Brasil

‘Eu nasci para vencer’: Renato atinge mais uma marca para se vangloriar no Grêmio

Ao conduzir o Grêmio ao heptacampeonato gaúcho, Renato chegou a dez títulos pelo clube e se igualou a Oswaldo Rolla como treinador mais vencedor do Tricolor

A conquista de mais um Campeonato Gaúcho pelo Grêmio foi especial para Renato Portaluppi. Além de conduzir o Tricolor ao heptacampeonato estadual consecutivo, o que não acontecia desde a década de 1960, o ídolo gremista chegou ao décimo título no comando gremista, e se igualou a Oswaldo Rolla, o Foguinho, como treinador mais vencedor da história do clube.

Mais de uma hora e meia depois do árbitro Rafael Klein apitar pela última vez e sacramentar o título do Grêmio após vitória por 3 a 1 sobre o Juventude, Renato chegou, com chope em mãos, no auditório da Arena do Grêmio. Depois de levar o tradicional banho gelado de seus jogadores, o treinador falou sobre os feitos conquistados neste sábado (6).

Renato saúda heptacampeões da década de 1960

Em referência ao heptacampeonato, João Severiano, que conquistou os títulos de 1962 a 1968, entregou, emocionado, a taça ao capitão Pedro Geromel no gramado da Arena do Grêmio. Renato fez questão de homenagear os campeões daquela época mais de uma vez ao longo de sua entrevista coletiva.

— É muito importante. Mais de meio século atrás eles foram hepta. É importante ver pessoas daqueles anos aqui, emocionados, chorando. Muita gente não era nascida naquela época. A gente não sabe quando vai estar em outra decisão. Ficamos felizes pelo pessoal de 68, e hoje fizemos nosso trabalho. Ano que vem vamos buscar mais um título — frisou Renato.

Renato é obcecado por vencer, e passa isso para seu grupo

Quanto à marca pessoal, o treinador do Grêmio deixou claro que a busca por títulos é o que o move. E é o que tenta passar para seus jogadores.

— Eu sou obcecado por títulos, não gosto de perder nem dois toques. Eu sou um cara que nasceu para vencer. Eu cito o exemplo do Cristiano Ronaldo, do Messi, porque eles conquistaram tudo e querem mais. O cara não pode se acomodar com as vitórias, muito menos com as derrotas — destacou Renato.

— O jogador faz história no clube sendo campeão. Ele se valoriza ganhando. O que vale é você chegar em casa, mostrar para tua família, teus amigos, quadro, faixa, medalha. Não adianta fazer 50 gols e não ser campeão. O que vale é dar volta olímpica — acrescentou.

No final das contas, a profecia de Renato após ser derrotado no clássico Gre-Nal da fase classificatória do Gauchão se cumpriu. O reforçado e badalado Internacional foi eliminado na semifinal, para o Juventude, que foi derrotado pelo Grêmio na decisão.

— Eu lembro do Gre-Nal, muita gente falou que íamos perder de quatro, que o campeonato era do Internacional. Mas eu falei que muita coisa iria acontecer, jogadores que tinham sido contratados iriam entrar no time. Alguns jogos não fomos bem, até porque a pré-temporada foi curta. Mas crescemos no momento certo do campeonato. No começo era carne de pescoço, e nos 180 minutos da final era o filé. Nós não poderíamos deixar escapar — ressaltou.

Títulos de Renato como treinador do Grêmio

  • Campeão da Copa do Brasil (2016)
  • Campeão da Libertadores (2017)
  • Campeão da Recopa Sul-Americana (2018)
  • 5x campeão do Campeonato Gaúcho (2018, 2019, 2020, 2023 e 2024)
  • 2x campeão da Recopa Gaúcha (2019 e 2023)
Foto de Nícolas Wagner

Nícolas Wagner

Gaúcho e formado em Jornalismo pela PUC-RS, já passou pela Rádio Grenal e pela RDC TV. É, também, coordenador de conteúdo da Rádio Índio Capilé.
Botão Voltar ao topo