Brasil

Lorran e Victor Hugo são lados distintos da mesma moeda no Flamengo

Tite terá que usar jovens para suprir ausências de Pulgar, De La Cruz e Arrascaeta, que estão com suas respectivas seleções para a Copa América

As categorias de base do Flamengo terão um papel fundamental para Tite durante o período de Copa América. Defesa e ataque sofrem menos, mas o meio-campo rubro-negro está totalmente esfacelado com as ausências de Pulgar, De La Cruz e Arrascaeta. A bola estará no campo dos Garotos do Ninho, e as opções são interessantes, ainda que vivam momentos diferentes.

Lorran e Victor Hugo são de safras diferentes, tanto que o primeiro nem completou 18 anos ainda, mas ambos geram enorme expectativa interna no Flamengo. Enquanto um recebeu oportunidades valiosas de Tite, o outro busca uma chance para se reencontrar. São lados da mesma moeda, que será fundamental para a engrenagem rubro-negra durante a Copa América.

A bola da vez

O Rugal terá papel importantíssimo para o Flamengo durante o período de Copa América. Tite encontro no Garoto do Ninho um substituto para Arrascaeta, que o Rubro-Negro busca há algum tempo. A vitória sobre o Corinthians, em que Lorran marcou e concedeu assistência, deixou uma impressão muito interessante.

Ser a bola da vez, contudo, implica em grandes responsabilidades. Por mais que a oscilação seja comum de jovens de 17 anos estreando num clube como o Flamengo, a sequência do Campeonato Brasileiro não permite isso. É um período fundamental para o crescimento do atleta, mas, caso Tite não saiba dosar, pode minar a confiança.

Lorran é a próxima joia do Flamengo (Foto: Thiago Ribeiro/AGIF (Photo by Thiago Ribeiro/AGIF/Sipa USA) – Photo by Icon Sport

Hora de se reencontrar

Se Lorran está com confiança de sobra, Victor Hugo quer voltar a viver momentos interessantes no Flamengo. O meia subiu para os profissionais em 2022 e participou ativamente da campanha no Campeonato Brasileiro, enquanto o time das Copas levantava a Libertadores e a Copa do Brasil. Conseguiu seu espaço com Dorival Júnior e ganhou importância sob a batuta de Sampaoli.

Victor Hugo foi titular em boa parte do trabalho do argentino no Flamengo, que o via como um segundo volante bem interessante. A chegada de Tite fez com que as oportunidades cessassem, e o Garoto do Ninho acabou voltando para o fim da fila em 2024. De 37 e 46 jogos em 2022 e 2023 para 15 nesta temporada, sendo apenas dois como titular.

Victor Hugo comemora um de seus gols pelo Flamengo (Foto: CARL DE SOUZA/AFP/IconSport)

Esperanças dentro e fora de campo

Lorran tem tudo para ser titular, mas Victor Hugo ainda corre por fora, pelo menos para o primeiro desafio do período de desfalques: o jogo contra o Grêmio, nesta quinta-feira (13). Tite, inclusive, prometeu mais oportunidades aos atletas que não conseguiram entrar em campo com tanta frequência assim, como é o caso de VH.

Como mencionado, as oportunidades não serão importantes apenas pelo ritmo de jogo, mas porque o Flamengo quer manter as suas promessas em evidência no mercado. Victor Hugo, por exemplo, estava bastante valorizado no mercado quando Sampaoli concedeu a titularidade, mas perdeu um pouco de fôlego com Tite.

Tanto Lorran quando Victor Hugo receberam sondagens ao longo desta temporada. Ainda que nenhuma proposta oficial tenha chegado, o Flamengo avalia a venda de diversos Garotos do Ninho nesse período, como também é o caso de Wesley. Assim gira a engrenagem rubro-negra: o rendimento dentro de campo faz com que as vendas aconteçam, e o dinheiro serve para melhorar o time.

Foto de Guilherme Xavier

Guilherme Xavier

Jornalista formado pela PUC-Rio. Da final da Libertadores a Série A2 do Carioca. Copa do Mundo e Olimpíada na bagagem. Passou por Coluna do Fla e Lance antes de chegar à Trivela, onde apura e escreve sobre o Flamengo desde 2023.
Botão Voltar ao topo