Brasileirão Série B

Carille lamenta falta de fair play do América e dispara: ‘VAR só trabalha quando quer’

Segundo o treinador do Peixe, Weslley Patati sofreu falta no segundo gol marcado pelo Coelho

A falta de fair play do atacante Renato Marques, autor do primeiro gol do América-MG na vitória por 2 a 1 sobre o Santos, irritou profundamente jogadores e comissão técnica alvinegros. Em entrevista coletiva após a partida pela 7ª rodada da Série B, o técnico do Peixe, Fábio Carille, lamentou a atitude do atleta e de parte do elenco adversário.

Aos 14 minutos, o goleiro João Paulo recebeu um passe na grande área, mas sentiu uma lesão muscular e soltou a bola nos pés do atacante Renato Marques. Sem conseguir se manter em pé, o santista caiu no gramado e deixou o gol aberto.

Diante da lesão, criou-se a expectativa de que o jogador do América-MG, em respeito ao fair play, colocasse a bola para fora de jogo. Mas não. Ele aproveitou a oportunidade e mandou para o fundo das redes.

O que Carille achou sobre Renato Marques?

Chateado com o ocorrido, Carille lembrou que atitudes de fair play são vistas em campeonatos do exterior e poderiam servir de exemplo no futebol brasileiro.

— Tudo aconteceu muito rápido. O pessoal do América disse que ninguém avisou ao jogador. O problema é que ali ninguém tinha que avisar. Já vimos isso em outros lugares, em outros campeonatos. Mas, enfim, esperamos para poder opinar melhor. A gente acaba falando e não tendo provas — falou o treinador do Santos.

Qual foi a lesão do João Paulo?

Por conta da lesão, João Paulo teve suspeita de lesão tendínea no tornozelo esquerdo e passará por exames neste sábado (25) assim que a delegação santista chegar ao CT Rei Pelé. Por isso, nem mesmo Carille sabe informar ainda qual a gravidade da contusão.

— Não deu tempo de conversarmos. Fomos para o intervalo pensando no segundo tempo. Só agora, na viagem de volta para Santos, com calma, a gente vai procurar saber e entender o que realmente aconteceu — comentou o treinador.

Santos foi prejudicado pela arbitragem?

Ainda durante a entrevista, Carille rebateu o volante Alê, do América-MG, que afirmou, ao final do jogo, que o Coelho tinha dado um “chocolate” no Santos. Além disso, o técnico questionou a arbitragem.

— Nenhum time foi superior. Os goleiros trabalharam o mesmo tanto. No primeiro tempo, apesar do problema com o João Paulo, conseguimos equilibrar e buscar o empate. Acabei de ver que no segundo gol foi falta no Weslley Patati. Estranho. O VAR só trabalha quando quer. A gente não consegue entender. Eu fui defensor do VAR, mas é muito complicado. A gente tentou, lutou. Tem dia que será assim. Continuamos na parte de cima da tabela. Agora é pensar no time do Botafogo — completou Carille.

O duelo contra o Botafogo-SP, válido pela 8ª rodada da Série B, com mando do Santos, será disputado no próximo dia 3, às 20 horas (horário de Brasília), no estádio do Café, em Londrina.

Foto de Bruno Lima

Bruno Lima

Jornalista pela UniSantos com passagem pelo Jornal A Tribuna de Santos. Já trabalhou na cobertura de jogos da Libertadores e das Eliminatórias Sul-Americanas no Brasil e no Exterior. Na Trivela, é setorista do Santos.
Botão Voltar ao topo