Brasil

Esse é o perfil que o Atlético-MG traçou para achar seu novo técnico

Atlético pensa em um treinador com ideias completamente opostas as de Felipão, e isso faz sentido

O Atlético-MG está no mercado na busca por um novo treinador após anunciar a demissão de Felipão nesta quarta-feira (20). Pensando, enfim, no que o elenco atual oferece, o Galo traçou o perfil de ir atrás de um técnico com perfil propositivo, e só nomes estrangeiros estão na pauta atualmente.

Com Felipão, o Atlético tinha um time em campo mais reativos, que não ficava tanto com a bola, era mais vertical e menos encantador. Esse, inclusive, é o básico de qualquer time de Scolari, mas a diretoria, aparentemente, não sabia, e colocou um elenco de características completamente diferentes (montado por Coudet, o qual é o oposto de Felipão) nas mãos do treinador. O resultado foi um desempenho muito longo do que o time poderia produzir.

Diante desse cenário, o Atlético agora analisa o seu elenco, para fazer o básico e contratar um treinador que se encaixe com as características dele, já que não haverá uma alteração drástica nas próximas janelas. Diante disso, ficou definido que o próximo comandante do Galo precisa ter estilo propositivo (que sempre foi a cara do clube). É uma nova ruptura enorme de trabalho com relação ao treinador anterior, mas, nesse caso, faz sentido. Nessa ideia, os estrangeiros são os alvos, como revelou o ge e a Trivela confirmou.

Gabriel Milito: O plano A do Galo

O plano do A do Atlético é o argentino Gabriel Milito, como informou a Itatiaia. Sem clube desde que pediu para sair do Argentinos Juniors no meio de 2023, ele estava em negociações com a Universidade Católica, do Chile, mas a imprensa chilena afirma que ele travou o negócio, e o motivo pode ser o contato do Galo.

Milito é apontado como um dos mais promissores treinadores do futebol sul-americano, principalmente após o bom trabalho no Argentinos Juniors. Ele é um treinador que se expressa muito bem e fala abertamente sobre a relação dele com o futebol e os jogadores, sempre destacando a importância de trabalhar o lado humano.

Em campo, é o que o Atlético quer: propositivo, dominante, dono da posse e mentalidade vencedora. Ter a bola e saber como trabalhar é o ponto central do estilo de jogo dos times de Milito, como ele citou em uma entrevista ao La Nación, da Argentina.

— Não estou dizendo que sempre é preciso fazer 12 passes, mas quero dizer que é muito difícil fazer três passes e marcar um gol. Queria que fosse possível: o goleiro bate, cruzamento, o 9 faz um gol de bicicleta. Mas isso não acontece como um sistema, apenas como contingência, uma exceção — afirmou Milito

Aos 43 anos, Gabriel Milito teve uma carreira sólida como jogador, sendo zagueiro ídolo do Independiente e atuando ainda por Zaragoza e Barcelona. Como treinador, teve duas passagens pelo Estudiantes, uma pelo Independiente e outra pelo O’Higgins (Chile), mas, como citado, o destaque mesmo foi no Argentinos Juniors, seu último trabalho.

Temos que jogar bem? Sim. Temos que defender bem? Sim. Mas o importante é que os jogadores acreditem e que quando saímos para jogar o mundo para, que nada mais importa, que durante esses 90 minutos não importa quem está à nossa frente e a motivação tem que ser desejo próprio. Obviamente o mais importante é o resultado, mas quero ver isso primeiro. A forma como você compete leva você ao resultado – Gabriel Milito ao La Nación.

As outras opções do Atlético

É claro que, apesar de ter Milito como plano A, o Atlético mantém outros treinadores no radar. Vojvoda, do Fortaleza, é sempre comentado quando um grande clube está a procura de um novo técnico. Acontece que ele já deixou claro que não sai do time cearense, e o Galo também nem pensa em fazer alguma investida no momento.

Um nome empregado no Brasil e atrai interesse do Atlético é o de Pedro Caixinha, do Red Bull Bragantino, como informou o ge. O português tem as características citadas que o clube busca, mas tirá-lo do time paulista é algo bem difícil, como disse o jornalista Rodrigo Seixas, que faz a cobertura do Braga, à Trivela: “Hoje parece pouco provável (a saída), por melhor que possa ser a proposta do Galo. Ele gosta de como funciona a Red Bull e escolheu vir para o Brasil muito por conta do modelo que a empresa tem”.

Como de costume, vários nomes vão sendo especulados, como o do português Carlos Carvalhal, que está também na mira do Botafogo, ou do atual campeão da Sul-Americana, Zubeldia, que deixou a LDU. Jorge Sampaoli, outro livre no mercado, não está nos planos, muito pelos transtornos que causou com quem comanda o Atlético hoje, na passagem pelo clube em 2020/21, apesar do time dele, em campo, ter ido muito bem.

Enquanto o Atlético não tem um novo comandante, quem comandará os treinos da equipe o auxiliar fixo do clube, Lucas Gonçalves, o qual é sempre muito elogiado por todos, inclusive por Felipão. Pela data Fifa, o Galo não entra em campo neste fim de semana, então tem até a outra semana para fechar com um novo treinador antes do próximo jogo, a primeira partida da final do Mineiro, contra o Cruzeiro, na Arena MRV.

Foto de Alecsander Heinrick

Alecsander HeinrickSetorista

Jornalista pela PUC-MG, passou por Esporte News Mundo e Hoje em Dia, antes de chegar a Trivela. Cobriu Copa do Mundo e está na cobertura do Atlético-MG desde 2020.
Botão Voltar ao topo