Brasil

Em vantagem no confronto, Atlético-MG pode ter time mais conservador contra o América-MG

Diferente do primeiro jogo, onde tinha desvantagem, Atlético agora não precisa atacar o América para se classificar

O Atlético-MG encara o América-MG neste domingo (17), pelo segundo jogo da semifinal do Campeonato Mineiro. No primeiro duelo entre eles, o Galo levou a melhor e venceu por 2 a 0, o que lhe dá a vantagem de perder por até um gol de diferença e ainda assim avançar a final. Diante desse cenário, é provável que Felipão faça alterações no esquema, tendo um time mais conservador em campo.

Considerado um treinador mais conservador, Felipão “deu um jeito” no Atlético em 2023 ao colocar dois volantes no time, que ficou mais seguro e melhorou muito defensivamente. Em 2024, o treinador começou da mesma forma, mas, com o passar dos jogos e as dificuldades criativas que o Galo enfrentou contra os times, que sempre jogam mais fechados, ele mudou o time para atuar com apenas um volante (Battaglia). Essa troca, no entanto, pode ser desfeita agora que o time tem a vantagem.

Mudamos por conta do adversário e da dificuldade que tínhamos. Estávamos em desvantagem e tínhamos que propor uma situação, e correr riscos. São adaptações feitas por momento — destacou o treinador após a vitória contra o Coelho.

Com o América precisando vencer por dois ou mais gols de diferença, é evidente que eles vão tentar tomar as ações do jogo no próximo domingo e atacar o Atlético de todas as formas. Diante disso, Felipão deve então mandar a campo um time que consiga segurar esse ímpeto do adversário e aproveitar os contra-ataques.

O treinador já havia adotado essa estratégia no segundo tempo da partida do último sábado, quando o Atlético já estava com a vantagem de 1 a 0 no placar. Ele tirou o jovem Alisson, ponta ofensivo que tem dificuldades na marcação, e colocou o equatoriano Alan Franco, um volante que tem saída para o jogo, mas, principalmente, sabe marcar.

– No jogo de hoje foi estratégico (essa troca), pois quem está atrás vai nos proporcionar mais campo, e foi o que aconteceu. Embora proporcionamos alguma situação na nossa área, tivemos duas ou três oportunidades vivas de gol, que poderíamos ter aumentado o resultado — destacou Scolari.

Respeito ao América

Apesar da vantagem de 2 a 0 bem favorável, Felipão fez questão de pregar respeito ao Coelho: “Espero que entendam que esse América é uma pedra no nosso sapato, tem uma equipe altamente competitiva e boa qualidade. Vencemos uma partida, mas não a classificação”.

A vitória contra o América, inclusive, foi a primeira do treinador em clássicos pelo Atlético. Até então, ele havia empatado três vezes contra o Coelho e perdido outras duas para o Cruzeiro.

As opções de Felipão para um Atlético conservador

Analisando como base o time que foi titular no primeiro confronto, dá para cravar que, do meio para frente, Battaglia, Hulk e Paulinho são certezas no time que iniciará o jogo neste domingo. Scarpa é outro que não deve perder a sua vaga. Diante disso, sobra então Igor Gomes e Alisson para serem sacados (ou não) do time.

Se quiser manter a formação com três atacantes que está tentando implementar no time em 2024, Felipão terá que tirar Igor Gomes do time e colocar Alan Franco, Otávio ou Rubens, fazendo assim uma dupla de volantes com Battaglia, tendo apenas Scarpa como meia de criação.

Se Otávio for o escolhido, Battaglia ganha mais liberdade para atacar quando necessário. Se for Alan Franco, é o equatoriano quem terá mais chances de subir ao ataque, geralmente pelo lado direito. Já se o escolhido for Rubens, que é quem vem pedindo passagem no time há meses, a única diferença para Franco é que ele auxiliaria o time pela esquerda.

A outra opção de Felipão é tirar Alisson do time e montar assim o 11 inicial com dois atacantes (Hulk e Paulinho). Os mesmos jogadores citados anteriormente estão na briga. Nesse caso, parece fazer mais sentido a entrada de Otávio, pois assim ele poderia usar Scarpa de um lado (direito) e Igor Gomes do outro (direito).

Por fim, Scolari pode optar também por tirar os dois citados do time. Otávio ou Franco entrariam na vaga de Alisson e Rubens na de Igor Gomes. Essa é a forma com que o treinador alcançaria o time mais conservador, apesar de Rubens e Franco ajudarem muito no ataque.

Foto de Alecsander Heinrick

Alecsander Heinrick

Alecsander Heinrick se formou em Jornalismo na PUC Minas em 2021. Antes da Trivela, passou por Esporte News Mundo, EstrelaBet e Hoje em Dia.
Botão Voltar ao topo