Brasil

Galoppo precisou de dois minutos para mostrar que Carpini estava errado

Sem jogar há mais de um mês, argentino volta e deixa claro como deveria receber mais chances

Galoppo entrou em campo aos 19 minutos do segundo tempo da derrota por 2 a 1 do São Paulo para o Talleres, na última quinta-feira (4), no Estádio Mario Alberto Kempes, na estreia no Grupo B da Libertadores. Ele não conseguiu reverter a desvantagem, ou ao menos buscar o que seria um valioso ponto somado fora de casa na competição continental. Mas o argentino precisou de apenas dois minutos para mostrar ao técnico Thiago Carpini que merece (muito) mais espaço no elenco em 2024.

Esse foi o tempo que o meia levou para ter participação decisiva no gol de honra marcado por Luciano. Aos 21 da segunda etapa, Galoppo dominou na entrada da área e chutou forte. A bola explodiu na trave e sobrou livre para o camisa 10 descontar.

Uma prova simples de que ele não merecia ficar tanto tempo assim sem jogar pelo Tricolor. O argentino não entrava em campo desde 14 de fevereiro, quando foi titular de última hora na derrota por 1 a 0 para o Santos, no MorumBIS. Neste mais de um mês sem atuar, o meia ficou fora de seis partidas e chegou até a sobrar do banco de reservas em alguns jogos do Campeonato Paulista por conta da limitação do número de estrangeiros.

Galoppo tenta recuperar espaço, mas já pensa em futuro

A disputa da Libertadores e a proximidade com o Campeonato Brasileiro são vistos por Galoppo como chances para uma mudança de chave no São Paulo. O meia quer usar a boa participação nos minutos que ganhou em Córdoba como ponto de partida para recuperar o seu espaço no elenco. Caso contrário, ele também já tem alguns planos para o futuro.

O argentino deu autorização a uma agência esportiva para buscar ofertas para ele em clubes da Itália – o meia possui passaporte italiano. A Trivela ouviu que a prioridade é voltar a ser uma peça importante no São Paulo. Mas caso as oportunidades não reapareçam, o jogador também deixa as portas (bastante) abertas para deixar o Tricolor. 

Galoppo sumiu, mas início foi promissor

Todo esse ostracismo recente ocorreu de uma hora para a outra, depois de Galoppo ter vivido um início de temporada promissor pelo São Paulo. O meia entrou no segundo tempo da vitória por 3 a 1 sobre o Santo André, na estreia da equipe na temporada, e foi titular na partida seguinte, com direito a gol marcado. O argentino anotou de pênalti o gol de empate em 1 a 1 com o Mirassol, na segunda rodada do Paulista. Foi tão bem, que ganhou um merecido elogio de Thiago Carpini.

– O Galopo depois de um longo período de inatividade teve a oportunidade de fazer em 10, 15 minutos no Morumbi (na estreia). Hoje (terça-feira, em Mirassol), um período um pouco maior dentro do programado, toda a carga muito bem ajustada e controlada e essa evolução de maneira gradativa. É um cara aqui que sabe fazer gols, isso já é uma amostra desde o ano passado em várias oportunidades, ele foi decisivo. Ganhamos mais uma opção com a entrada do Galoppo – disse o técnico Thiago Carpini após a partida contra o Mirassol.

E de fato, o argentino foi opção e inclusive atuou na decisão da Supercopa do Brasil, quando marcou um dos gols da disputa de pênaltis que deu o título ao São Paulo. Mas isso durou pouco. Ao todo, Galoppo soma oito jogos e 417 minutos na temporada. Para ganhar mais oportunidades, ele briga por posição em um setor concorrido do campo. Lucas Moura, James Rodríguez, Luciano, Ferreira, Welington Rato, Erick e Nikão são seus concorrentes por vagas no time titular.

Galoppo tenta retomar espaço no São Paulo (Foto: Divulgação/São Paulo)

Os longos dez meses de recuperação de Galoppo

Galoppo rompeu os ligamentos do joelho esquerdo em março, ainda pelo Paulistão, na eliminação do São Paulo para o Água Santa (comandado por Carpini), nas quartas de final. Ele passou por cirurgia para reconstrução ligamentar ainda em março, no dia 20, na Argentina. Desde então, ele retornou ao Brasil e passou a fazer tratamento fisioterápico no CT da Barra Funda.

O meia ainda teve de passar por uma nova cirurgia, mais simples, em maio, em seu país natal. Galoppo foi submetido a uma artroscopia para retirada de uma fibrose no joelho esquerdo. O procedimento serviu apenas para fazer uma “limpeza” no local.

Não à toa, o argentino tinha status de reforço para o São Paulo nesta temporada por tudo o que ele fez em campo antes da lesão. O meia era o artilheiro da equipe em 2023, com oito gols marcados em 11 jogos, além de contribuir também com duas assistências. A participação foi tão emblemática, que Luciano e Calleri só foram ultrapassá-lo na artilharia em junho, mais de dois meses após a sua lesão.

Galoppo até poderia ter voltado ao São Paulo na reta final da temporada passada. Mas tanto ele quanto o clube adotaram cautela sobre o retorno. A avaliação é de que não valeria a pena acelerar a volta aos gramados para apenas alguns jogos, diante da possibilidade de prepará-lo com dias a mais de pré-temporada. E a estratégia deu certo. Prova disso é que o argentino não voltou a sentir problemas no local e nem sofreu com lesões musculares até agora em 2024.

Foto de Eduardo Deconto

Eduardo Deconto

Eduardo Deconto nasceu em Porto Alegre (RS) e se formou em Jornalismo na PUCRS. Antes de escrever para a Trivela, passou por ge.globo e RBS TV.
Botão Voltar ao topo