Brasil

‘Ele é o melhor’: a Rodrygomania arrebatou corações no CT do Arsenal

Garotos das categorias de base assistem de perto ao segundo treino de Dorival Júnior no comando da Seleção em Londres

A seleção brasileira escolheu a privacidade do CT do Arsenal, nos arredores de Londres, para ser a casa de seus treinamentos às vésperas da estreia de Dorival Júnior, no próximo sábado (23), às 16h (horário de Brasília), em amistoso contra a Inglaterra — depois, no dia 26, o adversário será a Espanha. E mesmo na reclusão de um centro de treinamento com seguranças por todos os lados, a Seleção não escapa de uma tietagem interna dos próprios Gunners.

Nesta terça-feira (19) cinzenta e gelada em Londres, alguns garotos das categorias de base do Arsenal se aglomeraram diante de um dos gramados para assistir de perto ao treino da Seleção. A tietagem foi à moda inglesa: com a frieza britânica costumeira e sem grandes alardes. Mas nem mesmo a timidez de jovens um tanto lacônicos e avessos a entrevistas impediu que um dos atletas revelasse quem ele queria ver de perto:

— Rodrygo. Ele é extremo pela direita que nem eu. Ele é o melhor — disse o jovem Seb Ferdinand, do time sub-18.

Dorival quer Seleção com intensidade de Premier League

Dorival comanda seus primeiros trabalhos pela seleção brasileira sob privacidade quase total no CT do Arsenal. A imprensa tem acesso apenas aos 15 minutos iniciais das atividades, destinados aos exercícios de aquecimento. E mesmo com o acesso tão restrito, é possível pescar alguns sinais do que o treinador pretende para a Seleção.

Apegado aos mínimos detalhes, o técnico cobra os jogadores para dar “passes de jogo” até mesmo nos trabalhos que antecedem o treino, em si. As orientações são também para pressionar bastante os portadores da bola. Um primeiro sinal de que Dorival quer o Brasil jogando na intensidade da Premier League. Não à toa, o meio-campo deve ser formado por Douglas Luiz, Bruno Guimarães e Lucas Paquetá — um trio que atua na Inglaterra.

— Eu acho que o ritmo de jogo aqui é muito intenso, como vocês sabem e acompanham. A liga da Inglaterra pode ser uma das mais fortes, se não for a mais, por conta da intensidade. Não só os ingleses, são os jogadores estrangeiros que também trazem essa qualidade, tem muitos brasileiros jogando na Premier. Uma coisa que podemos adquirir na nossa forma de jogar é a intensidade da Premier — disse o meio-campista Andreas Pereira em entrevista coletiva.

Logo após o aquecimento, Dorival dispôs os jogadores em campo para um trabalho posicional. Cada atleta foi posicionado em sua função de origem, sem a presença de uma equipe adversária. Em seguida, a imprensa foi convidada a se retirar da atividade, comandada a portas fechadas.

Dorival tem dúvidas em todos os setores

Em uma convocação que já teve cinco cortes por problemas médicos, é natural que Dorival tenha dúvidas em todos os setores do campo. No gol, Bento e Rafael disputam a posição que seria de Ederson ou até de Alisson, ambos lesionados. A dupla de zaga está totalmente indefinida, mas a tendência é de que Bremer e Beraldo sejam os escolhidos.

Na referência do ataque, Richarlison deve ser o titular, mas resta certa dúvida sobre sua condição física. O centroavante acaba de se recuperar de uma lesão no joelho que o tirou dos gramados por um mês. Ele voltou a atuar na derrota do Tottenham para o Fulham, no último fim de semana. Caso ele não atue, Endrick será o titular.

Escalação provável do Brasil:

Rafael; Danilo, Bremer, Lucas Beraldo e Ayrton Lucas; Douglas Luiz, Bruno Guimarães, Rodrygo, Paquetá e Vini Jr; Richarlison.

Dorival comanda mais dois treinos da Seleção no CT do Arsenal na quarta (20) e na quinta-feira (21). Na sexta, a atividade será em Wembley. Brasil e Inglaterra se enfrentam no sábado (23), às 16h (horário de Brasília).

Foto de Eduardo Deconto

Eduardo Deconto

Eduardo Deconto nasceu em Porto Alegre (RS) e se formou em Jornalismo na PUCRS. Antes de escrever para a Trivela, passou por ge.globo e RBS TV.
Botão Voltar ao topo