Brasil

Flamengo tira onda com homenagens à Jorge Ben, rubro-negro que completa 85 anos

Gabigol, Bruno Henrique e Igor Jesus participaram da homenagem, em grande bola dentro da comunicação do Flamengo

O período é de Data Fifa, mas o torcedor do Flamengo engajou muito nas redes sociais, e com toda a razão. A comunicação do clube (finalmente) deu uma bola dentro com linda homenagem à Jorge Ben, cantor e compositor imortal da música popular brasileira, além de um ilustre torcedor rubro-negro. As publicações contaram com a presença de Gabigol, Bruno Henrique e Igor Jesus.

Jorge Ben é um daqueles nomes que está marcado na história do Flamengo sem nunca ter vestido a camisa, de maneira oficial, ou pisado nos gramados para representar o clube. Sua obra é digna de todas as homenagens, e o Rubro-Negro está presente em várias.

Inspiração nas capas

Primeiro, é importante citar o cuidado do Flamengo na homenagem. O trabalho de observação da comunicação trouxe paródias muito interessantes, como nas capas. A primeira que se viu veio com Igor Jesus, justamente no álbum inaugural da carreira de Jorge Ben, o “Samba Esquema Novo”. Igor Jesus, cria do Rubro-Negro, fez pose idêntica e começou a embalar.

Gabriel, Guerreiro Galático

Nada melhor do que um grande ídolo para representar o outro. Pensando em um Jorge Ben mais maduro, nome forte do samba nacional, o Flamengo escolheu Gabigol para parodiar a capa do álbum que levava o nome do cantor e compositor. A imagem é daquelas que rodou o Brasil, com inspirações na Tropicália, principal movimento musical da época.

O mais curioso é que, apesar de preferir o trap, tendo lançado até músicas, Gabigol é fã da discografia de Jorge Ben e afirmou, à própria comunicação do Rubro-Negro, que o ouve direto. Foi justamente nesse álbum, inclusive, que o cantor e compositor lançou o sucesso absoluto “País Tropical”, que leva o nome do clube nos seguintes versos: “Sou Flamengo e tenho uma nêga chamada Tereza!”.

Apesar de ser familiar com a discografia, Gabigol não conhecia uma música de Jorge Ben que leva o seu nome. No tweet acima, inclusive, ele assina com “Gabriel Guerreiro Galático”. O mais curioso disso tudo é que a música ainda cita a “Nação”, nome dado à torcida rubro-negra pela sua clara extensão. É inegável que a obra do cantor está atrelada ao Flamengo.

“Gabriel guerreiro galáctico
Protetor da Via Láctea
Domador de cometas
Proteja a minha nação
Em nome de Vera Mar

A nação da alegria e do amor
Pede licença pra baixar
Chama Vera Mar
Vera Mar, Vera Mar”

BH, nós gostamos de você

A parte seguinte da homenagem contou com um Bruno Henrique caracterizado ao melhor estilo Jorge Ben. O álbum em questão foi o “Ben”, que contou com outros sucessos históricos da música popular, do carnaval, do futebol. Nesse caso, “Taj Mahal” é os três, celebrada até hoje como uma das canções mais inovadoras e animadas do país.

O Flamengo, claro, é citado novamente nessa letra, mas seria eternizada em outra faixa: Filho Maravilha. Somente o mestre Jorge Ben poderia descrever com tanto brio o golaço do centroavante Fio Maravilha no amistoso contra o Benfica. Como ele mesmo eternizou, o atacante sacudiu a torcida aos 33 minutos do segundo tempo, com uma tabela fulminante que culminou no drible do goleiro. Só não entrou com bola e tudo porque teve humildade em gol.

“Foi um gol de anjo, um verdadeiro gol de placaQue a galera, agradecida, se encantavaFoi um gol de anjo, um verdadeiro gol de placaQue a galera, agradecida, se encantava
Filho Maravilha, nós gostamos de vocêIh-ih-ih-ih-ih-ih-ihFilho Maravilha, faz mais um pra gente verIh-ih-ih-ih-ih-ih-ih”

Movimentou!

A comunicação do Flamengo já foi muito criticada pela torcida em outros momentos. Na opinião da torcida, especialmente no Twitter, falta um pouco de percepção para movimentar um perfil que surfa em engajamento muito acima da realidade do futebol. A homenagem à figura de Jorge Ben, no entanto, foi um daqueles acertos que não se viam a algum tempo.

Seja pelos textos bem escritos ou pela criatividade das fotos, recriando capas históricas, as publicações caíram nas graças da torcida rubro-negra. Uma homenagem extremamente merecida, daqueles rubro-negros que estão marcados na história do clube de maneira indireta.

Foto de Guilherme Xavier

Guilherme Xavier

É repórter na cobertura do Flamengo há três anos, com passagens por Lance! e Coluna do Fla. Fã de Charlie Brown Jr e enxadrista. Viver pra ser melhor também é um jeito de levar a vida!
Botão Voltar ao topo