Cinco minutos depois, Ángel Mena ampliou num rebote. O Tigres sequer finalizou no restante do primeiro tempo, embora André-Pierre Gignac tenha sido travado na chance de abrir o placar ainda aos três minutos.

O Tigres cresceu no segundo tempo e descontou aos 23 minutos, com um golaço de Raymundo Fulgencio. Cortou a marcação e soltou um petardo no alto da meta. Porém, o León se provou mais time e garantiu a classificação direta aos 34 minutos. Depois de um escanteio, a bola sobrou limpa no segundo pau com Adonís Frías, que não perdoou. Os auriazuis ainda precisavam somente de um gol, com a regra dos gols fora, mas não assustaram muito na pressão final.

Curiosamente, o León já foi vice-campeão da Concachampions, mas nunca disputou uma final. A melhor campanha de La Fiera até então aconteceu em 1993, época na qual o torneio tinha um quadrangular decisivo para definir o título. Os esmeraldas competiram com Saprissa, Robinhood e Municipal. Deixaram o troféu escapar no saldo de gols, com dois empates e uma vitória. Na rodada decisiva, os mexicanos só precisavam derrotar o Municipal na Guatemala e ficaram no 0 a 0 com os anfitriões. Enquanto isso, o Saprissa tinha que vencer o Robinhood por mais de quatro gols de diferença e goleou os surinameses por 9 a 1, o que valeu o título inédito para os costarriquenhos. Depois disso, o León sequer pegou semifinais, mesmo na fase moderna da competição.

O Los Angeles FC chega embalado e possui um histórico recente em decisões da Concachampoons. Os californianos perderam o troféu exatamente para o Tigres em 2020. Não terão a chance de revanche, mas parecem qualificados o suficiente para manter a série de títulos da MLS iniciada pelo Seattle Sounders na última temporada. Ao León, cabe a responsabilidade de resgatar a soberania mexicana. É um bom elenco, com figuras como Ángel Mena, William Tesillo, Joel Campbell, Byron Castillo, Lucas Romero e Rodolfo Cota. Todavia, também haverá um ineditismo a se quebrar.

Foto de Leandro Stein

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreveu na Trivela de abril de 2010 a novembro de 2023.
Botão Voltar ao topo