Brasil

Projeto é fundamental para que o Flamengo atraia talentos como Léo Ortiz e Viña

Fechado com Léo Ortiz e Viña, o Flamengo conta com a vontade dos atletas de participarem do projeto para convencer Bragantino e Roma

Depois de anunciar De La Cruz, o Flamengo quer fechar as outras duas negociações em que tem conversas avançadas: Léo Ortiz e Matías Viña. As situações dos atletas são bastante parecidas no momento, e o Rubro-Negro trata ambas com muito otimismo, ainda que o acordo não seja firmado em 2023. A ideia é não fugir do planejamento, antecipado pela Trivela neste mês.

O Flamengo pensa em ter todas as prioridades definidas por departamento de futebol e comissão técnica no início de janeiro, pensando na reapresentação, marcada para o dia 08 de janeiro, no Ninho do Urubu. A ideia do clube é que todos os reforços estreiem na pré-temporada organizada nos Estados Unidos, em que o Rubro-Negro enfrentará o Orlando City.

Léo Ortiz muito próximo do Flamengo

O zagueiro tem tudo para ser o segundo reforço do Flamengo nesta janela de transferências. Léo Ortiz quer se transferir para o Rio de Janeiro, e vê no Rubro-Negro uma mudança de patamar para a carreira. Entre ele, seu estafe e o departamento de futebol já está tudo certo: salários e bonificações dentro do esperado e contrato de cinco anos. Só faltou combinar com o Red Bull Bragantino.

Léo Ortiz celebra um de seus gols pelo Red Bull Bragantino (Foto: Diogo Reis/AGIF/Sipa USA)

Dono dos direitos econômicos do atleta, o clube de Bragança Paulista pediu muito mais do que o Flamengo ofereceu na primeira investida. A oferta inicial do departamento de futebol foi de R$ 25 milhões, enquanto o Bragantino esperava algo na casa dos R$ 53 milhões. Existe a expectativa interna, no entanto, de que o acordo gire em torno dos R$ 40 milhões, segundo apurou a reportagem. Esse é o único empecilho para a encaminhada negociação.

Viña tem acordo, mas aguarda negociação com a Roma

O uruguaio é outro que tem o desejo de vestir a camisa do Flamengo. Por mais que receba um bom salário e seja titular absoluto no Sassuolo, a mudança de patamar pesou na vontade de retornar ao Brasil, mais precisamente ao Rio de Janeiro. Mais uma vez, o Rubro-Negro chegou a um acordo entre salários, bonificações e tempo de contrato, que será de quatro anos, antes de buscar a definição com o clube detentor.

Viña já aceitou as condições do Flamengo e aguarda negociação com a Roma (Foto: Luigi Canu/LiveMedia)

Matías Viña pertence à Roma, que deseja vendê-lo, mas a sinalização inicial do Flamengo também não agradou. A equipe da capital italiana está irredutível quanto a pedida de R$ 53 milhões, enquanto o Rubro-Negro ofereceu, de maneira não oficial, R$ 35 milhões. Mais uma vez, o clube carioca aposta na vontade do atleta para chegar a um denominador comum, que agrade ambas as partes.

Objetivo passa pelo planejamento

Claro que o Flamengo quer fechar antes da virada do ano, mas, se não for possível, não haverá desespero. Internamente, o clube trabalha com a chegada dos reforços até o dia 08 de janeiro, data da reapresentação, embora o prazo possa ser esticado por dez dias. A Trivela ouviu de uma fonte ligada ao dia a dia do clube que todos precisam estar à disposição na pré-temporada.

A força do projeto do Flamengo

Saber que um jogador quer vestir a camisa do seu clube é uma sensação muito boa. Para o Flamengo, no entanto, isso já está se tornando uma normalidade. A força do clube carioca no mercado brasileiro e sul-americano é inegável, mas o Rubro-Negro está alçando voos ainda mais altos. Léo Ortiz tinha sondagens da Europa, mas preferiu o Rio de Janeiro, enquanto Viña quer trocar a parte de baixo do Calcio para ser protagonista no Brasil. Não é por acaso.

Landim e Braz, querendo ou não, mudaram o Flamengo de patamar desde 2019 (Foto: Alexandre Vidal/CRF)

O Rubro-Negro é um dos, senão o único clube brasileiro a oferecer tamanhas condições. O projeto tem sido a marca registrada do Flamengo para atrair grandes talentos. Compromissos em dia, estrutura de primeiro mundo, possibilidade de conquistar títulos em profusão e, claro, uma torcida apaixonada que lota o Maracanã a qualquer custo. Tudo pesa na hora de negociar, e a diretoria está ciente de como essas valências podem captar grandes jogadores.

Foto de Guilherme Xavier

Guilherme Xavier

Jornalista formado pela PUC-Rio. Da final da Libertadores a Série A2 do Carioca. Copa do Mundo e Olimpíada na bagagem. Passou por Coluna do Fla e Lance antes de chegar à Trivela, onde apura e escreve sobre o Flamengo desde 2023.
Botão Voltar ao topo