Brasil

‘É outro Vasco’: Emiliano Díaz tenta esquecer problemas e focar no Brasileiro

Auxiliar técnico do Vasco, Emiliano Díaz pediu para esquecerem 2023 e falou sobre a saída do diretor de futebol Alexandre Mattos

O Vasco quer esquecer o que passou em 2023. Em preparação para o Campeonato Brasileiro, depois da eliminação no Campeonato Carioca, o auxiliar técnico Emiliano Diaz conversou com a imprensa após o treino desta segunda-feira (25). E o argentino, filho do treinador Ramón Diaz, não gostou de uma das perguntas durante a coletiva, quando foi questionando sobre a “inter-temporada” que o clube vive entre o Estadual e o Brasileiro, situação que também aconteceu em 2023.

Para Emiliano Díaz, o que passou no último ano, com luta contra o rebaixamento até a última rodada do Campeonato Brasileiro, é passado. Agora, para ele, a situação é outra e até mesmo o clube já mudou depois disso.

— Estão sempre com as mesmas perguntas comparando o que aconteceu o ano passado com esse ano. É outro Vasco, é outro Vasco. Não podemos sempre falar sobre o que aconteceu no ano passado, acabou essa parte. Temos outro time, outra estrutura, o Vasco está crescendo. Não é porque aconteceu no ano passado que vai acontecer nesse ano também, não é assim. Estamos cansados disso – afirmou Emiliano Díaz, antes de lembrar da superação do trauma das recentes eliminações na Copa Brasil.

— Quando jogamos na Copa do Brasil, também ouvimos que ia acontecer o que aconteceu no ano passado. Não, não aconteceu. Então temos que deixar isso um pouco – completou o auxiliar técnico.

Emiliano Díaz também reconheceu que o clube e o time ainda precisam evoluir. E, apesar de pedir para esquecerem o que passou, o auxiliar técnico relembrou a eliminação para o Nova Iguaçu, no Campeonato Carioca, para chamar a responsabilidade por essa mudança na equipe.

— Temos que melhorar um monte de coisa, estamos melhorando aos poucos. Acho que (o tempo sem jogos) é produtivo para a parte física e afinar um par de coisas que queremos. Esperamos arrancar bem no Brasileirão, estamos muito confiantes. Mas o que vai acontecer não nos atormenta, porque vamos errar outra vez, é normal errar. Não justifica o que aconteceu outro dia. Nós, como comissão técnica, achamos que foi uma das piores coisas que fizemos, estamos muito doídos com isso. E temos que botar a cara quando erramos. É assim – disse Emiliano Díaz.

Emiliano Díaz evita falar de Alexandre Mattos

Na última semana, o Vasco passou por uma certa turbulência. Além da eliminação no Campeonato Carioca, o Cruz-Maltino demitiu o diretor de futebol Alexandre Mattos. Nos seus cem dias do Vasco, Mattos teve um desentendimento com a comissão técnica, mas que já estava apaziguado no momento da demissão. Nesta segunda, Emiliano Diaz desconversou sobre o ex-dirigente do clube.

— O que aconteceu com Alexandre… Tudo que tinha que falar eu falei internamente, não vou falar nada sobre o que aconteceu. Mas internamente vamos continuar trabalhando, temos que seguir adiante. O Vasco está acima de todos, está acima do Ramón, do diretor… Temos que trabalhar para colocar o Vasco onde merece estar — disse Emiliano Díaz.

Agora, ainda sem um novo diretor de futebol, Emiliano Díaz e a comissão técnica têm trabalhando diretamente com Lúcio Barbosa, CEO do Vasco. E o auxiliar falou sobre a relação com o dirigente.

— Com o Lúcio já temos uma grande relação, é um cara que ama muito o Vasco. Temos uma relação direta tanto com ele quanto com o scout. Queremos o melhor para o Vasco, temos linha direta com o Lúcio e estamos muito confiantes, como disse antes — afirmou o auxiliar técnico.

Agora com essa linha direta com Lúcio Barbosa e a equipe de scout do Vasco, Emiliano Díaz ainda espera por mais reforços no Vasco durante a janela nacional de abril.

— A janela fechou, mas temos uma possibilidade grande. Já estamos trabalhando com o Lúcio, com a equipe do scout, temos opções das quais precisamos e estamos confiantes de que vão chegar — disse Emilano.

Confiança no elenco do Vasco

Ainda que espere por reforços, Emiliano Díaz mostrou confiança no grupo do Vasco para o Campeonato Brasileiro. O auxiliar técnico disse entender a desconfiança da torcida, mas ressaltou a união dos jogadores, voltando a citar o que o Vasco passou em 2023, com a luta contra o rebaixamento no Campeonato Brasileiro.

— Normal a torcida ficar mal, não poderia acontecer o que aconteceu, foi culpa nossa. Mas o grupo está muito fechado. Depois do que vivemos no ano passado, ali passamos dificuldade de verdade. Ganhava, ganhava e não saíamos nunca. Parecia que não podíamos perder, não podíamos empatar. Estamos acostumados com essa dificuldade. Em uma semana ser Guardiola e na outra… E o mesmo acontece com o time, o time está preparado com isso. A união que vemos aqui dentro é uma das coisas mais bonitas que já vivemos nessa profissão. Vivemos tantas dificuldades que não fomos só nos, mas nossas famílias. O grupo está muito unido. Que erremos, que a torcida fique chateada com a gente, mas nós vamos seguir trabalhando e estamos muito unidos. Se temos problemas, resolvemos aqui. Em qualquer família tem isso, somos 30. Com o estafe, somos uns 60, então é normal. Mas tudo se resolve aqui, o Vasco é família. Se sofremos, sofremos juntos. Se desfrutamos, desfrutamos juntos. É assim — finalizou Emiliano.

Foto de Gabriel Rodrigues

Gabriel Rodrigues

Gabriel Rodrigues é jornalista formado pela UFF e soma passagens como repórter e editor de Lance!, Esporte News Mundo e Jogada10.
Botão Voltar ao topo