Brasileirão Série B

Ficou tudo para a última rodada: Juventude e Ponte Preta empatam sem gols no Jaconi

Com resultados paralelos, vitória garantiria acesso do Juventude, mas empate sem gols com a Ponte Preta, que segue na luta contra o rebaixamento, deixa tudo para a última rodada da Série B

Com os outros resultados da penúltima rodada da Série B do Campeonato Brasileiro, uma vitória na tarde deste sábado (18), no Alfredo Jaconi lotado, em Caxias do Sul/RS, bastaria para Juventude garantir o acesso de volta à elite. Porém, o empate sem gols com a Ponte Preta, que segue na briga contra o rebaixamento, deixou a definição para a última rodada.

O Juventude ainda depende apenas de si. Terceiro colocado, agora com 62 pontos, enfrenta o Ceará, no próximo sábado (25), às 17h, no Castelão, em Fortaleza/CE. No mesmo dia e horário, a Ponte Preta, que está em 15º, com 39, recebe o CRB no Moisés Lucarelli, em Campinas/SP.

Gramado do Jaconi fica pesado por conta das fortes chuvas

A principal preocupação antes da partida envolvia os transtornos causados pelas fortes chuvas que caíram desde quinta-feira (16) no Rio Grande do Sul, e que só pararam horas antes do jogo. O prefeito de Caxias do Sul, Adiló Didomenico, decretou situação de emergência, e estragos nas estradas dificultaram a chegada de torcedores à cidade, na Serra Gaúcha. A drenagem do Alfredo Jaconi conseguiu evitar poças d’água, mas o campo ficou pesado, e com locais em que a bola perdia ou ganhava velocidade.

Echaporã é surpresa no Juventude, e Ponte repete escalação

Com as desfalques de Reginaldo e David Da Hora, que não se recuperaram de desconfortos sofridos contra o ABC, na última terça-feira (14), o Juventude iniciou com Dani Bolt na lateral-direita e Tite no ataque. Mas a principal surpresa foi a presença de Echaporã entre os titulares do time de Thiago Carpini, que também não contou com Jadson, suspenso. O ponta, que passou grande parte da temporada se recuperando de grave lesão, iniciou aberto pelo lado esquerdo, com Tite mais da direita para dentro e Gabriel Taliari centralizado.

Na Ponte Preta, o técnico João Brigatti repetiu o time que venceu o Tombense na rodada anterior, há uma semana. Com três volantes, o meia Elvis encostava nos atacantes Jeh, centralizado, e Pablo Dyego, aberto pelo lado esquerdo — o lateral Luiz Felipe dava amplitude pela direita.

Ponte se adapta melhor ao campo e é superior no primeiro tempo

A primeira chegada do jogo foi do Juventude. Aos 3 minutos, em bola esticada por Zé Marcos, Gabriel Taliari cortou a marcação e bateu colocado, no alto. Caíque França deu um tapa na bola, pela linha de fundo. Mas essa foi a única vez em que o Alviverde levou algum perigo no primeiro tempo.

Nervoso, e prejudicado pelo gramado, o Juventude errava demais e não conseguia organizar a saída de bola e os ataques como habitual. Jogadores leves e de condução de bola, Echaporã e Tite perdiam quase todos duelos, e Taliari ficava isolado.

Melhor adaptada ao campo, aos poucos a Ponte cresceu e tomou conta do jogo. Aos 22, Amaral chutou de fora da área, em bola que desviou e passou com perigo, sobre o gol. Aos 31, Elvis cruzou na segunda trave, Jeh cabeceou para o chão, e Thiago Couto caiu no canto direito para fazer a defesa.

A Macaca teve a infelicidade de perder Luiz Felipe, lesionado, aos 37. O lateral-direito torceu o tornozelo direito e precisou ser substituído por Weverton. Mesmo assim, a Ponte seguiu melhor. Aos 40, após contra-ataque puxado pelo direita, Jeh e Ramon Carvalho tentaram, mas foram travados providencialmente pela defesa alviverde. O centroavante ainda finalizou com perigo, sobre o gol, aos 46, mas a arbitragem assinalou impedimento de Pablo Dyego.

Frenético, segundo tempo tem chances para os dois lados

Insatisfeito com o desempenho de sua equipe, Carpini promoveu duas trocas já na volta para o segundo tempo. Lateral-esquerdo de origem, Kelvi entrou na vaga de Echaporã, na ponta, e o centroavante Rafael Furtado substituiu Tite, deixando Taliari mais solto pela direita. As mudanças surtiram efeito logo aos três minutos. Taliari entortou a marcação pela direita e sofreu falta. Alan Ruschel cobrou na área, Kelvi cabeceou e a bola bateu no braço de Fábio Sanches, mas nada foi marcado. Na sequência do lance, Mandaca escorou de cabeça para Danilo Boza, que finalizou colocado. O capitão da Ponte tirou quase em cima da linha.

Com o Juventude partindo para cima em busca do gol do acesso, a Ponte passou a ter o contra-ataque à sua disposição, e o jogo ficou aberto. Aos 11, Danilo Boza furou, e Pablo Dyego recebeu sozinho no lado esquerdo da grande área, mas isolou. Aos 15, Jeh teve oportunidade de chutar, mas acertou o companheiro de ataque. A resposta alviverde veio dois minutos depois. Após troca de passes, Vini Paulista saiu cara a cara com Caíque França, que conseguiu abafar para fazer a defesa. A Macaca teve nova oportunidade aos 21, mas novamente finalizou mal, com Weverton.

Enquanto Brigatti fazia trocas seis por meia dúzia, Carpini deixou o Juventude ainda mais ofensivo com as entradas do meia Matheus Vargas e do atacante Erick Farias nos lugares dos volantes Jean Irmer e Vini Paulista. Aos 38 e aos 40 minutos, Rafael Furtado teve as bolas do jogo para o Alviverde. Primeiro, o centroavante recebeu passe de Gabriel Taliari, no lado esquerdo da grande área, e finalizou de canhota no travessão. Depois, novamente pifado pelo companheiro de ataque, preferiu não concluir e se enrolou com a bola.

Nervoso, o Juventude passou a lançar muitas bolas para o ataque na reta final do jogo. No último minuto, após cobrança de lateral direto na área, Mandaca foi travado, e a Ponte saiu em velocidade no contra-ataque. Léo Naldi sairia na cara de Thiago Couto, mas foi derrubado por Taliari, que recebeu cartão amarelo. Na cobrança da falta, Elvis acertou a barreira.

Estatísticas Juventude 0 x 0 Ponte Preta – Brasileirão Série B 2023

  • Posse de bola: 53% x 47%
  • Chutes: 11 x 10
  • Chutes a gol: 5 x 1
Foto de Nícolas Wagner

Nícolas Wagner

Gaúcho, formado em jornalismo pela PUC-RS e especializado em análise de desempenho e mercado pelo Futebol Interativo. Antes da Trivela, passou pela Rádio Grenal e pela RDC TV. Também é coordenador de conteúdo da Rádio Índio Capilé.
Botão Voltar ao topo