Brasil

Rodriguinho puxa a fila de um Cruzeiro que se promete ainda mais competitivo para 2019

O Cruzeiro possui um dos elencos mais qualificados do futebol brasileiro, o que se comprovou nas conquistas recentes da Copa do Brasil. A permanência de Dedé animou bastante a torcida celeste, mesmo que a novela envolvendo Arrascaeta tenha se encerrado com um final amargo na Toca da Raposa. De qualquer maneira, o uruguaio é página virada e o clube se reforça para contar com um elenco ainda mais competitivo em 2019. A semana é de natural empolgação em Belo Horizonte. Os cruzeirenses confirmaram nesta quarta-feira a chegada de dois reforços que elevam o patamar do time: o lateral esquerdo Dodô e o meia Rodriguinho estarão à disposição de Mano Menezes a partir de agora.

A contratação mais aguardada era a de Rodriguinho. O Cruzeiro já vinha negociando com o Pyramids ao longo das últimas semanas e o acerto se encaminhava. Assim, o desembarque o meia em Belo Horizonte contou com uma calorosa recepção dos torcedores celestes. Dezenas de fanáticos foram ao aeroporto festejar o novo atleta cruzeirense, pronto para assinar seu contrato e passar pelos exames médicos. Aos 30 anos, o potiguar acertou por três temporadas com a Raposa, em negócio estimado em US$4 milhões.

“Muito obrigado, primeiro, pela recepção que eu tive. Foi incrível. Podem esperar que estou chegando muito motivado. Espero poder dar o meu melhor. Quero conquistar muitos títulos aqui no Cruzeiro, que já é um clube campeão. Espero poder fazer parte disso e somar bastante com todo mundo”, declarou Rodriguinho, durante a sua chegada no aeroporto de Confins.

Rodriguinho vem para ser uma nova referência deste Cruzeiro. E, considerando o papel que fazia no Corinthians de Fábio Carille, pode funcionar muito bem dentro das ideias de Mano Menezes. A capacidade na organização e a propensão a invadir a área como elemento surpresa, para definir as jogadas, auxiliam uma equipe reativa como a celeste. Dentro das possibilidades, parece um acréscimo muito bem pensado para se encaixar no grupo. Um jogador decisivo e regular, que aumenta também as pretensões do Cruzeiro na exigente maratona do Campeonato Brasileiro.

Resta saber como Mano Menezes aproveitará as opções que tem ao meio-campo, ainda com a presença de nomes como Robinho e Thiago Neves ao setor. O gaúcho não costuma ser o treinador que bota seu time rumo ao ataque e já foi bastante criticado por não aproveitar da melhor maneira as peças que tem à disposição na Toca da Raposa. Apesar disso, há uma propensão a uma escalação mais técnica, que molde a maneira dos cruzeirenses atuarem. A versatilidade de Rodriguinho também contribui neste ponto, podendo entrar mais recuado no meio-campo, centralizado na armação ou mesmo aberto pelo lado direito – posições que desempenhou no Corinthians, onde foi até “falso 9” no ataque.

Dodô, por sua vez, aumenta as opções do Cruzeiro pelo lado esquerdo do campo. Egídio é o titular na lateral e vem cumprindo bem o seu trabalho no clube, apesar das desconfianças. O novo contratado dá uma nova alternativa na rotação. Ainda assim, não seria surpreendente se o reforço fosse aproveitado também mais à frente, como meio-campista. Durante sua passagem pelo futebol italiano, o jogador muitas vezes foi escalado como ala em um esquema com três zagueiros ou mesmo como meia aberto pela esquerda, à frente de um lateral. Sua capacidade ofensiva pode ser melhor explorada.

Por enquanto, Dodô é um negócio temporário do Cruzeiro. O jogador vem por empréstimo até o final do ano, em transação acertada junto à Sampdoria, com opção de compra ao término do período. Os bons momentos no Santos servem como referência àquilo que o novato pode produzir na Raposa. E diante do calendário recheado, também com a Libertadores pela frente, é interessante a decisão da diretoria em manter duplas fortes às laterais. O mesmo já havia sido feito para a direita, onde o jovem colombiano Luis Manuel Orejuela se somou a Edílson como alternativa no setor.

O volante Jadson e o meia Marquinhos Gabriel são outras apostas do Cruzeiro neste início de 2019. E é possível que a diretoria ainda busque algum jogador veloz para o lado de campo, depois que as conversas com Bruno Henrique e Keno não vingaram. O potencial do time é evidente, somando também os bons valores que permaneceram na Toca da Raposa – como Fábio, Dedé, Henrique, Lucas Silva, Thiago Neves, Fred e Sassá. Ao menos no papel, considerando a manutenção da base, os celestes parecem mais competitivos do que em 2018. Agora, Rodriguinho é quem puxa a fila desta impressão positiva ao redor dos cruzeirenses.

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo