Brasil

‘Um horror’: Renato cobra Federação Gaúcha por conta das condições dos estádios do estadual

Após vitória do Grêmio sobre o Avenida, Renato Portaluppi detonou as condições do Estádio dos Eucaliptos e reclamou da permissividade da Federação Gaúcha de Futebol

Após cinco rodadas, o Grêmio é líder do Campeonato Gaúcho, com 12 pontos. Mas nem por isso Renato Portaluppi está satisfeito. Após a vitória por 1 a 0 sobre o Avenida, na noite de sábado (3), em Santa Cruz do Sul, o treinador gremista detonou a condição do Estádio dos Eucaliptos, e cobrou a Federação Gaúcha de Futebol por conta da permissividade.

— Não é possível a Federação ficar cobrando isso, cobrando aquilo da dupla Gre-Nal. A gente chega aqui, o vestiário um horror, o gramado um horror, a iluminação um horror. Aí daqui a pouco tem um jogador aí que é contratado por 4, 5 milhões de euros, machuca em um campo desses, fica um longo tempo parado. Eu acho que a Federação tem que se preocupar um pouco mais, no mínimo com o gramado, onde é o tapete, onde os jogadores vão entrar em campo, dar espetáculo. Aí a bola pega na canela, o jogador não é bom, ‘pegou na canela, errou o cruzamento, errou o chute'. Todos falam isso, poucos comentam sobre o gramado. Fica bem difícil disputar o campeonato estadual, e minha paciência tem limite quanto a isso. Mas enquanto estiver dando certo, vamos lá. Daqui a pouco a gente pode mudar de ideia — ameaçou Renato.

As críticas do treinador do Grêmio à Federação Gaúcha de Futebol e ao Campeonato Gaúcho são recorrentes. Ainda no final do ano passado, após o calendário da competição ser divulgado, Renato se queixou do começo precoce do certame, em 20 de janeiro, que forçou o Tricolor a realizar pré-temporada de menos de duas semanas.

Renato ameaçou mais de uma vez utilizar time de jovens no estadual — mas não passou de ameaça

Diante das circunstâncias, Renato disse que, se houvesse aprovação da diretoria, colocaria o time sub-20 para disputar o estadual. Mas não passou de uma ameaça. Após a mais recente contestação ao Campeonato Gaúcho, o treinador novamente foi questionado sobre o porquê de não utilizar o time reserva ou recheado de jovens, e se contradisse.

— Se tiver que bancar isso eu vou bancar. Eu sou treinador, a decisão é sempre minha, porque sempre é a cabeça do treinador que rola. Mas ao mesmo tempo a gente precisa dar ritmo de jogo para os jogadores, porque daqui a pouco a gente está na Libertadores. A gente precisa dar oportunidades para alguns jogadores, que eu estou dando, no grupo, para ver se eles terão condições de estarem no grupo da Libertadores, da Copa do Brasil, do Campeonato Brasileiro. O problema é que nosso grupo está bastante reduzido. E você vê que estou rodando o grupo, estou dando oportunidades — afirmou.

As contradições de Renato

As contradições de Renato residem em dois aspectos. Primeiro, no fato de que, no final do ano passado, a decisão de utilizar jovens no Gauchão passava pela diretoria — agora, seria única e exclusivamente dele. Depois, essa rodagem que o treinador sugere tem sido limitada. Reinaldo e Villasanti, por exemplo, jogaram todos os minutos de todas as partidas, até aqui, do Grêmio no estadual.

Quanto à crítica de Renato à Federação, ela se justificaria se dissesse respeito à falta de suporte da entidade aos clubes do interior. Afinal, todas elas, à exceção do Juventude, receberam menos de R$ 1 milhão de cota da televisão para a disputa do atual Campeonato Gaúcho, enquanto a dupla Gre-Nal abocanhou R$ 9 milhões. Com  a limitação de caixa, naturalmente o foco dos clubes será na montagem do time, e as questões estruturais ficam em segundo plano.

Grêmio no Campeonato Gaúcho 2024

  • 1º lugar com 12 pontos
  • 5 jogos, 4 vitórias e 1 derrota
  • 8 gols feitos, 3 gols sofridos
  • 80% de aproveitamento
Foto de Nícolas Wagner

Nícolas Wagner

Gaúcho e formado em Jornalismo pela PUC-RS, já passou pela Rádio Grenal e pela RDC TV. É, também, coordenador de conteúdo da Rádio Índio Capilé.
Botão Voltar ao topo