Brasil

Já são 100 dias de MorumBIS, mas estádio segue sem novo letreiro; explicamos o porquê

São Paulo ainda aguarda liberação da prefeitura para poder instalar novo logo do estádio

O São Paulo se orgulha de ter o “menor acordo de naming rights do mundo”, ao transformar o Morumbi em MorumBIS. O acréscimo deste “S” tão valioso renderá ao clube R$ 75 milhões ao longo de três temporadas e foi celebrado em evento no último dia 29 de fevereiro justamente porque 2024 é um ano bissexto – ou BISsexto para o trocadilho dar certo. A casa são-paulina já foi rebatizada há mais de 100 dias, mas um desavisado que passa pelo estádio não saberia dizer que ele mudou de nome.

Isso, porque o novo letreiro do MorumBIS ainda não foi instalado na fachada. Atualmente, o local está protegido com um tapume, depois da remoção do outdoor anterior, como a foto que ilustra a matéria, tirada minutos antes da vitória do São Paulo por 2 a 0 sobre o Cobresal, na última quarta-feira (10), pode comprovar. E a Trivela apurou que há um motivo para isso e para tanta demora.

Por que o novo letreiro ainda não foi instalado?

Como o letreiro se trata de uma propaganda para a marca de chocolates BIS, da multinacional Mondeléz, ele precisa estar adequado às normas da Lei de Cidade Limpa, que regulamenta a instalação de painéis de publicidade na cidade de São Paulo. Conforme apurado, a licitação ainda está em tramitação na Prefeitura, aos cuidados da empresa. Não há, portanto, um prazo definido para que o novo outdoor seja instalado.

A instalação do novo símbolo na fachada é um dos últimos procedimentos restantes para transformar o Morumbi em MorumBIS, de fato. Do lado de dentro, o estádio já recebe e exibe o seu novo nome nas áreas de imprensa e também em painéis de publicidade nas arquibancadas. Outra novidade que será colocada em prática será uma nova nomenclatura para os setores.

O São Paulo já chama o Morumbi de MorumBIS desde o início do ano, claro, e registrou o estádio com o novo nome em todas as competições que irá disputar. Há também um trabalho de bastidores com profissionais da imprensa e empresas de comunicação para que todos utilizem a nova nomenclatura.

Como é o contrato do São Paulo com a Mondeléz?

São Paulo e Mondeléz assinaram contrato de naming rights do MorumBIS com duração de três temporadas. O clube receberá um total de R$ 75 milhões neste período – R$ 25 milhões por temporada. O motivo para que o vínculo seja tão curto é porque o clube se vê em um “processo de experiência” para entender se o acordo será positivo e se o nome vingará na boca dos torcedores e da mídia. A avaliação inicial, aliás, é de que o MorumBIS já deu certo.

O contrato não prevê cláusulas de renovação automática. Mas há, sim, alguns períodos previstos para que ocorram conversas para renovar o vínculo.

Antigo letreiro será leiloado

O São Paulo já removeu o antigo letreiro do Morumbi e pretende leiloar as letras, com renda revertida a uma entidade beneficente. O clube só irá guardar as iniciais “C” “P” “T”, do nome Cícero Pompeu de Toledo para expô-las no museu. Além disso, a diretoria pretende inaugurar uma estátua em homenagem a Cícero Pompeu de Toledo, ainda sem previsão de lançamento.

– Está sendo feita uma estátua para Cícero Pompeu de Toledo. Iremos colocar essa estátua em lugar de destaque no estádio. Essa é uma forma de homenagear um grande são-paulino. Essa vai ser nossa homenagem. Eternizar o Cícero como fizemos com Telê – garante Eduardo Toni, diretor de marketing do clube.

Clube já pensa em renovar contrato com Mondeléz

Em entrevista coletiva recente, Toni, se disse muito orgulhoso daquele que ele chamou de “menor de naming rights do mundo”, em alusão ao acréscimo de apenas um “s” ao nome original. Tanto orgulho que o dirigente já projetou a renovação de contrato com a Mondeléz, multinacional que é dona da marca Bis.

– Essa pergunta é boa. A gente tem aqui no São Paulo muita confiança em que vamos renovar o contrato muito antes do prazo, em decorrência do sucesso e da certeza do retorno que a Mondeléz vai ter com o projeto. Estamos fazendo anúncio oficial, vamos colocar letreiro, as ações de sector rights. A gente tem confiança que vai renovar. Isso não passa de expectativa, porque estamos começando apenas o projeto. Mas com otimismo enorme – disse Toni.

Foto de Eduardo Deconto

Eduardo Deconto

Eduardo Deconto nasceu em Porto Alegre (RS) e se formou em Jornalismo na PUCRS. Antes de escrever para a Trivela, passou por ge.globo e RBS TV.
Botão Voltar ao topo