Brasil

Fantasma de 2023 ainda atormenta o Botafogo, que tenta tratar o assunto como ‘página virada’

Estreia do Botafogo pelo Carioca de 2024 deixa claro que torcida não esqueceu do fracasso no último Brasileiro, enquanto o clube tenta superar o assunto

A estreia do Botafogo no Campeonato Carioca de 2024 deixou claro que 2023 ainda está muito vivo, principalmente, no torcedor alvinegro. Na burocrática vitória sobre o Madureira, no Nilton Santos, o fantasma do fracasso do clube no último Campeonato Brasileiro rondou o estádio, apesar do insistente discurso de “página virada”, que veio dos jogadores e do técnico Tiago Nunes. E tudo o que o botafoguense passou no último ano ainda deve demorar para ser esquecido.

Desde antes da bola rolar entre Botafogo e Madureira já era possível perceber que o torcedor não esqueceu 2023. Durante o anúncio da escalação do alvinegro, Marlon Freitas foi muito vaiado pelos torcedores presentes. O volante foi um dos nomes mais marcados pela queda brusca do clube na reta final do último Campeonato Brasileiro.

Quem também foi vaiado foi o lateral-esquerdo Marçal. Depois de começar a partida no banco de reservas, o ex-capitão da equipe foi acionado durante o segundo tempo e, além de entrar sob vaias dos alvinegros, ainda era novamente vaiado praticamente a cada toque na bola. Assim como Freitas, Marçal também ficou marcado pelo fracasso no Brasileirão. A dupla também foi alvo de um protesto de um grupo de torcedores. Os alvinegros levantaram uma faixa pedindo a saída dos dois jogadores

O mesmo grupo de torcedores também protestou contra John Textor, dono da SAF do Botafogo. Em outra faixa, eles criticaram o fato do americano ter uma rede de clubes e supostamente tratar o Alvinegro como “satélite” de outras equipes – por exemplo, como quando contabiliza as vendas de Lucas Perri e Adryelson ao Lyon por um valor abaixo de outras ofertas que recebeu pelos jogadores.

“Fo#@-se sua rede de clubes. Somos Botafogo! Não somos satélite!”, dizia a faixa dos torcedores.

A impaciência da torcida durante o segundo tempo, quando o Botafogo passou a fazer um jogo morno, praticamente sem conseguir criar chances contra o Madureira, também ficou clara e manifesta com os burburinhos, reclamações e algumas vaias que surgiam a cada passe errado que o time dava em campo. No fim, depois da vitória, o time deixou o campo entre aplausos e algumas vaias.

Botafogo reforça discurso de ‘página virada'

Enquanto a torcida ainda lembra bem do fracasso do time no último Campeonato Brasileiro, os jogadores e a comissão técnica parecem ter ensaiado bem um discurso de “página virada” em relação à temporada passada. O atacante Victor Sá e o técnico Tiago Nunes usaram a mesma expressão para se referir a como o Botafogo deve encarar esta nova temporada e a pressão externa pelos resultados de 2023.

– Para mim é página virada o que aconteceu ano passado. Não vou trazer resquício ou mágoa para esse ano. Temos dois caminhos. Podemos viver do passado e ficar remoendo ou podemos aprender, ganhar experiência e ser melhores esse ano. Não só em resultado, mas em maturidade para lidar com adversidades – afirmou Tiago Nunes, em coletiva, depois da vitória sobre o Madureira.

– Me parece muito natural por parte do torcedor que leva essa insatisfação no coração. Prefiro ter uma visão muito mais para aquele grupo que aplaudiu. Quem vaia, em geral, vaia o próprio clube. Existe uma relação muito próxima entre o amor e o ódio. Mesmo a vaia é uma demonstração de paixão. Meu papel é dar confiança para os atletas, tranquilidade e mostrar que a gente pode aprender e evoluir com o que passou – completou o treinador.

O atacante Victor Sá, um dos jogadores de 2023 que seguem no time titular, também falou em “virar a página”.

– Importante, depois de um período sem pensar muito em futebol, depois de tudo que foi no ano passado, que sabemos como foi. Agora é virar a página, trabalhamos quase dez dias em Itu. É voltar forte. Muito importante a vitória hoje, para começar o ano com o pé direito. Agora é continuar trabalhando e cada vez evoluir mais – disse o atacante, na saída de campo, ao “Bandsports”.

Tiago Nunes reforçou discurso de que 2023 é ‘página virada' no Botafogo (Foto: Icon Sport)

Tiago Nunes quer temporada mais ‘equilibrada'

Para o técnico do Botafogo, que chegou no clube para os últimos cinco jogos de 2023 –  e não conseguiu vencer -, o clube precisa de uma nova temporada mais equilibrada, diferente do último ano. O treinador lembrou do Carioca ruim do Glorioso em 2023, do ótimo começo do Brasileirão e, depois, da queda na reta final da competição.

– Nosso desejo para 2024 é que consigamos ser mais regulares. Se olhar para 2023, tivemos um início complicado, um começo de Brasileiro muito bom e um final ruim. Foi um eletrocardiograma. Peço ajuda de vocês (jornalistas) que avaliem da maneira mais fria o que está acontecendo aqui. Porque vocês são mensageiros. Não dá para acreditar que o Botafogo tenha feito só coisas ruins ano passado. Tem times que tiveram muito mais dificuldade ao longo do ano e começam a temporada em lua de mel com a torcida – finalizou Tiago Nunes.

Foto de Gabriel Rodrigues

Gabriel Rodrigues

Gabriel Rodrigues é jornalista formado pela UFF e soma passagens como repórter e editor do Lance!, Esporte News Mundo e Jogada10.
Botão Voltar ao topo