Brasil

Internacional tem receita interna para reagir após eliminação no Gaúchão

Após montar bom elenco para a temporada, Internacional deseja chegar mais longe do que conseguiu no estadual

O baque foi grande. Depois de muito se reforçar, e iniciar a temporada com o melhor aproveitamento entre os clubes da Série A do Campeonato Brasileiro, o Internacional alimentou expectativa de que, enfim, encerraria o jejum de títulos e voltaria a conquistar o Campeonato Gaúcho após oito anos. Mas a eliminação na semifinal, para o Juventude, em pleno Beira-Rio, manteve a sina.

Mais do que isso, a forma como a queda aconteceu foi traumática. O Juventude teve superioridade nos dois jogos, muito por conta da estratégia de Roger Machado ter suplantado a de Eduardo Coudet. Atitudes inconsequentes dos jovens Maurício, expulso por dar pontapé em Nenê, e Robert Renan, que desperdiçou pênalti ao tentar cavadinha, também pesaram.

Barcellos deixou claro que a cobrança foi forte no vestiário do Internacional

A cobrança foi forte no vestiário colorado após a eliminação. Tanto dos atletas entre si, quanto da comissão técnica e da diretoria. O presidente Alessandro Barcellos foi muito direto em entrevista coletiva depois do jogo: pelo investimento que foi feito pelo clube, e pela necessidade de conquistar títulos, algumas situações não serão toleradas.

— Eu não vou individualizar, mas já tivemos cobranças, e elas serão maiores. O Internacional não pode perder campeonato por detalhe, por algum ajuste que esteja no nosso controle. Tenho preocupação com as palavras que venho a usar, para não jogar fora o trabalho. Mas a gente não pode ficar passando pano com o investimento que o Internacional está fazendo, com a necessidade que nós temos de conquista. Por isso, tem que cuidar ao se manifestar em cada gesto, em cada detalhe. Eu disse para os atletas: não falta nada no vestiário. E a gente vai cobrar o resultado. Portanto, tenho certeza de que vamos ter uma temporada de vitórias, de conquistas. Que essa eliminação doída sirva para que a gente tenha um ano muito melhor — afirmou Barcellos.

Se em outras eliminações nas últimas três temporadas o presidente colorado foi um dos principais alvos da torcida, seja pelo treinador que estava na casamata, ou pelo grupo de jogadores, desta vez Barcellos passou ileso. Até porque fez o trabalho que tinha que ser feito para qualificar o elenco semifinalista da Libertadores no ano passado.

Internacional terá acréscimo de quatro reforços que não puderam atuar no Gauchão

É verdade que, dos dez jogadores contratados pelo Inter, quatro não puderam atuar no Campeonato Gaúcho por terem chegado após o encerramento do prazo de inscrições. E é também pelo acréscimo que Bernabei, Fernando, Thiago Maia e Borré podem dar a equipe que o Colorado acredita em uma reação para os próximos desafios na temporada: Copa Sul-Americana, Campeonato Brasileiro e Copa do Brasil.

O quarteto, inclusive, estará à disposição para a estreia na competição continental, contra o Belgrano, na próxima terça-feira (2), às 19h, em Córdoba, na Argentina. A tendência é que ao menos Fernando seja titular. Mas os outros três também brigam por posição, e podem oferecer características diferentes aos jogadores que atuaram em suas posições no Gauchão.

Na avaliação de Coudet, faltou imposição física para o Inter nos duelos com o Juventude. E principalmente Fernando, Thiago Maia e Borré poderão oferecer isso à equipe. Até por isso foram contratados, a partir da análise de carências na temporada passada.

— Não vamos ter uma imposição física porque não temos essa característica. Temos Alan Patrick, Bruno Henrique, Aránguiz, Wanderson, Maurício. Imposição física? Muito difícil. Por isso completamos com Fernando, Borré e Thiago Maia. Era o que estava nos faltando para jogar algo diferente. […] Temos que trabalhar, sigo achando que é um ano promissor para o Inter, e que temos uma competição interna muito forte. Às vezes não está tão fino o 11 que inicia, e a imposição física ganha jogos também — avaliou Coudet.

Foto de Nícolas Wagner

Nícolas Wagner

Gaúcho e formado em Jornalismo pela PUC-RS, já passou pela Rádio Grenal e pela RDC TV. É, também, coordenador de conteúdo da Rádio Índio Capilé.
Botão Voltar ao topo