Brasileirão Série B

Kajuru é desmentido por jogadores do ABC após acusação de ‘mala branca’ de R$ 200 mil

Senador Jorge Kajuru afirmou que atletas do clube potiguar, já rebaixados à Série C, foram pagos para vencer jogo contra Vila Nova na última rodada da segunda divisão

Para justificar a derrota do Vila Nova para o ABC na última rodada da Série B do Campeonato Brasileiro, resultado que impediu o clube goiano de subir, Jorge Kajuru, senador da República eleito pelo estado do Goiás para mandato entre 2019 e 2027, disse que os atletas adversários são “piores do que prostitutas” e afirmou que eles receberam R$ 200 mil para vencer a partida. Os jogadores do clube potiguar Matheus Anjos e Gedeilson rebateram as acusações do senador nas redes sociais com ironia e o lateral-direito ‘espera' que o político prove o que falou.

– Esse cara é um brincalhão! Eu quero saber onde está esses 200k para cada jogador ou então pegaram o meu e eu não estou sabendo. Espero que ele tenha peito para provar o que falou – disparou Gedeilson, lateral-direito do ABC, no Instagram. Na mesma rede social, o meia Matheus Anjos ironizou Kajuru. “Me fala onde tá esses 200 mil que eu quero. Tá de sacanagem”.

O lateral-direito Gedeilson, do ABC, se revoltou com as falas do senador da República (Foto: Reprodução)
Matheus Anjos ironizou a acusação de Kajuru (Foto: Reprodução)

O clube também publicou uma nota repudiando as falas de Kajuru. Institucionalmente, o ABC afirmou estar “moralmente ofendido” e pedirá ao senador provas das acusações “sob pena de vir a responder por perdas e danos produzidos”.

O Vila Nova chegou na 38ª rodada da Série B com 61 pontos e uma vitória bastaria para garantir o acesso, visto que atingiria 18 vitórias, uma a mais que o Atlético-GO. Mas não foi o que aconteceu: o lanterna ABC, que já havido tirado o sonho do acesso do Guarani na rodada anterior, venceu por 3 x 2 e impediu o retorno do Vila à Série A, que não acontece desde 1985, há 38 anos.

O ABC está rebaixado desde 28 de outubro, quando empatou em 1 x 1 com o Avai pela 34ª rodada. As duas vitórias nas rodadas finais foram quase metade do que o clube conquistou em todo campeonato (cinco). Terminou em 20º com 28 pontos e, além de vencer cinco, empatou 13 e perdeu 20. A equipe retorna à Série C logo após ter subido em 2022.

O que disse Kajuru? Veja fala na íntegra

O ex-comentarista esportivo, que já trabalhou em Globo, SBT, Band, dentre outras emissoras de TV e rádio, publicou no último domingo (26), um dia após a derrota do Vila, um vídeo onde afirmou que os jogadores do ABC receberam R$ 200 mil para bater o time de Goiás.

Além da acusação, Kajuru chamou os jogadores de “pior que prostituta” e que não tiveram dignidade de representar o ABC durante todo o campeonato, mas jogaram “como se fosse Copa do Mundo” na rodada final pelo dinheiro.

Estou muito triste. O futebol é muito podre. […] Para mim, os jogadores do ABC de Natal são piores do que prostitutas. Muito piores. As prostitutas são mais éticas do que eles. Eles até agora não jogaram nada, deixaram o ABC rebaixado, desmoralizado no Campeonato Brasileiro. O ABC vai agora para a terceira divisão, de repente vai para a Série D. Tomara que vá para a Série Z. Tô cagando para o ABC de Natal. Tenho 45 anos de carreira no futebol. A maioria da classe é de bandido, é de canalha […] Vocês [jogadores do ABC] são canalhas, bandidos. Vocês não tiveram dignidade de vestir a camisa do ABC durante o campeonato, rebaixaram o time, e, na última rodada, no último jogo, jogaram como se fosse uma Copa do Mundo porque vocês receberam R$ 200 mil cada um de prêmio para derrotar o Vila Nova e derrotaram. É por isso que tenho nojo do futebol.

Nota de repúdio do ABC

O ABC FUTEBOL CLUBE, por sua Diretoria, especialmente em nome dos seus sócios e torcedores, REPUDIA, com veemência, as acusações verbalizadas pelo jornalista e senador Jorge Kajuru, em vídeo que passou a circular neste domingo (26), nas quais, entre outras coisas, chama os atletas do clube de “prostitutas” e “bandidos” em razão do resultado do jogo de sábado passado (25), ABC 3 x 2 Vila Nova/GO, válido pela 38ª rodada do Campeonato Brasileiro da Série B.

A liberdade de expressão e manifestação do pensamento é uma garantia constitucional que, entretanto, se sujeita ao controle jurisdicional quando exercida de modo abusivo, atingindo a honra e a imagem de pessoas e instituições.

Agremiação centenária, em cujas longas décadas de vida tem primado pelos valores ético-desportivos, o ABC considera-se moralmente ofendido pelo nominado senhor e, sem embargo dos interesses jurídicos individuais a serem eventualmente defendidos por cada atleta agredido, o estará interpelando nos próximos dias a apresentar as provas que possui a respeito das acusações, sob pena de vir a responder por perdas e danos produzidos, sem prejuízo de ofício à Comissão de Ética do Senado Federal, a quem compete o exame do ocorrido para fins disciplinares.

Sindicato dos jogadores do Rio Grande do Norte repudiou acusação do senador

Em nota divulgada no domingo, o Sindicato dos Atletas de Futebol Profissional do Estado do Rio Grande do Norte (SAFERN) repudiou as acusações de Kajuru, tratadas pela entidade como difamação e injuria contra todos os jogadores do ABC. O SAFERN ainda afirmou que levará a manifestação ao senador Rodrigo Pacheco, presidente do Senado Federal.

Leia na íntegra a nota do SAFERN.

O Sindicato dos Atletas de Futebol Profissional do Estado do Rio Grande do Norte vem repudiar com ênfase as palavras proferidas no vídeo que circula nas redes sociais em que o Senador da República, Jorge Cajuru, difama e injuria todos os jogadores do ABC F.C. em face da vitória obtida na 38ª rodada do Campeonato Brasileiro da Série B contra o Vila Nova/GO, ontem(25/11), em Natal/RN.

Certamente que o Senador, em disparate, deve ter confundindo sua condição de homem público eleito pelo povo do Estado de Goiás com a sua profissão nata de jornalista, onde a emoção deve ser contida e o equilíbrio, exaltado, para o bem da informação isenta.

Atingir a dignidade das pessoas afronta cláusulas pétreas inseridas na Carta de Outubro, notadamente o art. 5º e suas derivações.

Sabendo disto, cumpre-nos o dever de sugerir ao jornalista Cajuru que se retrate, publicamente e no mesmo tempo e modo, das gravíssimas acusações proferidas contra os profissionais que defenderam bravamente o centenário clube potiguar, patrimônio nacional, durante a competição finda.

Esta manifestação será enviada ao Senhor Senador Presidente do Senado Federal, Rodrigo Otavio Soares Pacheco, por enquanto.

Foto de Carlos Vinicius Amorim

Carlos Vinicius Amorim

Carlos Vinicius é nascido e criado em São Paulo e jornalista formado pela Universidade Paulista (UNIP). Escreveu sobre futebol nacional e internacional no Yahoo e na Premier League Brasil, além de esports no The Clutch. Como assessor de imprensa, atuou no setor público e privado.
Botão Voltar ao topo