Brasil

Caiu na esquerda, já sabe: Rato mostra contra o Corinthians por que é (muito) titular do São Paulo

Wellington Rato distribui duas assistências para fazer o São Paulo quebrar o tabu contra o Corinthians em Itaquera

Quando a bola cai na perna esquerda de Wellington Rato, os são-paulinos já sabem, e os corintianos já começam a temer. Foi assim no golaço da classificação do São Paulo sobre o Corinthians na semifinal da Copa do Brasil de 2023. Foi assim de novo com as duas assistências da vitória que quebrou um tabu que teimava a perseguir o clube há quase dez anos de Majestosos na Neo Química Arena. A primeira vitória do Tricolor em Itaquera na história só é realidade graças ao meio-atacante – e a seu pé esquerdo.

Não é que Rato tenha “apenas” decidido a vitória por 2 a 1 sobre o Corinthians na última terça-feira (30), pela quarta rodada do Campeonato Paulista, com os passes para os gols de Calleri e Luiz Gustavo. A verdade é que o meia-atacante se acostumou a distribuir assistências desde que ele chegou ao São Paulo, no início do ano passado. Tanto, que ele foi o líder do elenco neste quesito em 2023, com nove. E  já lidera a estatística em 2024, com três”pifadas” para os companheiros.

Fica fácil de entender por que Wellington Rato assumiu a titularidade com Rogério Ceni, virou titular absoluto de Dorival Júnior e se manteve no time agora sob o comando de Thiago Carpini. Mesmo com as chegadas de Lucas Moura e James Rodríguez e com a concorrência de Luciano e Galoppo, o meia segue com seu status intocado e lugar no time garantido.

Fica fácil de entender também por que o São Paulo se antecipou e renovou o contrato com Wellington Rato ao final de 2023. Com tanto destaque e tanta regularidade ao longo do ano, o meia recebeu procura de clubes do exterior. O Tricolor logo tratou de apresentar uma proposta com valorização salarial em um contrato até o fim de 2026. Um prêmio para a contratação que é disparada o melhor custo benefício para o clube nos últimos anos.

Rótulo de algoz do Corinthians só chancela titularidade

Não bastassem a regularidade e os muitos passes para gol, Rato ainda “escolheu” o Corinthians para ser o rival contra quem mais se destaca. E como! Na semifinal da Copa do Brasil do ano passado, ele fez um senhor golaço, ao dominar pela direita, puxar para a esquerda e acertar o ângulo de Cássio. Foi o início da vitória por 1 a 0 que levou o São Paulo à final da Copa do Brasil, além do nascimento do meme abraçado pelo clube: caiu na esquerda do Rato…

E ele comprovou esta teste na última terça-feira. Primeiro, com um lançamento de trás do meio-campo para encontrar Calleri às costas da zaga do Corinthians. O argentino trombou com a marcação e deu um toquinho na saída de Cássio. Depois, já no segundo tempo, Rato cobrou escanteio na cabeça de Luiz Gustavo para encaminhar a vitória histórica.

– Ele é um cara super trabalhador, que ano passado foi muito importante. Ele é nosso jogador que bateu a bola parada, ele bate muito bem na bola. Ano passado, ele ajudou a gente a ganhar do Corinthians no Morumbi, quando cortou para a esquerda e fez o gol. À medida que a gente vai se conhecendo ainda mais, a gente vai jogando melhor. Ele já sabe que quando corta para a esquerda, ele sabe que pode me procurar. Depois de um ano, a gente vai se entrosando cada vez melhor. E não tem que falar para ele onde me dar a bola, ele sempre coloca no melhor lugar. E hoje, ele outra vez me viu. Por sorte, pude fazer o gol – afirma Calleri.

Relação (muito) antiga com Carpini

Rato brilha sob o comando de Carpini, mas também já se destacou ao lado de Carpini em campo. O treinador foi companheiro do meia-atacante quando ainda era atleta (e volante) pela Caldense, em 2017. Ali, nasceu uma relação que está cada vez mais estreita entre técnico e jogador.

– O Rato é o cara que tem essa capacidade (de dar assistências). A gente estava falando sobre isso hoje na hora do almoço, relembrando um pouco esse momento. Eu já tinha encerrado minha caída em 2016 no Guarani. Eu fui mais a pedido de um amigo, Tiago Oliveira. Ele assumiu a Caldense. e falou: “poxa, me ajude, Tiago”. E nesse time eu encontrei o Rato e o Carlos Vinícius, que é o atacante do Fulham, da Inglaterra, hoje. E os dois iam ser dispensados. Eu lembro que falei: “você está louco, cara. Não, não. Essa meninada aí vai ajudar você”. E aí começou a proximidade com o Rato. Acho que nesse momento, talvez tenha me algum momento ajudado um pouquinho a colocar umas ideias dele em ordem. É gratificante essas coisas que fazem valer a pena o futebol a vida – conta Carpini.

Próximos jogos do São Paulo

  • Palmeiras x São Paulo – Supercopa do Brasil – domingo, 04 de fevereiro, 16h00 (horário de Brasília)
  • São Paulo x Água Santa – Campeonato Paulista – quarta-feira, 07 de fevereiro, 21h35 (horário de Brasília)
  • Ponte Preta x Corinthians – Campeonato Paulista – sábado, 10 de fevereiro, 18h00 (horário de Brasília)
Foto de Eduardo Deconto

Eduardo Deconto

Eduardo Deconto nasceu em Porto Alegre (RS) e se formou em Jornalismo na PUCRS. Antes de escrever para a Trivela, passou por ge.globo e RBS TV.
Botão Voltar ao topo