Brasileirão Série B

Por que Guarani e Ponte Preta fazem o pior dérbi da história recente neste domingo

Equipes passam por dificuldades na Série B e precisam da vitória para ganhar confiança no restante da competição

Guarani e Ponte Preta farão o dérbi dos desesperados neste domingo (30), às 18h30 (horário de Brasília), no gramado do Estádio Brinco de Ouro da Princesa, em Campinas.

Este será o confronto de número 207 em mais de 111 anos de história desta rivalidade histórica. Considerado um dos, se não o maior clássico do interior do Brasil, Bugre e Macaca se encontram em uma situação complicada na tabela do Campeonato Brasileiro da Série B. 

Outrora centro revelador de grandes jogadores como Dicá, Jair Picerni, Zenon, Renato, Washington, Luis Fabiano, entre outros, a realidade dos times atualmente é bem diferente.

A Ponte Preta está muito próxima da zona de rebaixamento. A Macaca, porém, venceu os últimos três compromissos que teve em casa, incluindo uma vitória sobre o Ceará na última rodada da Série B. Ainda assim, o time tem apenas três pontos a mais que o CRB (que possui dois jogos a menos que os campineiros), primeira equipe dentro da zona da degola.

O Guarani, por sua vez, está afundado na tabela. Em crise dentro e fora de campo, o Bugre é o lanterna da competição com apenas cinco pontos ganhos. Após apenas 13 rodadas de torneio, o Bugre já tem nove pontos a menos que a Chapecoense, primeiro time fora da zona do Z4.

Ponte Preta chega ligeiramente melhor para o dérbi, apesar de conflitos internos

A Ponte Preta, não é de hoje, passa por problemas financeiros e administrativos. Desde que assumiu a gestão do clube, o presidente Marco Antônio Eberlin tenta conter gastos, pagar dívidas, e recentemente até se livrou de um transfer ban.

No primeiro semestre, a Macaca até que foi bem, chegando às quartas de final do Campeonato Paulista, com direito a vitórias diante de São Paulo e Corinthians. Acabou eliminada pelo Palmeiras, mas deixou sua torcida com esperanças de uma boa campanha na Série B, sob o comando do técnico de João Brigatti.

A diferença de nível do estadual para a divisão nacional, no entanto, cobrou seu preço. Após sete rodadas, o então treinador não suportou as críticas da torcida e da imprensa e decidiu deixar o cargo.

Para o seu lugar, a diretoria da Macaca trouxe um velho conhecido da torcida. Nelsinho Baptista, que em pouco tempo de trabalho, conseguiu dar um padrão de jogo melhor para o time. Em cinco jogos, três vitórias e duas derrotas. A missão do novo técnico é conseguir melhorar o desempenho da equipe nos jogos fora de casa.

A Macaca jogou seis vezes longe dos seus domínios, empatou dois e perdeu quatro, não somando uma vitória ainda jogando fora de Campinas.

Teoricamente, por estar em um momento melhor, a expectativa da torcida é que finalmente a Ponte Preta consiga a primeira vitória fora de casa na Série B, e nada mais satisfatório que conseguir isso jogando contra o maior rival.

Guarani atravessa crise em campo, apesar das contas em dia

Quem observa a situação do Guarani no Campeonato Brasileiro da Série B, imagina que administrativamente o clube, tal qual seu rival, esteja passando por dificuldades financeiras.

Na realidade, o cenário é justamente ao contrário. O clube teve a recuperação judicial aceita pela Justiça, e vem quitando seus débitos junto a credores, e paga os salários em dia.

Portanto, a situação do Bugre nesta Série B recai sobre uma montagem mal feita do elenco para a disputa da competição.

Trocas de técnico em demasia também ajudam a explicar a crise atual do Guarani na temporada. Umberto Louzer foi demitido ainda no Paulista, e substituído por Claudinei Oliveira. Menos de quatro rodadas depois do início da Série B, e o treinador foi trocado novamente, dando lugar a Júnior Rocha.

Rocha, inclusive, foi o único que conseguiu uma vitória com o Guarani na competição, diante do Botafogo-SP, mas não permaneceu. O interino Marcelo Cordeiro teve sua oportunidade nas últimas rodadas, e também não conseguiu fazer a equipe jogar bem.

Como último recurso, a diretoria escolheu Pintado para a missão de tirar o Guarani desta situação nada confortável. Vencer o dérbi é uma questão de honra, e fundamental para o Bugre sair deste cenário complicado.

Os números do Dérbi Campineiro

  • 207 jogos;
  • 70 vitórias do Guarani;
  • 67 vitórias da Ponte Preta;
  • 68 empates.

Retrospecto no Brinco de Ouro da Princesa

O Estádio do Guarani será o palco do espetáculo do dérbi número 207 da história de Bugre e Ponte Preta. Em mais de cem anos de história, as equipes se enfrentaram em 70 oportunidades no Brinco de Ouro da Princesa, e o time Alviverde leva vantagem.

São 21 vitórias do time bugrino, 17 da equipe alvinegra e 32 empates. O último encontro entre os times no Brinco de Ouro aconteceu na temporada passada, pela Série B.

O Guarani levou a melhor, vencendo pelo placar de 1 a 0, com um golaço de Bruno José. Na ocasião, Pintado, hoje no Bugre, era o treinador da Macaca.

Foto de Lucas de Souza

Lucas de Souza

Lucas de Souza é jornalista formado pela Universidade São Judas em São Paulo. Possui especialização em Marketing Digital pela Digital House, e passagens pelos sites Futebol na Veia e Futebol Interior.
Botão Voltar ao topo