Brasil

Meio campo do Corinthians foi deserto de ideias em 2023 mesmo com chegada do badalado Rojas

Com saída de Renato Augusto e possibilidade da venda do Moscardo, Rojas terá de mostrar a que veio em 2024 no Corinthians

Um dos maiores problemas do Corinthians em 2023 foi certamente o seu setor de criação. Inconstante e quase sempre desfalcado de alguma peça chave, o time teve dificuldades dentro do campo, sofreu para desenvolver as jogadas e teve muitos obstáculos para municiar seus atacantes.

O setor contou com os já experientes Maycon, Giuliano e Renato Augusto como base durante a temporada. Por conta dos recorrentes problemas físicos, nomes como Gabriel Moscardo – que ganhou chances com Vanderlei Luxemburgo – e o paraguaio Matías Rojas – que veio do Racing com grande expctativa – passaram a frequentar o onze inicial.

Ainda assim, o clube não conseguiu encontrar um equilíbrio em sua espinha dorsal. Moscardo e Maycon sofreram com lesões, mas também variaram muito seu desempenho quando estiveram em campo. Renato Augusto e Giuliano tiveram seus bons momentos, mas esbarram nas limitações físicas. Rojas, por fim, talvez tenha sido a grande decepção. O paraguaio sofreu com lesões e quando esteve em campo foi criticado por sua postura indolente em jogos importantes para o clube na temporada.

Esses foram os pontos fortes do meio campo do Corinthians 

Um dos pontos mais fortes do meio campo do Corinthians foi a promoção de Gabriel Moscardo da base do time para o elenco profissional. Já em seu primeiro jogo, diante do Liverpool-URU pela Copa Libertadores da América, o jovem mostrou personalidade na vitória do Corinthians por 3 a 0. Moscardo encaixou taticamente no time desde o início, tomou conta da posição e fez ótimas partidas. Ao todo foram 25 jogos disputados: 21 como titular, e um (essencial) gol marcado, diante do Vasco pelo Campeonato Brasileiro.

O desempenho foi tão bom que o Corinthians deve perder o jogador para a próxima temporada, Moscardo já tinha recebido propostas do Chelsea, em outubro. Agora, o jovem é alvo do Paris Saint-Germann, que já trouxe dirigentes para acompanhar o volante de perto. O dirigente do PSG já sinalizou que pretende apresentar uma oferta de cerca de 25 milhões de euros, mas as trativas ainda não foram iniciadas.

Mesmo com sua saída dada como certa, Augusto Melo, novo presidente do clube, já declarou que não pretende negociar Moscardo na próxima janela de transferências.

Os pontos fracos da meio campo do Corinthians

Dois fatores podem ser destacados como problemas do Corinthians no meio de campo: as lesões do Renato Augusto e as decepcionantes atuações de Matías Rojas. Ídolo do clube por suas passagens anteriores, Renato teve atuações brilhantes em 2023, mas os problemas físicos o tiraram de um alto número de partidas na temporada. Sem ritmo de jogo quando voltava, o meia não conseguia dar o ritmo que sempre imprimiu ao jogo alvinegro com maestria. Ao todo, o craque disputou 45 jogos e marcou seis gols.

Diante da inexperiência de jovens como Moscardo e das limitações físicas de Giuliano e Renato Augusto, a esperança do segundo semestre recaiu sobre o Matías Rojas. Em seu início, o paraguaio encantou a torcida, ainda mais na estreia diante do América-MG, em jogo de volta das quartas de final da Copa do Brasil.

A sequência do paraguaio, porém, ficou marcada por lesões que minaram qualquer chance de entrosamento com os companheiros. Já sob Mano Menezes, a expectativa é que o meia pudesse ser protagonista em um clube minimamente mais organizado, mas não foi o que aconteceu. Rojas terminou a temporada em baixa dentro de campo e segue sendo uma incógnita para 2024.

O que esperar do meio campo em 2024?

Para 2024, o Corinthians pode ter problemas no meio de campo, sem Renato Augusto, que já teve sua saída anunciada pelo clube, e a possibilidade da venda de Gabriel Moscardo, o meio-campo é outra posição que precisará de contratações. No melhor dos mundos, Mano Menezes pode conseguir proporcionar – finalmente, uma boa sequência a Rojas, que tem contrato com o time por mais duas temporadas.

O paraguaio, porém, não se converterá em salvador da pátria de um dia para o outro. É preciso que Mano Menezes, respaldado pela nova diretoria, pense em reforços que tragam mobilidade e constância para o setor. Além disso, talvez seja a hora de dar mais responsabilidade a Maycon, jogador já identificado com o clube e que precisa mostrar mais dentro de campo.

Foto de Jade Gimenez

Jade Gimenez

Jornalista, fascinada por esporte desde a infância e transformou a paixão em profissão. Além do futebol, se mantem por dentro de outras modalidades desde Fórmula 1 até NFL. Trabalhou como repórter em TV e rádio cobrindo partidas de futebol, futsal e basquete.
Botão Voltar ao topo