Brasil

Reforços experientes melhoraram a defesa do Vasco e foram essenciais contra o rebaixamento

Depois de um começo de 2023 irregular da defesa do Vasco, principalmente no Brasileiro, as chegadas de nomes como Medel e Maicon mudaram o panorama do clube no Brasileirão

O Vasco viveu altos e baixos no sistema defensivo durante 2023. Com uma defesa totalmente nova no começo da temporada, o clube teve problemas com a adaptação de alguns jogadores e outro que ficaram abaixo do esperado. Mas, na janela do meio do ano, o Vasco apostou em jogadores experientes que deram conta do recado e foram essenciais para o time escapar do rebaixamento no Campeonato Brasileiro.

Depois de um 2022 na Série B, o Vasco passou por uma grande reformulação no elenco para 2023. Para o sistema defensivo, chegaram os goleiros Léo Jardim e Ivan, os laterais-direito Puma Rodríguez e Paulo Henrique, os zagueiro Léo, Capasso e Robson, e o lateral-esquerdo Lucas Piton.

Sob o comando do então treinador Maurício Barbieri, que também iniciava o trabalho no clube, o Cruz-Maltino iniciou o ano de forma irregular e isso, é claro, também passava pela defesa. Enquanto Puma, Léo e Lucas Piton eram titulares absolutos, Robson e Capasso disputava a vaga no lado direito da zaga. No entanto, a queda na semifinal do Carioca e o fracasso na segunda fase da Copa do Brasil não passaram especificamente por problemas defensivos.

Foi no Campeonato Brasileiro que a defesa do Vasco passou a ter mais problemas. Principalmente, no lado direito. Com Puma mal defensivamente e sem definição entre Capasso e Robson, o time de Barbieri tinha uma defesa frágil e mal protegida. Além disso, no primeiro turno, até mesmo o goleiro Léo Jardim teve algumas falhas que comprometeram, como contra o Cruzeiro e o Goiás.

Mas, depois da chegada de Ramón Diaz e dos reforços no meio do ano, a situação do Vasco mudou. Os experientes Medel e Maicon assumiram a titularidade, enquanto Paulo Henrique passou a ter mais oportunidades na lateral-direita. Em alguns jogos, Ramón chegou a jogar com três zagueiros, escalando Léo junto com os titulares. E, até mesmo quando Puma voltou a jogar, também foi bem, com gols e assistências. No segundo turno, apesar de ainda apresentar alguma irregularidade – compreensível para um time que lutava contra o rebaixamento -, o sistema defensivo melhorou e foi importante para evitar a queda para a Série B.

Apesar de algumas falhas no primeiro turno, Léo Jardim foi titular absoluto do Vasco em 2023 (Foto: Leandro Amorim/Vasco)

Esses foram os pontos fortes da defesa do Vasco

Apesar de algumas falhas pontuais no primeiro turno, o goleiro Léo Jardim foi o jogador mais estável do Vasco durante toda a temporada. No Campeonato Brasileiro, ele atuou em todas as 38 partidas, sendo 20 delas pendurado com dois cartões amarelos, e teve grandes atuações. Além dele, Lucas Piton também se destacou, sendo uma dos melhores laterais-esquerdo do Brasilerão. Ele teve quatro assistências na competição e foi o jogador com mais cruzamentos certos.

Outros pontos fortes, é claro, foram as chegadas e Medel e Maicon. Apesar de Medel ter sido contratado com o objetivo de atuar como volante, ele logo foi testado na zaga e virou titular absoluto do time. Com muita liderança, ele não demorou para assumir a braçadeira de capitão. Já Maicon, que foi contratado sob muita desconfiança da torcida, foi importante na reta final do Brasileiro e melhorou a bola aérea defensiva e ofensiva do time.

Maicon foi um dos jogadores experientes que chegaram no Vasco para ajustar a defesa no meio de 2023 (Foto: Leandro Amorim/Vasco)

Esses foram os pontos fracos da defesa do Vasco

O Vasco conviveu com problemas no lado direito da defesa durante quase toda a temporada. Em um determinado momento, insatisfeito com Puma Rodríguez e ainda sem testar Paulo Henrique, Ramón Diaz chegou a improvisar o zagueiro Robson na posição, o que também não foi uma grande ideia. Puma apresentava boas características ofensivas, mas deixava muito a desejar na defesa. Só na reta final do Brasileiro Paulo Henrique passou a ter mais chances e correspondeu, inclusive dando a assistência para o gol de Serginho, que salvou o time do rebaixamento.

A saída de bola com o zagueiro Léo também não funcionou, apesar de ter sido usada durante boa parte da temporada. Mesmo sendo um zagueiro teoricamente mais técnico, Léo viveu uma temporada irregular e falhou muito na saída pela esquerda. A falta de um reposição na lateral-esquerda também deixou Lucas Piton sobrecarregado durante a temporada.

O que esperar da defesa do Vasco em 2024?

Boa tarde da defesa do Vasco deve seguir no elenco para a próxima temporada. Apesar Robson, que tem contrato até o fim de 2023, pode deixar o clube. Paulo Henrique, que também estava emprestado, depende de uma negociação entre o clube e o Atlético-MG. Mas, com a chegada do diretor de futebol Alexandre Mattos, há a expectativa pelo Vasco ser mais agressivo no mercado. E, como o clube terminou a temporada com os experiente Maicon e Medel como titulares, é possível que o Cruz-Maltino busque outro zagueiro mais jovem para brigar por posição no time titular.

Foto de Gabriel Rodrigues

Gabriel Rodrigues

Gabriel Rodrigues é jornalista formado pela UFF e soma passagens como repórter e editor do Lance!, Esporte News Mundo e Jogada10.
Botão Voltar ao topo