Brasil

Lázaro se credencia para sucessão do ataque do Palmeiras, mas sombra no setor assusta

Palmeiras tem lista extensa de jogadores para formar seu ataque pós-Endrick

Endrick tem no máximo mais dois jogos pelo Palmeiras. E o clube não foi atrás de um substituto específico para ele. Contudo, não falta concorrência no novo setor de ataque de Abel Ferreira.

Lázaro é um dos candidatos que, no momento, tem mais cacife para um lugar no time, tanto pela esquerda quanto pelo centro do setor ofensivo — considerando que Estêvão já é o dono da ponta direita.

Típico ponta-esquerda destro, com corte para dentro do campo, Lázaro fez dois gols no ano, em 18 participações. Parece pouco, mas dá a ele uma média parecida com a do próprio Endrick, que fez quatro gols em 20 jogos, mas soma muito mais minutos. Muito próxima também da de Rony, com cinco gols em 28 jogos.

A questão é que, números à parte, Rony vive um mau momento perante à torcida. Ao contrário de Lázaro, por quem há uma explícita torcida do palmeirense — até como fora de afastar Rony do time.

Com a saída de Endrick também, a tendência é que Rony voltar a brigar por um lugar como centroavante com Flaco. Sem a sequência que teve no Paulista, porém, o argentino perdeu completamente o embalo.

Dribles

Um dois três artilheiros com um gol do time no Campeonato Brasileiro (Ríos e Estêvão o acompanham), Lázaro já finalizou seis vezes e é o 2º no quesito, atrás de Rony, com sete.

É o 2º também em dribles, com cinco contra nove do líder Endrick. Com cinco assistências para chutes de companheiros, é o terceiro, atrás de Veiga (7) e Luis Guilherme (6).

Concorrência pesada

O azar de Lázaro é o fato de Dudu estar muito próximo de voltar a jogar. E é pela esquerda do ataque que o camisa 7 vinha jogando antes da lesão — lembrando que, pela direita, Estêvão dificilmente deixará de iniciar as partidas.

O Baixola já treina sem restrições e chegou a atuar por 70 minutos no jogo-treino contra o São Bento, no último sábado (vitória por 6 a 1). Mas, para uma partida oficial, o atacante ainda precisa evoluir um pouco mais. Por isso, ele não vai com a delegação para Ribeirão Preto amanhã, tentar vaga na Copa do Brasil contra o Botafogo-SP.

Com a vitória no último lance, no último dia 2 de maio, por 2 a 1, o Palmeiras só precisa de um empate no Estádio Santa Cruz para passar às oitavas. E se for minimamente parecido com o jogo da ida, a partida da volta promete ser duríssima para o Verdão.

— Foi uma vitória importante para nós. Sabíamos da dificuldade do confronto, ainda mais por decidir fora de casa. Conseguimos impor nosso ritmo e conseguir uma boa vitória. Vamos para o segundo jogo muito preparados e vamos fazer uma excelente partida para sair com a classificação — disse Lázaro, à TV Palmeiras, nesta quarta-feira.

O ajuste que falta a Dudu é físico, questão de ritmo de jogo mesmo. No que diz respeito à parte clínica, o camisa 7 está completamente recuperado da cirurgia do ligamento cruzado anterior do joelho direito, que o tirou de campo em 27 de setembro do ano passado.

Briga aberta

Por mais que Estevão parece ter encontrado um lugar para chamar de seu, Abel Ferreira tem várias opções para reformar o ataque do Verdão depois do dia 30, quando Endrick encara o San Lorenzo e diz adeus ao clube.

Ao todo, contando Felipe Anderson, que só chega em julho, o português tem oito candidatos para apenas três lugares na frente: Estevão, Luis Guilherme, Flaco López, Rony, Lázaro, Dudu e Bruno Rodrigues.

Foto de Diego Iwata Lima

Diego Iwata Lima

Jornalista formado pela Faculdade Cásper Líbero, Diego cursou também psicologia, além de extensões em cinema, economia e marketing. Iniciou sua carreira na Gazeta Mercantil, em 2000, depois passou a comandar parte do departamento de comunicação da Warner Bros, no Brasil, em 2003. Passou por Diário de S. Paulo, Folha de S. Paulo, ESPN, UOL e agências de comunicação. Cobriu as Copas de 2010, 2014 e 2018, além do Super Bowl 50. Está na Trivela desde 2023.
Botão Voltar ao topo