Brasil

Renovação de Mayke coroa ano de virada de chave do lateral e reafirma jeito Abel de trabalhar no Palmeiras

Lateral-direito, homem de confiança de Abel, vai ter seu vínculo estendido por mais um ano com o Palmeiras

O lateral-direito Mayke, 31, está próximo de ter seu contrato com o Palmeiras estendido até o fim de 2025. Com vínculo até o fim da próxima temporada, o jogador já conversa com o clube, e o acerto pode acontecer antes do fim deste ano ainda. A informação foi primeiramente divulgada pelo UOL, e confirmada pela Trivela com fontes do clube.

O reconhecimento com a ampliação do vínculo contratual fecha com chave de ouro a temporada em que o camisa 12 teve mais importância desde sua chegada ao Palmeiras, em 2017. Importância refletida, por exemplo, na seleção da Trivela do Brasileirão e no Troféu Bola de Prata, nos quais Mayke foi apontado o melhor de sua posição.

Pela primeira vez desde que chegou ao clube, Mayke foi o titular absoluto da lateral-direita. Desbancou ninguém menos que Marcos Rocha, atualmente o segundo na hierarquia de capitães do Palmeiras, atrás apenas de Gustavo Gómez. Em 58 jogos, Mayke fez dois gols e oito assistências.

Mais do que isso, Mayke conquistou tanto a confiança de Abel que acabou sendo o escolhido até para atuar no ataque, depois da lesão de Dudu. Artur foi para a ponta-esquerda para que Mayke permanecesse no lado em que está mais habituado a jogar.

Em que pese o fato de tal mexida ter atrapalhado o rendimento ofensivo do Verdão, o fato é que Mayke foi o primeiro nome pensado por Abel quando precisou fazer uma mexida de peso no time.

Mérito por tempo e qualidade de trabalho

A ascensão de Mayke mostra também a coerência de Abel no trabalho realizado com os jogadores. Desde 2020, Abel vem martelando na tecla de que, como ele, jogam aqueles que estiverem melhores.

Desse modo, não foi com cerimônia que a passagem de bastão de Rocha para Mayke aconteceu.

E vale ainda lembrar que Rocha, que nesse ano foi muitas vezes aproveitado como zagueiro, também teve seu contrato com o clube renovado – o vínculo anterior, que termina em dezembro, foi substituído por um que vai até o fim de 2024.

Manutenção do time-base e reforços

O Palmeiras de 2024 deve ser muito parecido com o de 2023, por opção da comissão técnica e da direção do clube alviverde.

Ao contrário de 2023, quando o time começou o ano sem Gustavo Scarpa e Danilo, dois de seus principais nomes na temporada anterior, o Palmeiras deve começar 2024 com todos os titulares do ano anterior aptos a jogar.

De perdas na próxima temporada, a única confirmada é a de Endrick, que deixa o Verdão em junho para jogar no Real Madrid a partir de julho.  Artur tem negociação avançada com o Zenit, mas o martelo ainda não foi batido com os russos.

Os alvos do Palmeiras no mercado da bola

O Palmeiras busca ao menos mais dois reforços para setores de seu elenco que carecem de maias força. Ainda não há consenso quanto a nomes. Os meias Cauly, do Bahia, e Caio Alexandre, do Fortaleza, são nomes ventilados por alguns veículos de imprensa.

A Trivela, contudo, não tem confirmação sobre tais especulações até o momento.

Como foi a temporada do Palmeiras em 2023?

O Palmeiras teve mais um ano excelente, como vem ocorrendo com certa frequência de 2015 para cá. Assim como em 2022, o Palmeiras chega ao fim da temporada tendo levantado três troféus.

O mais importante de todos foi também o mais recente. Em 6 de dezembro, o Palmeiras se sagrou bicampeão brasileiro, depois de uma arrancada impressionante nas últimas 11 rodadas da competição, com apenas uma derrota e dois empates no período.

Com tal desempenho, a equipe de Abel Ferreira atropelou o Botafogo, que liderou o Brasileirão por 33 rodadas, mas chegou ao fim da última apenas na quinta posição.

A primeira taça do Palmeiras no ano veio já em janeiro. No dia 28 do primeiro mês do ano, o Alviverde bateu o Flamengo em Brasília para ficar com a Supercopa do Brasil, num jogo muito aberto e com muitos gols: 4 a 3.

Depois, no fim de abril, veio a conquista do Paulistão. Depois de perder a ida da final para o surpreendente Água Santa, por 2 a 1, o Verdão venceu a volta por 4 a 0 para ficar com o bi do Estadual.

Na Copa do Brasil e na Libertadores, o time não teve a mesma sorte, e acabou eliminado por dois rivais tradicionais. Na competição nacional, perdeu para o São Paulo, em julho. No Continental, o time caiu nos pênaltis para o Boca Juniors, no começo de outubro.

Tais derrotas encaminhariam o time para um fim de ano melancólico. Mas a impressionante conquista do Nacional transformou o último mês da temporada palmeirense em uma enorme festa.

Foto de Diego Iwata Lima

Diego Iwata LimaSetorista

Jornalista formado pela Faculdade Cásper Líbero, Diego cursou também psicologia, além de extensões em cinema, economia e marketing. Iniciou sua carreira na Gazeta Mercantil, em 2000, depois passou a comandar parte do departamento de comunicação da Warner Bros, no Brasil, em 2003. Passou por Diário de S. Paulo, Folha de S. Paulo, ESPN, UOL e agências de comunicação. Cobriu as Copas de 2010, 2014 e 2018, além do Super Bowl 50. Está na Trivela desde 2023.
Botão Voltar ao topo