Brasil

Parceiro de Endrick na base do Palmeiras vai à Justiça e cobra Santos por lesão e término precoce da carreira

Após trocar o Palmeiras pelo Santos, jovem teve uma lesão no joelho que não recebeu a devida atenção dos médicos do Peixe e condenou a sua carreira

O sonho de se tornar um jogador de futebol profissional formado pelas categorias de base do Santos virou um pesadelo para o jovem Lucas Maciel Pássaro, atualmente com 19 anos. Em janeiro de 2021, ele, que foi parceiro de ataque de Endrick no Palmeiras, passou a sofrer com problemas no joelho direito que, segundo o próprio, acabaram ignorados pelo Departamento de Base do Peixe da época.

Com laudos médicos devidamente anexados, o agora funcionário de uma indústria de pães, em Itapetininga, São Paulo, ingressou com uma ação, à qual a Trivela teve acesso, contra o Alvinegro cobrando uma série de indenizações que ultrapassam meio milhão de reais.

Sem condições financeiras para arcar com as custas da ação, Lucas Pássaro, por meio do advogado Rodolfo Rivelli, pede gratuidade de Justiça. Em razão disso, o clube ainda não foi notificado pelo juiz Frederico dos Santos Messias, da 4ª Vara Cível de Santos, pois o magistrado quer, antes, que seja comprovada tal falta de renda.

Somente depois disso o juiz dará andamento ao processo e, consequentemente, o direito para que o Santos se defenda. Caso a falta de renda não seja comprovada, Frederico Messias estipulará uma prazo para que Pássaro obtenha os recursos.  Não conseguindo isso, o juiz extinguirá o processo antes mesmo de notificar o Peixe

Passagem pela base do Palmeiras

Em 2017, Lucas Pássaro iniciou a sua passagem pelo Palmeiras atuando pela equipe sub-13. Foram dois anos com a camisa alviverde disputando torneios no Brasil e no exterior, sendo, inclusive, parceiro de ataque da jóia Endrick, já vendido ao Real Madrid, da Espanha.

Em 2018, por exemplo, ele ajudou a base palmeirense a conquistar um torneio amistoso no Japão com 20 equipes e terminando a competição como o principal artilheiro com seis gols marcados.

Neste mesmo ano, Pássaro e Endrick foram dois dos artilheiros alviverdes no Campeonato Paulista sub-13.

Lucas Pássaro e Endrick na base do Palmeiras
Pássaro ao lado do goleiro comemorando uma conquista no Palmeiras junto com Endrick (Arquivo pessoal)

Chegada de Pássaro ao Santos em 2019

Apesar de grande expectativa no Palmeiras, Lucas Pássaro foi aprovado em uma seletiva realizada pelo Santos, em 2019, e decidiu, em agosto, trocar de clube. À época, o jovem estava com apenas 14 anos e mudou para a cidade de Santos com toda a sua família.

Um ano e meio mais tarde começaram os problemas. “Após forte impacto em treino ocorrido em fevereiro de 2021, Lucas Pássaro passou a sofrer com fortes dores no joelho”, alega a defesa no processo.

Pássaro recorre a um médico particular

Com muita dor e desgaste, Pássaro, por intermédio de sua família, foi ao consultório particular do médico ortopedista Maurício Zenaide, especialista em cirurgia de joelho e lesões esportivas, e confirmou o problema.

– Conforme prontuário datado de 09/06/2021, foi enviado relatório ao médico do Santos, ressaltando o quadro de tendinite patelar, solicitando redução de impacto, para que houvesse melhora na reabilitação, bem como outras orientações. O Santos não seguiu as recomendações do médico especialista, sendo Pássaro submetido a cargas exageradas de fisioterapia no clube, bem como treinamentos e competições, consequentemente gerando impactos consideráveis nos joelhos de Pássaro – prossegue a defesa.

No final daquele mesmo mês, Pássaro voltou ao médico particular que, desta vez, recomendou que o atleta “fosse afastado de treinamentos, de atividades com corridas e saltos, bem como retornasse à reabilitação”.

Lucas Pássaro na base do Santos
Pássaro atuou na base do Santos entre 2019 e 2021, mas foi dispensado mesmo com os problemas no joelho (Foto: Arquivo Pessoal)

As orientações foram novamente ignoradas pelo Departamento de Base do Santos “partindo da perigosa premissa de que o ‘atleta precisava aparecer'”, afirma a defesa no documento entregue à Justiça tomando como base aquilo que o jovem escutava no clube.

Pássaro é dispensado pelo Santos

Em agosto de 2021, apesar da lesão, Pássaro foi dispensado pelo Santos sem qualquer tipo de amparo. Ainda com o sonho de se tornar um jogador de futebol profissional, o jovem tentou iniciar tratamentos, mas, segundo a defesa do mesmo, precisou interromper todas as tentativas por falta de recursos.

Sem dinheiro para tratar a lesão e convencido de que não poderia mais atuar profissionalmente, Pássaro, que alega ter dores no joelho para ações rotineiras até os dias atuais, decidiu buscar a Justiça para ser indenizado.

O que Lucas Pássaro pede na Justiça?

Conforme a ação ajuizada na 4ª Vara Cível de Santos, Pássaro faz os seguintes pedidos na Justiça:

1) Ao final do processo seja confirmada a liminar, condenando o Santos a custear o tratamento de forma completa de Pássaro, bem como sejam julgados procedentes os pedidos, com a condenação do Santos ao pagamento das seguintes indenizações:

  • A) Por Danos Materiais em razão dos gastos despendidos no importe de R$ 3,3 mil;
  • B) Por Danos Materiais pela Perda de Uma Chance no importe de R$ 300 mil.
  • C) Por Danos Morais no importe de R$ 200 mil.

2) Além disso, é solicitada também condenação do Santos em custas processuais e honorários sucumbenciais de 20%;

Ao todo, o ex-jogador pede R$ 510 mil como indenização do Santos

O que são Danos Materiais pela Perda de Uma Chance?

A teoria da perda de uma chance, é um instrumento jurídico que visa indenizar o indivíduo pela perda de uma chance real e concreta de obter um resultado favorável em uma determinada situação, causada pela conduta ilícita de terceiros.

No caso em questão, a defesa de Pássaro entende que o jovem perdeu uma chance real de se tornar jogador de futebol por conta de condutas negligentes, imprudentes e de má-fé do Santos.

Foto de Bruno Lima

Bruno Lima

Bruno Lima nasceu em Santos (SP) e se formou em Jornalismo na Universidade Católica de Santos (UniSantos) em 2010. Antes de escrever para Trivela, passou por A Tribuna.
Botão Voltar ao topo