Brasil

Richarlison voltou à Seleção com apelo crucial por saúde mental

Sem medo de julgamentos, Richarlison abre seu coração e fala sobre tratamento psicológico que salvou sua vida

De volta à Seleção com Dorival Júnior, Richarlison era só sorrisos ao se apresentar para os amistosos contra Inglaterra, no próximo sábado (23), e Espanha, no dia 26 de março. Mas o semblante do Pombo mudou durante a entrevista coletiva nesta terça-feira (18). Sem medo de julgamentos e ciente do peso de suas palavras, o atacante abriu o seu coração em um apelo aos cuidados com a saúde mental.

No ano passado, Richarlison revelou que teve de buscar tratamento psicoterapêutico para lidar com alguns problemas pessoais, além da pressão de estar em campo pelo Tottenham e pela Seleção Brasileira. O atacante foi sincero, como costuma ser, ao afirmar que a ajuda psicológica salvou sua vida.

“A gente sabe o preconceito que tem de quando a pessoa fala que está procurando ajuda. Eu tinha esse preconceito. Graças a deus, não tenho mais. Eu falo para as pessoas para procurar mesmo, porque ajuda. Como jogador da seleção. Eu posso falar, porque salvou minha vida. DE uma hora para a outra. Eu já estava no fundo do poço. É muito importante a Seleção ter um psicólogo para ajudar os atletas. Só nós sabemos a pressão que sofremos” (Richarlison).

O drama vivido (e superado) por Richarlison

O camisa 9 expôs problemas pessoais e disse que buscaria ajuda psicológica no dia 12 de setembro, logo após a vitória por 1 a 0 do Brasil sobre o Peru, em Lima. O atacante vivia à época um momento conturbado em campo e também na vida: faltavam gols e sobravam incômodos longe dos gramados, dentro de sua própria casa.

O atacante buscou ajuda, como havia prometido, e passou a ter maior cuidado com sua saúde mental. O jogador faz desde então sessões de psicoterapia — algo que ele mantém até hoje em sua rotina. A Trivela ouviu de pessoas próximas ao atleta que o pior momento foi logo no início do ano e já passou.

O atleta sentiu muito a eliminação da Seleção para a Croácia na Copa do Mundo de 2022, especialmente por não marcar gols nos momentos decisivos do Mundial. Mas o período conturbado vem desde antes do Mundial. No ano passado, Richarlison havia cortado relações com Renato Velasco, empresário que o acompanhava e agenciava desde o início da carreira.

Hoje, pessoas próximas garantem que o jogador já está em situação bem mais tranquila. As dificuldades fora de campo começaram a ser superadas. Com o tratamento, claro. Mas também com o abraço e o carinho de amigos, familiares e colegas de Seleção e o clube.

Retorno à Seleção em novo momento

Richarlison até volta à Seleção sob certos cuidados com sua condição física para iniciar a partida contra a Inglaterra. O centroavante acaba de se recuperar de uma lesão no joelho que o tirou dos gramados por um mês. Ele voltou a atuar na derrota do Tottenham para o Fulham, no último fim de semana. Mas o momento atual é muito diferente de tudo o que ele viveu em 2023.

O jogador atuou durante quase todo o ano passado com dores no púbis. Ele teve de passar por uma cirurgia no local. A primeira vez que ele esteve 100% fisicamente desde a Copa do Mundo de 2022, na qual ele marcou três gols pela Seleção, foi em dezembro de 2023.

— Passei por meses de dificuldades. Dores no meu púbis. Muitos aqui na Seleção viam que eu nem conseguia chutar a bola para o gol direito. Graças a Deus, consegui fazer essa operação. Operei os dois lados. Hoje, me sinto 100%. Voltei voando na Premier League. Meses atrás que eu não fui convocado, eu falei que eu iria voltar para a Seleção. Foi o que aconteceu. Trabalhei muito. Hoje, estou aqui, feliz. Consegui dar a volta por cima — afirmou o centroavante.

Por conta de todas essas dores, o centroavante foi ausência da última convocação de Fernando Diniz e chegou a reconhecer que nem ele próprio o convocaria. Agora, Richarlison volta para dar o último passo em sua recuperação de tudo o que aconteceu no ano passado. Pelo clube, aliás, esta recuperação já está sacramentada. O atacante marcou 11 gols em 26 jogos nesta temporada. Quase quatro vezes mais do que os três gols que marcou pelos Spurs em 2022/23 — quando disputou 35 jogos. Um Pombo que voltou a sorrir depois de tanto que teve de superar em um 2023 traumático.

— Eu sei do meu potencial, o que é vestir a camisa da Seleção e nunca deixei de sonhar para conquistar meus objetivos. Nunca deixei me abalar. Sabia do meu momento, que era difícil. Decidi trabalhar calado, recebendo as críticas, mas sempre calado e trabalhando. Foi o que fiz. Voltei até antes do esperado e trabalhei firme. Hoje, estou colhendo os frutos. Sou um cara trabalhador e quando venho para a Seleção, dou minha vida por vestir essa camisa.

Foto de Eduardo Deconto

Eduardo Deconto

Eduardo Deconto nasceu em Porto Alegre (RS) e se formou em Jornalismo na PUCRS. Antes de escrever para a Trivela, passou por ge.globo e RBS TV.
Botão Voltar ao topo