Brasil

Da frustração com Pedro Raul ao artilheiro Vegetti: mudança no ataque simboliza o 2023 do Vasco

Vasco passou por importante mudança no ataque do time durante 2023 e contou com Vegetti e Gabriel Pec para salvarem o time do rebaixamento em 2023

A temporada do Vasco pode ser representado por uma importante troca que aconteceu no comando do ataque do time durante 2023. Entre frustrações, “surpresas” e afirmações, o sistema ofensivo do time não viveu um ano intenso. E uma que surgiu apenas na reta final do primeiro turno do Campeonato Brasileiro acabou sendo essencial para a permanência do clube na elite do futebol nacional.

Primeiro grande reforço da “era SAF”, Pedro Raul foi anunciado ainda no fim de 2022 e chegou no Vasco para ser o principal nome do ataque do time no ano da volta à Série A do Campeonato Brasileiro. No entanto, em meio a uma grande reformulação do elenco, a diretoria vascaína priorizou reforços para o setor defensivo do time e deixou o elenco desequilibrado. Para o ataque, além de Pedro Raul, apenas o jovem Luca Orellano foi contratado. Além disso, o Vasco contava com a manutenção de jovens jogadores, como Gabriel Pec e Figueiredo.

Apesar de ter sido o artilheiro do Vasco no Campeonato Carioca, Pedro Raul deixou a desejar com atuações ruins e pouco contribuição coletiva. Além disso, junto com Orellano – a contratação mais cara do clube na temporada -, ele desperdiçou o pênalti na eliminação do Vasco na Copa do Brasil para o ACB, em pleno São Januário. Depois desta fracasso e de cair na semifinal do Carioca, o Vasco ainda aproveitou a janela aberta para trazer o insuficiente Rwan Cruz.

Com poucas opções de qualidade no ataque, e com Pedro Raul abaixo do esperado, o Vasco sofreu para fazer gols no começo do Campeonato Brasileiro. Na 14a rodada, antes da chegada de Ramón Diaz e quando o clube vivia o seu pior momento na temporada, o time tinha apenas nove gols marcados. Pedro Raul, por exemplo, marcou apenas dois.

Pedro Raul teve passagem decepcionante pelo Vasco em 2023 (Foto: Daniel Ramalho/Vasco)

Então, no meio de julho, o Vasco recebeu uma boa oferta por Pedro Raul e vendeu o jogador para o Toluca, do México. Poucas semanas depois, perto do fim da janela de transferências, o Cruz-Maltino acertou a contratação de Pablo Vegetti, que havia sido artilheiro do Campeonato Argentino no primeiro semestre. Além dele, também chegaram Sebastián Ferreira, Serginho e Rossi.

Logo no primeiro jogo de Vegetti pelo clube, ele marcou o gol da vitória sobre o Grêmio, que deu início a arrancada do time no Brasileirão. Enquanto, de forma discreta, Gabriel Pec também deixava a sua marca e ajudava o Vasco na luta contra o rebaixamento. O argentino marcou dez gols em 21 partidas, enquanto Pec, que passou por uma temporada de afirmação, foi o artilheiro do time na temporada, com 14 gols em 50 jogos. Rossi e Serginho, contratados no meio do ano, também tiveram momentos importantes. O camisa 70, inclusive, fez o gol da permanência do Vasco na Série A.

Esses foram os pontos fortes do ataque do Vasco

A chegada de Pablo Vegetti mudou a cara do ataque do Vasco em 2023. Em poucos jogos, com gols, muita vontade e participação coletiva, ele encantou a torcida e passou a ser um dos “xodós” do time, com os torcedores imitando a sua tradicional comemoração de “pirata”. Mesmo com um número reduzido de jogos, ele acabou sendo o artilheiro do time no Brasileiro, com dez gols.

Além de Vegetti, o muitas vezes criticado Gabriel Pec também foi essencial para o Vasco na luta contra rebaixamento. Com oito gols e quatro assistências, ele foi o jogador com mais participações em gols do time. Além disso, também ficou empatado com Pedro Raul na artilharia vascaína no Carioca.

Vegetti, Gabriel Pec e, em menor escala, Rossi comandaram o ataque do Vasco na reta final do Brasileiro (Foto: Icon sport)

Esses foram os pontos fracos do ataque do Vasco

Principal contratação do Vasco no começo do ano, Pedro Raul não deixou saudades e foi a maior frustração do clube nesta temporada. Com poucos gols e pouca contribuição coletivamente, o atacante chegou a ser barrado do time na reta final da passagem do técnico Maurício Barbieri.

A alta aposta em Luca Orellano também (ainda) não se justificou. O jovem argentino teve problemas de adaptação e pouco conseguiu contribuir com o time. Prova disso é que ele só marcou o seu primeiro gol com a camisa vascaína na vitória sobre o Cuiabá, na reta final do Brasileirão.

O que esperar do ataque do Vasco em 2024?

Com o bom segundo semestre de Vegetti e a afirmação de Gabriel Pec, o Vasco tem boas perspectivas para 2024. No entanto, para brigar por títulos ou até mesmo por vaga em competições sul-americanas, o clube precisa reforçar o ataque e ter melhores opções no banco de reservas, principalmente para as pontas.

Foto de Gabriel Rodrigues

Gabriel Rodrigues

Gabriel Rodrigues é jornalista formado pela UFF e soma passagens como repórter e editor do Lance!, Esporte News Mundo e Jogada10.
Botão Voltar ao topo