Brasil

Passagem pelo Flamengo transformou Andreas Pereira para voltar à Seleção após seis anos

Andreas Pereira já disse ‘não’ para a Bélgica em ao menos cinco oportunidades e não esconde orgulho de voltar à Seleção

A Bélgica tentou uma vez. E mais uma. E mais uma. E mais uma. E mais uma. Foram exatos cinco convites diferentes e um mesmo “não” como resposta da boca de Andreas Pereira. É como se o assédio para defender a seleção belga só aumentasse a certeza do meio-campista de que seu único desejo era defender a seleção brasileira.

Tanta certeza, que Andreas eternizou na pele a frase “Gigante pela própria natureza”. Era como se ele soubesse que um dia voltaria a vestir a camisa verde amarela novamente. O meio-campista só não imaginava que fosse levar tanto tempo assim. Foram seis anos de uma longa espera até voltar a ser convocado para a Seleção por Dorival Júnior para os amistosos contra Inglaterra, no próximo sábado (23), às 16h (horário de Brasília), e Espanha, no próximo dia 26, na primeira Data Fifa de 2024.

A última (e única) convocação veio logo após a Copa do Mundo de 2018, ainda sob o comando de Tite. O meia atuou por 20 minutos na vitória por 5 a 0 em um amistoso diante de El Salvador. Por isso, ele não escondeu o orgulho que sente de voltar a Seleção seis anos mais tarde.

“É uma história que eu sempre tive esse sonho de jogar pela seleção brasileira, recusei várias vezes a Bélgica. É um sonho de criança que hoje estou realizando pela segunda vez, estou muito feliz de estar aqui. Fiz essa tatuagem porque é um orgulho imenso ser brasileiro e eu tinha certeza de que voltaria para a seleção brasileira”. (Andreas Pereira).

Passagem pelo Flamengo transformou Andreas

O meio-campista do Fulham retorna à Seleção depois de uma passagem pelo Flamengo que transformou sua vida – em todos os aspectos.  Revelado pelo Manchester United, Andreas nunca havia atuado em solo brasileiro antes da passagem pelo Rubro-Negro. Foi só ao entrar no Maracanã lotado que o meia conseguiu ter a real dimensão da paixão do povo brasileiro pelo futebol.

– A volta ao Flamengo foi muito importante para me reconectar com o povo brasileiro, como sempre joguei fora, na Europa, para mim foi importante ter essa conexão com a torcida brasileira. Me identifiquei muito, fiquei à vontade, e são raros os jogadores que voltaram para a Europa e jogaram em alto nível. Só tenho a agradecer por essa oportunidade e estou desfrutando a cada momento – disse o jogador.

Pelo Flamengo, Andreas também ampliou (em todos os sentidos) a sua noção sobre o que é ter responsabilidade. De xodó da torcida por um início ótimo ao erro na final da Libertadores, o meia retornou à Europa bem mais calejado para atuar pelo Fulham. E isso se refletiu em seu desempenho, a ponto de render a convocação para a Seleção

– Ter responsabilidade foi uma coisa que aprendi muito no Brasil, no Flamengo. Carregar sua responsabilidade, ser cobrado, viver o céu e o inferno. Foi difícil, sim, mas fiquei mentalmente mais forte. Isso me ajudou a me fortalecer, voltar a jogar na Europa e buscar essa vaga na Seleção. O mais importante é isso, a gente buscar nossa responsabilidade, saber que o torcedor brasileiro vai cobrar e tem todo o direito de cobrar. A gente está representando o Brasil, a maior seleção do mundo, e com isso vem uma responsabilidade imensa. Eu sei da minha responsabilidade, sei o que tenho que fazer aqui, como grupo vamos entregar todos juntos – ressalta Andreas.

Andreas vê Brasil favorito contra a Inglaterra

Andreas conhece a Premier League como poucos no atual elenco da Seleção. O meio-campista vive a sua oitava temporada naquela que é a principal liga de futebol no planeta, por isso, ele fala com propriedade sobre as diferenças no estilo de jogo.

– Eu acho que o ritmo de jogo aqui é muito intenso, como vocês sabem e acompanham. A liga da Inglaterra pode ser uma das mais fortes, se não for a mais, por conta da intensidade. Não só os ingleses, são os jogadores estrangeiros que também trazem essa qualidade, tem muitos brasileiros jogando na Premier. Uma coisa que podemos adquirir na nossa forma de jogar é a intensidade da Premier – disse o meio-campista.

E mesmo assim, Andreas não se furta de apontar a seleção brasileira como favorita no duelo com a Inglaterra no próximo sábado (23), em Wembley. O meia deve ser alternativa no banco de reservas para Dorival, mesmo diante da ausência de Casemiro, cortado às vésperas da apresentação da Seleção em Londres por conta de uma lesão.

“A seleção brasileira sempre será favorita contra qualquer time e em qualquer época sendo futebol, é a maior seleção do mundo. Claro, a gente sabe das qualidades deles, sabe que eles têm muito bons jogadores, a gente respeita a Inglaterra, respeita qualquer jogador, mas sabemos nossas qualidades, o que nosso grupo tem de forte” (Andreas)

 

Foto de Eduardo Deconto

Eduardo Deconto

Eduardo Deconto nasceu em Porto Alegre (RS) e se formou em Jornalismo na PUCRS. Antes de escrever para a Trivela, passou por ge.globo e RBS TV.
Botão Voltar ao topo