Brasil

Reavaliação afasta apreensão do Flamengo com De La Cruz, que tem histórico de lesões no joelho

Uruguaio já sofreu outras lesões no joelho direito, local no qual aconteceu o trauma que o tirou da vitória do Rubro-Negro sobre o Amazonas

O Flamengo confirmou a classificação às oitavas da Copa do Brasil ao vencer o Amazonas nos dois jogos, mas isso não significa que a representação da equipe, que acontecerá na manhã desta sexta-feira (24), será tranquila. Pelo contrário, o clima era de apreensão pela avaliação física de Nico De La Cruz, que deixou a partida em Manaus com um trauma no joelho. O nervosismo aparentava ser totalmente justificado.

Poderia ter sido o primeiro problema clínico de Nico no Flamengo, e o local assustava pelo histórico de lesões. O joelho direito é de longe o local mais castigado do uruguaio, que já passou por mais de três contusões por ali. Para a sorte de Tite e companhia, não passou de um susto.

Reavaliação realizada

O Rubro-Negro ainda não publicou um boletim para informar a situação de Nico, mas a Trivela apurou que a reavaliação deu certo, e o atleta não preocupa para a sequência de 2024. Ainda na Arena da Amazônia, o departamento médico identificou um trauma no joelho direito, e os rubro-negros puderam acordar com essa excelente notícia, por diversos fatores.

— O problema do De La Cruz não é físico, é médico, é clínico. Foi um trauma que já no intervalo ele estava sentindo e que no segundo tempo ele pediu para sair porque não conseguia mais ter o desenvolvimento — explicou Tite, na coletiva após a vitória sobre o Amazonas.

O histórico de lesões

O departamento de futebol do Flamengo estava ciente dos problemas físicos do atleta há algum tempo. De La Cruz era destaque absoluto no River Plate, mas, nos últimos anos do contrato, sofreu com lesões. Em 2023, por exemplo, o uruguaio teve que ser entregue ao departamento médico sete vezes, sendo três por conta do joelho direito, sua grande kryptonita.

Mesmo que o maior tempo de Nico afastado dos gramados tenha sido por conta de uma lesão no pé, sofrida em outubro de 2021, o joelho é o mais afetado por longa margem. Ao todo, De La Cruz teve que ser entregue ao departamento médico por conta de problemas no local sete vezes, totalizando 245 dias de ausência, contando apenas o tempo na Argentina.

De La Cruz sofreu com problemas físicos enquanto vestia a camisa do River Plate (Foto: Manuel Cortina / SOPA Images/Sipa USA) – Photo by Icon sport

O problema se estende ainda mais quando o período com a camisa do Liverpool, do Uruguai, é levado em conta. Nesses moldes, De La Cruz ficou fora por quase um ano (314 dias), e as lesões datam desde fevereiro de 2016. O meia já realizou duas cirurgias no local (para ler o histórico completo, clique aqui).

Está claro que o problema é crônico, e o uruguaio já enfrentou os mais diferentes tipos de tratamento. Depois da Copa do Mundo do Catar, por exemplo, De La Cruz foi submetido a procedimentos mais agressivos, com uso de células-tronco para dar nova vida à região afetada, sem sucesso. O jeito será administrar a parte física com controle de carga, a fim de evitar longos períodos de ausência.

Fase aumenta expectativa pelas notícias

Tite teria um grande problema se De La Cruz ficasse fora de combate por lesão. O uruguaio é o grande motorzinho do Flamengo desde que chegou, no início da temporada, e já caiu nas graças da torcida rubro-negra. Durante um protesto pela oscilação do time, antes da partida contra o Corinthians, o carro do meia não foi abordado pela excelente fase.

O elenco do Flamengo é robusto e conta com opções que poderiam entrar no lugar do uruguaio, como é caso de Pulgar, retornando de lesão, Allan e Igor Jesus, contudo, apenas o ex-Atlético Mineiro tem características semelhantes.

Foto de Guilherme Xavier

Guilherme Xavier

É repórter na cobertura do Flamengo há três anos, com passagens por Lance! e Coluna do Fla. Fã de Charlie Brown Jr e enxadrista. Viver pra ser melhor também é um jeito de levar a vida!
Botão Voltar ao topo