Brasil

Retorno rápido de Gerson é fruto da união fervorosa entre atleta e Flamengo

Flamengo e Gerson trabalharam juntos e colheram os frutos de uma recuperação que excedeu as expectativas até mesmo dos mais otimistas

O jogo entre Flamengo e Atlético Goianiense foi muito além dos três pontos. Entre o gramado ruim, a arbitragem pior ainda e as atuações das duas equipes, as nuances daquela partida se amontoaram em profusão. Para o Rubro-Negro carioca, no entanto, uma grande notícia emergiu e não teve nada a ver com o resultado: o retorno de Gerson aos gramados.

O Coringa estava afastado do Flamengo desde os últimos dias de fevereiro, quando foi diagnosticado com uma hidronefrose, que é um problema secundário nos rins. Após cirurgia, retirada dos pontos, retorno ao Ninho do Urubu e transição, clube e jogador se esforçaram ao máximo. Por isso, a volta antes do esperado de Gerson foi tratada como uma vitória internamente.

Os primeiros minutos do retorno

Gerson entrou na vaga de Matias Viña, que deixou o campo pelo protocolo de concussão. Foram apenas 14 minutos em campo e poucas ações com a bola, diante de um jogo que se desenhava para o empate em 1 a 1. Somente com o pênalti duvidoso, marcado em cima de Bruno Henrique, que o Flamengo conseguiu a vitória no Serra Dourada. 

Ao todo, o volante teve 32 ações com a bola, a vasta maioria contabilizada em passes. Gerson terminou o jogo com 89% de precisão no quesito, tendo errado apenas três dos 27 tentados. Ele ainda acumulou um desarme e uma falta cometida.

Gerson em ação pelo Flamengo contra o Atlético-GO (Foto: Marcelo Cortes/CRF)

A linha do tempo da recuperação de Gerson

Foram cerca de dois meses entre o primeiro episódio de dores agudas na região dos rins e o retorno aos gramados. Gerson recebeu todo o cuidado do departamento médico do Flamengo, na figura do doutor Márcio Tannure, seja em casa ou no Ninho do Urubu. Por isso, a recuperação rápida foi muito celebrada pelo Núcleo de Saúde e Rendimento do clube.

Para ilustrar melhor o caminho de Gerson até a volta aos gramados, a Trivela preparou uma linha do tempo especial. O esforço do Coringa, sem dúvida, não foi em vão.

Tite ganha uma dor de cabeça a mais

Com a volta de Gerson, o Flamengo tem o seu capitão à disposição novamente, mas o cenário do time titular é totalmente diferente. Antes do problema nos rins, o jogador estava atuando como segundo volante, mas, desde a sua saída, a posição foi dominada por Nico De La Cruz, que se tornou peça fundamental no esquema de Tite. O treinador terá a chamada ‘dor de cabeça boa’.

Agora, Gerson precisará lutar novamente por uma vaga entre os titulares do Flamengo. O apelido de Coringa não é por acaso, já que ele pode exercer múltiplas funções dentro de campo, entre primeiro volante e ponta direita. Quanto mais ele pegar ritmo, mais deve receber minutos.

Veja números de Gerson em 2024

  • 7 jogos (5 como titular)
  • 6 vitórias e 1 empate quando em campo
  • 419 minutos (60 por partida, em média)
  • 1 assistência
  • 1 cartão amarelo
Foto de Guilherme Xavier

Guilherme Xavier

É repórter na cobertura do Flamengo há três anos, com passagens por Lance! e Coluna do Fla. Fã de Charlie Brown Jr e enxadrista. Viver pra ser melhor também é um jeito de levar a vida!
Botão Voltar ao topo